Senador Aloysio bota a boca no trombone: “Está se instalando no Brasil uma ditadura branca”

Em discurso na tribuna do Senado, senador Aloysio Nunes Fereira (PSDB-SP).Amigos, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) botou a boca no trombone. Há poucos meses instalado na cadeira para a qual foi eleito em outubro passado pela maior votação da história do Senado – 11,2 milhões de votos –, ele considera “insuportável” algo que se tornou rotina na vida política do país: o governo baixa medidas provisórias com força de lei e elas são aprovadas quase automatica e instantaneamente pela esmagadora base governista no Congresso.

Na semana passada, Aloysio e outros senadores da oposição abandonaram o plenário em sinal de protesto contra a aprovação de uma MP que tratava de nada mens do que 10 assuntos diferentes, com curtíssimo prazo para ser examinada.

Em entrevista ao site de VEJA, o senador demonstra preocupação com o fato de o governo praticamente formular toda a agenda do Congresso. “Pouco a pouco está se instalando no Brasil uma ditadura branca. A maioria vota, sem questionar, as coisas mais absurdas’, diz ele. “E pelos procedimentos mais absurdos”.

Leia a entrevista feita pela jornalista Carolina Freitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 5 =

Nenhum comentário

  • Marco

    Amigo Setti: Virou uma dominação de incompetentes sem confiança e honradez, uma vergonha forçada q coage a todos ao voto do partido. Esse congresso foi rebaixado a simples conveniência do arrastão ridícularmente fácil.
    Abs.

  • Alvaro

    Setti
    É bom o senador ir procurando estratégias para enfrentar esse problema. É um problema crônico agudizado com esse novo parlamento e com essa continuidade de Governo Federal.
    Se não tiver outro jeito tem que cantar: “joga bosta na Geni”, mas tem que fazer alguma coisa. Pelo menos convoque a oposição pedindo para ela não hibernar.

  • Setti, na sua opinião, o que poderia ser feito a respeito de todos estes absurdos? Penso que não há mais jeito, tento não me abater e ainda confiar que um dia verei um país livre de toda esta corrupção e falta de respeito às leis. Me pego muitas vezes desanimada em ler cada dia um novo descaso, um novo escândalo… Hj lí que o Itamarati julgou correto a família de Lula ficar com os passaportes… Em quem confiar? Se não podemos confiar nem em um caso deste, imagina se podemos confiar na condenação dos réus do mensalão. Vejo a oposição se movimentando, mas vejo que são minoria e que por mais que gritem não serão ouvidos. Faço a minha parte e divulgo tudo o que a oposição faz, mas sei que é pouco. Gostaria de ter vivido em tempos onde a população se indignava e saía as ruas, já disse isto aqui. Hoje eu vejo uma apatia que predomina na maioria da população, até mesmo naqueles que se julgam politicamente informados. Enfim… cada dia uma nova esperança não é Setti, e assim vamos levando. Abs!

    Oi, Daniela. Há algumas semanas, infelizmente, morreu meu tio Luiz, velhinho, com quase 97 anos, médico. Pois bem, esse queridíssimo tio materno, filho de imigrantes judeus da Bessarábia, junto com seu irmão mais velho, Hugo, alistou-se com 17 anos para lutar na Revolução Constitucionalista de 1932. Um desses meus tios, já não me recordo qual, chegou a ser ferido em combate.
    Era um tempo, costumo dizer, em que as pessoas tinham vergonha na cara, não é mesmo?
    Não estou pregando luta armada, não, mas só fazendo uma comparação entre a indignação de outrora e o conformismo paquidérmico de hoje.
    Bem, em relação a essa barbaridade das Medidas Provisórias, tem trabalhado em silêncio o senador Aécio Neves, que é relator de um projeto apresentado pelo senador Sarney mudando a tramitação das MPs. O Aécio alterou o projeto para melhor, prevendo — estou simplificando muito — que as MPs não andem de jeito nenhum enquanto não passarem pelo crivo de uma comissão do Congresso para ver se elas atendem ao requisito constitucional de “relevância” (muitas são, claro) e “urgência” (quase nenhuma é). Elas não mais entrariam em vigor imediatamente e, passado determinado prazo sem que o Congresso se pronuncie, seriam consideradas revogadas, anuladas. Se o Congresso não se pronunciou, é porque não considerou importante, não é mesmo?
    Há uma tendência entre os parlamentares para aprovar as mudanças, mas o governo, temeroso de perder esse instrumento de governar quase por decreto, está pressionando muito.
    Vamos ver no que dá.
    Um abração

  • Jotavê

    Essa história de ditadura do Executivo, de abuso de medidas provisórias, etc., é uma ladainha repetida mecanicamente contra TODOS os presidentes brasileiros depois da redemocratização. Dadas as atuais regras do jogo político, é inocência pensar que a currupção seria menor caso o Legislativo tomasse as iniciativas. Provavelmente seria bem maior, e haveria maior dificuldade de se individuar as culpas na Justiça, se fosse o caso. Não há nenhuma ameaça às instituições democráticas até aqui. O Congresso toma as rédeas do processo amanhã, se quiser. Tem absolutamente todos os instrumentos para isso à sua disposição. Não faz porque não quer – e, dadas as circunstâncias, é bom mesmo que continue não querendo.

  • Alberto Porém Júnior

    De onde vem os senadores de oposição como Aloysio?
    São Paulo, onde a instalação de qualquer CPI de investigação é barrada por mais legítima que seja. Tem 16 anos de PSDB no governo. A polícia reprime com severidade manifestações e protestos seja de quem for. Greve em São Paulo é reprimida no cassetete e gás lacrimogênio.
    Álvaro Dias do Paraná: Desceu, literalmente falando, a borracha em muitas greves, é só procurar no Youtube que as imagens não mentem.
    Ana Amélia representa o Rio Grande do Sul; A CPI sobre a administração Yeda Crusius foi uma página negra na história gaúcha. A mídia escondeu o que deu, mas o povo soube responder a Yeda com a verdade das urnas.
    Demóstenes vem de Goiás: Marconi Perillo “se vira nos 30” barrando CPI’s sobre as vergonhosas ilegalidades cometidas por ele antes e agora. Neste momento tem 20 milhões de reais em helicópteros necessários para a segurança do estado parados por incompetência do gestor e a mídia não dá um pio. Nada.
    Kátia Abreu por Tocantins: É vergonhosa a história que cerca Kátia Abreu e o “ assentamento com áreas de 1.200 ha” para alguns “amigos do rei”, retirando antigos moradores destas áreas para uma “reforma agrária ás avessas” alguns tinham até com 50 anos no local. Despejaram sem dó nem piedade. Muita democracia.
    Aécio Neves e Itamar por Minas Gerais: Foi muito democrática a forma de governar de Aécio com a chantagem e demissão de jornalistas que se opusessem ao regime implantado por Andréia Neves, sim porque quem mandava lá era ela.
    Muito bem, agora Aloysio vem falar em ditadura branca? O exemplo começa em casa. Dar uma de santinho do pau oco não cai bem. É por isto que a oposição é desacreditada e com esta oposição, Dilma e Lula vão nadar de braçada até cansarem os braços, infelizmente para nosso país.

  • Vera Scheidemann

    Há alguns dias vi uma manifestação indignada
    do Senador Demóstenes Torres sobre o assunto.
    Infelizmente são poucos os que se dão ao
    trabalho de combater essa
    situação absurda e de consequencias
    imprevisíveis.
    Vera

  • Liana

    O FHC governou por Medidas Provisórias.
    FHC deu um golpe com a reeleição…
    Eu não ví este Sr. esperneando.
    Que tal ganhar as eleições?
    Afinal, ele só berra pq o povo colocou o DEM e os Tucanos em sua devida insignificância.
    Choro de perdedor.

  • jefff

    A senadora Marta Suplicy (PT-SP) apresentou na última semana dois projetos de lei que prometem mexer com as finanças da Capital Paulista. O PLS 213/2011 propõe uma alteração no critério de distribuição do Fundo de Participação dos Municípios-Capitais (FPM-Capitais), aumentando de 2,9% para 5,5% a atual cota destinada a São Paulo. A outra proposta, o PLS 214/2011, muda o índice de atualização monetária e reduz os juros do saldo devedor da dívida do município com a União.
    Temos 3 senadores!

  • Meus sentimentos pelo seu tio.. 97 anos vividos? Que benção!!! Eu acompanhei o protesto dos senadores no dia da votação da MP-513 e me deu orgulho da oposição, mandei mensagens para os senadores parabenizando-os merecidamente pelo ato e sei tb que Aécio foi na OAB procurar apoio. Espero Ricardo, do fundo do meu coração, que a oposição consiga barrar estes e outros absurdos que este governo faz a gente engolir a seco. No mais espero, não no seu caso pq acho que você faz muito bem a sua parte, a imprensa massacre na divulgação dos atos dos opositores e parem apenas de criticar a oposição, como vejo muito no twitter. Não só critiquem, mas ajudem a mostrar para a população que tem pessoas que lutam pela ética e moral no Brasil, contra este governo corrupto e ditador que temos hoje em dia. Vamos dar apoio e um voto de confiança ara a oposição, temos que fazer a nossa parte também. Abs!!!

  • José Geraldo Coelho

    Medida Provisória pode ser um instrumento para medidas emergênciais como aconteceu com FHC.
    Sem elas nós jamais teriamos passado por um periodo de estabilidade econômica tão importante para a reconstrução do país.
    Já nas mãos de bandidos a Medida Provisória é um flagelo como foi com os ditadores e com o Lulalau. Por certo será também com a presidentatatata.

  • SergioD

    Ricardo, permita-me discordar do leitor José Geraldo quanto ao uso das MPs somente quando de emergências no governo FHC. Desde que esse instrumento foi aprovado pela Constituinte de 1988, todos os governos tem sido acusados, pela oposição da ocasião, de governarem por MPs. Hoje o PSDB reclama. Na época era o PT que reclamava. Deixar isso a mão de qualquer governo vai acabar funcionando como agora, pricipalmente com a maioria parlamentar que o governo Dilma tem.
    O que deveríamos fazer era limitar o seu uso ao máximo. Lembro que as MPs deveriam existir somente se tivéssemos aprovado o parlamentarismo na Constituição. No Presidencialismo, esse instrumento é um excrescência.
    Um abraço

  • Antonio Carlos

    Esse senador descobriu a América, pena que tardiamente !

  • sonia

    GOSTARIA DE MANIFESTAR MINHA INDIGNAÇÃO COM DESCASO DOS HOSPITAIS, COMO SE NÃO BASTASSE EXISTE UM TAL DE “SOS SAÚDE” QUE TERIA POR FINALIDADE FISCALIZAR OS HOSPITAIIS PARA SABER COMO ANDAM OS ATENDIMENTOS DOS PACIENTES E ESSES FUNCIONÁRIOS SEGUNDO INFORMAÇÕES DE UM PRÓPRIO FUNCIONÁRIO DE UM HOSPITAL ESTADUAL SÃO PESSOAS QUE NÃO TEM QUALIFICAÇÃO NENHUMA, MUITAS MESMO NEM O ENSINO MÉDIO POSSUEM, NEM SÃO DA ÁREA DA SAUDE NEM ADMINISTRATIVA, OU SEJA NÃO TEM NÍVEL SUPERIOR E SÃO TODOS INDICAÇÃO DE POLÍTICO.OS MESMOS QUANDO CHEGAM AOS HOSPITAIS SE MUNEM MUITAS VEZES DE ARROGANCIA PARA COM OS FUNCIONÁRIOS, REPITO (SEGUNDO INFORMAÇÕES DE UMA TÉC DE ENF” JÁ OUVI RELATO DE UMA TÉC DE ENFERMAGEM QUE UMA TAL FUNCIONÁRIA DO “SOS SAÚDE” USA DE ABUSO DE PODER, OU SEJA INTIMIDA E AMEAÇA-OS DAR NOME DELES PARA PUNIÇÃO E ETC..SEM OS MESMOS COMETEREM NENHUM ATO PARA TAL ATITUDE, SÃO TODOS RECEBEM SALÁRIO DE QUASE 5 MIL REIAS OU MAIS E UM CARRO PARA CADA UM DESSES FUNCIONÁRIOS, SE AVARIAM O CARRO ELES TEM DIREITO ATÉ DE REPOR COM OUTRO NOVO, ENQUANTO PACIENTES AGONIZAM, MORREM E SEUS FAMILIARES SOFREM O SE ESBANJA DINHEIRO QUE DEVERIA SER USADO PARA RECUPERAR OS PACIENTE ACABA SE DESTINANDO A BAJULAÇOES DE POLÍTICOS.