Senador que propõe chicotear presos — e que é pai e suplente do filho –mostra despreparo, ignorância e envergonha o país no exterior

O suplente-pai Reditario Cassol: ignorância, despreparo e discurso que envergonha o país (Foto: Agência Senado)

Muita gente já comentou, sei muito bem, mas não posso me conter diante do discurso boçal pronunciado pelo senador Reditario Cassol (PP-RO) propondo que se aplique o chicote aos presidiários brasileiros que não trabalhem por serem “vagabundos” e “sem-vergonhas”.

Algumas observações, além da óbvia constatação de que esse senhor não tem ideia de algo valorizado desde as revoluções Americana e Francesa, no século XVIII, os direitos humanos:

1. O senador ignora parte crucial da Constituição

Este senhor de nome espantoso mostrou com seu discurso não ter condições mínimas de ocupar uma cadeira no Senado da República – posto que ganhou de presente do filho, senador e ex-governador Ivo Cassol (PP-RO), que, lançando mão de brecha na legislação eleitoral, recorreu à prática imoral de escolher o pai como seu suplente.

Seja como for, é senador em exercício, e sua fala atesta que sequer leu a Constituição, inclusive a parte crucial que, no Título II, trata “Dos Direitos e Garantias Fundamentais”: ali, o artigo 5º, item XLVI, letra “e”, veda expressamente penas “cruéis”.

O artigo 5º é cláusula pétrea da Constituição e, portanto, não pode ser alterado, como qualquer frequentador do começo do primeiro grau no país deveria saber, ainda mais um senador.

2. O senador manifesta total ignorância da situação dos presídios

Para os presidiários, longe do que imagina o senador, a possibilidade de trabalhar seria uma bênção.

Como a esmagadora maioria das penitenciárias não dispõem de qualquer instalação que permita aos presos trabalharem, centenas milhares de sentenciados “neste país” apenas apodrece em prisões quase sempre péssimas, amontoados em celas, sem nada para fazer o dia todo, seja trabalho, estudo, esporte ou lazer, por anos ou mesmo décadas a fio – forma especialmente diabólica de infernizar e embrutecer um ser humano.

Poder trabalhar costuma, diferentemente do que imagina o senador, uma reivindicação de presos, porque isso, entre outras vantagens: 1) permite ao preso aprender uma promissão; 2) propicia uma pequena renda a sua família; 3) permite ao detento a diminuição da pena – conforme o caso, a cada tantos dias de trabalho subtrai-se um dia de cadeia; 4) ajuda, por meio do estímulo que o trabalo representa, a afastar o presidiário de atividades ilegais na prisão.

3. Suplicy fez um aparte correto, mas se esqueceu da “Revolta da Chibata”

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP), muito corretamente, observou em aparte a Cassol que isso faria retroagir o país “à Idade Média”. Mas se esqueceu o nobre senador de que foi preciso a cruenta Revolta da Chibata (1910), liderara por um marinheiro, João Cândido, para que a Marinha do Brasil acabasse eliminando os cartigos corporais então vigentes como parte de seu código disciplinar e que incluía, justamente, como diz o nome da rebelião, chibatadas.

4. O discurso mostra o despreparo dos senadores-parentes e envergonha o país

O discurso do suplente de Ivo Cassol pela única e exclusiva razão de que é seu pai, que está repercutindo no exterior e envergonhando o país, mostra o grau de despreparo dos suplentes de senador escolhidos pela atual forma – legal, mas obscena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + três =

Nenhum comentário

  • Malur

    Com a palavra, no mínimo, a ministra Rosário. Esse senhor deve ser execrado publicamente, em razão da criminosa ausência de lucidez em sua fala, registre-se, da tribuna do Senado da República!

  • Carlos Alberto Boff

    Sobre o inacreditavel “reditario” voce já disse tudo.
    A minha pergunta bem básica é:
    Os demais senadores vão tomar alguma providencia?
    Não tenho muitas esperanças, mas quem sabe.

  • Prezado Ricardo Setti.
    – E no Congresso Nacional, de acordo com o merecimento de cada um,
    atualmente quem escaparia da chibata? *

    (*) Acir Vidal, http://www.contraovento.com.br, relendo Shakespeare, in Hamlet.

  • Reynaldo-BH

    O senador Rediotário Cassol adentrou – como diriam os antigos speakers esportivos – em um terreno perigoso. A justificativa para as chibatas em presos (que são responsabilidade do estado!) reside – segundo o pai-suplente sem votos – no fato de serem “vagabundos” e “sem- vergonhas”! Terreno perigoso, senador.
    Se houver um termo de comparação, senadores (especialmente os tais suplentes) estariam classificados de que modo? Vagabundo vem a ser quem não trabalha. E ter uma atuação de terça ao meio-dia à quinta no mesmo horário, não me parece distante da definição. Ainda mais contando com o aparato que dispõe um senador. Mesmo contrabandeado para o Congresso sem nenhum voto.
    Sem-vergonha é termo amplo. Diz-se de quem perdeu o amor próprio, não possui auto-crítica e nem mesmo se sente atingido pela moral média social. Ou aquele que seja capaz de praticar qualquer ato sem importar-se com terceiros. Não estou descrevendo o Senado Federal. estou somente traduzindo o termo.
    Além do senador Rediotário ter pretendido alterar cláusula pétrea da Constituição que proíbe o tratamento cruel ou desumano, também quer revogar outra: a que afirma que TODOS somos iguais perante a lei. Só assim se justifica a proposta de chicotes aos presos. E que não atinja aos nobres senadores que se enquadram na mesma tipificação (sem-vergonhas e vagabundos) citada.
    Ivo Cassol além de ex-governador e atual senador é dono das maiores hidroelétricas privadas do Norte do país. Que tem só um cliente: o governo federal. Milionário.
    Depois do aparecimento de Rediótario passamos a entender Ivo. Não que se desculpe.
    Ao menos, se compreende.

  • veiaco

    Teria todo o meu apoio se as chibatadas fossem em senadores, mensaleiros, deputados, juízes prefeitos e vereadores corruptos. A pena mais humana, seria de 10 chibatadas para cada milhão desviado. Mesmo assim acho que para alguns, devido ao crime, seria muito severa. Quero lembrar ao Senador que muitos dos presos estão na cadeia por falta de oportunidades roubadas pela corrupção em todos os níveis, este sim um crime hediondo que merece chibatadas.

  • Flávio

    Estão falando muito das chibatadas, que ao meu ver foi utilizado como uma alegoria e não literalmente, e esquecendo o restante do discurso.
    Uma parte do importante, e que ninguém está falando, é sobre o desamparo a que as vítimas são condenadas. Sofrem de várias maneiras: perda material, vidas ceifadas, terror psicológico e não recebem nenhum benefício do governo.
    O trabalho deveria ser obrigatório nos presídios para custear a estadia dos presos e quem não quisesse trabalhar poderia escolher entre pagar ou passar fome.
    Simples assim.

    Simples, nada, Flávio. Ninguém mais do que eu é a favor de colocar os presos para trabalhar. Acontece que 90% ou mais das penitenciárias do país NÃO TÊM NADA para oferecer em matéria de oficina de trabalho — sem contar outros tipos de atividade.
    Como escrevi no post, a grande maioria dos presos, pelas razões apontadas, gostaria de trabalhar — até porque parece que a pena passa mais depressa se a pessoa tem uma atividade.
    Mas nossa infraestrutura penitenciária é PÉSSIMA. Não dá oportunidade para os detentos trabalharem, nem estudarem, nem nada. São só universidades do crime, como se costuma dizer.

    Então, no principal, estamos de acordo. O problema é que as condições para o que você e eu defendemos simplesmente não existem.

    Abraços

  • JCB/RJ

    Aí está um atentado ao pudor para acionar a ministra Iriny. Será?

  • Valteno

    O senador esta correto ,chibatatadas neste presos e trabalho forcado para justificar os R$ 900,00 ,que o povo brasileiro paga.

    Seu comentário só mostra que você não leu o post, só o título.

  • Guilherme Espeschit

    bem, vamos começar pelo começo.

    no titulo da reportagem diz que tal discurso envergonha o pais no exterior. mas sera que os gringos perplexos sabem que, quando vc saca mais de 50 reias em um banco, tem um individuo do lado de fora com uma arma na mao para toma-lo de vc? sera que eles sabem que se um “de menor” com 17 anos e 11 meses estuprar e matar um bebe, ele vai ter uma medida socio educativa ridicula e estara nas ruas poucos meses depois com a ficha limpa?

    faria retroagir o país “à Idade Média”?
    ao sair com sua familia para um passeio, ter que ficar olhando para os lados e para tras procurando os possiveis “predadores”, isso é a “idade da pedra”, ou seja, a “idade media” jah nao soa tao mal.

    sobre as condiçoes nos presidios eu digo, que isso nao se muda da noite para o dia, para cobrar algo, vc tem que dar as condiçoes para tal, e tambem, essa nao seria uma medida para atingir toda a populaçao carceraria, tenho certeza que ninguem aqui é a favor de chicotear o famoso ladrao de galinhas.

    e se alguem aqui acredita que se diminui a criminalidade suspendendo direitos como votar ou sair a noite, eu sugiro mudar de pais.

  • IG BARROS

    Ricardo
    E qual a sua sugestão para o ócio de nossos presidiários que cumprem pena em presídios mais modernos??? Eu falo dos presídios de segurança máxima, presídios agrícolas, etc..> E por favor não confunda presídios com cadeia de delegacia onde cumprem pena a maioria dos condenados no Brasil.
    Prefiro a chibata do que a senzala e o terror das celas policiais superlotadas. E tem mais, meu caro Setti, recomendo a voce que faça uma viagem à Singapura onde a chibata operou e opera milagres.

    Minha sugestão é ter algo em que trabalhar e oferecer algum tipo de educação.
    Singapura pode ser uma maravilha, mas eu ainda prefiro democracia aos trancos e barrancos do que ditaduras.

  • Berlatto

    “Nobre” Senador Reditario Cassol, que tal liberar a chibata para os políticos corruptos, hem? Seria em praça pública, bem aí em frente ao congresso nacional. Que tal?
    Ps: Parece que faltou chibata também na educação de seu filho, Ivo Cassol. Em Rondônia, corrupção, compra de votos, desvio de dinheiro público, coação de testemunhas é regra. E o digníssimo ainda que dar lição de moral…

  • Octávio

    Compreensível o conforto com que o “Sr. Nome Estranho” deseja o pior para os presos. Ele sabe ou melhor, tem certeza, que nem ele, nem seu filho, nem seus apaniguados, jamais estaria preso, mesmo se viessem a cometer os mais hediondos dos crimes. Antes costumava-se dizer que Brasília era uma “ilha da fantasia”, dada a distância mental em que se encontravam seus parlamentares. Acho que é muito mais, é uma questão de altismo clínico mesmo.

  • joão batista de souza

    O senador, politicamente correto, está a manifestar democraticamente a sua opinião que também é a opinião de muitos brasileiros. Esse negócio de imagem é muito relativo. Quem se importa. Cingapura, no sudeste asiático, tem uma qualidade de vida, uma renda per capita, extraordinárias, no entanto, ainda punem com açoite com vara de bambu os seus pequenos meliantes.Também punem com a execração publica os porcalhões e sugimundos da vida, os delitos mais graves tem punições rigorosissimas, cingapura é o que é, um centro financeiro respeitado no mundo todo e os seus cidadãos se orgulham disso; desqualificar o senador, com certeza não é o melhor caminho, uma versão tem sempre dois lados.

  • Lilibus

    E o Lula, a Dilma e o resto da camarilha toda não envergonha????

  • Luiz

    ELE PODIA COMEÇAR COM ALGUMAS CHIBATADAS NO FILHINHO, QUE PARECE, NUNCA APANHOU NA VIDA!

  • A.Felix Oliveira

    O que esperar de uma maioria da câmara e/ou do senado formada por politiqueiros? Mas, não deixa de ser uma inovação: esses politiqueiros sempre prepararam o terreno para seus descendentes. De outro lado, falta muito aprendizado ao povo brasileiro, tanto escolar como eleitoral.

  • Anderson Cachão

    Por que ele mesmo não se auto chicoteia???
    Chamá-lo de burro seria uma grande ofensa ao animal de quatro patas.

  • CARLOS DOS SANTOS

    O SENADOR ESTA CHEIO DE RAZAO EU ASSINO EM BAIXO CONHEÇO ATRAJETORIA TANTO DO IVO TANTO DO REDITARIO
    POIS SOMOS DA MESMA CIDADE ALIAS NAO APOIO GOVERNO TIRANDO DINHEIRO DE ESTADOS PRODUTORES PARA DAR A MALANDROS NA COMPRA DE VOTO RENDA MINIMA ,BOLSA FAMILIA E OUTROS CRIANDO VAGABUNDOS PEÇA PARA ANDAREM A PE 120 KM DE FLORESTA PARA TER ALGUMA TERRA OU PROPIEDADE ASSIM FOI A JORNADA DO IVO E DO CASSOL COM TRABALHO UM DIA QUEM E CONTRA VAI ENTENDER
    QUANTO A CONSTITUIÇAO DEVE SER JOGADA EM UM LATA DE LIXO POIS NAO VALE NADA LEIS ERRADAS QUE FACILITAM O ROUBO EM TODOS OS SEGMENTOS FAVORECEM OS LADROES DE MADEIRA , OURO DIAMANTES QUE LEVAM PARA FORA DO BRASIL
    INDIGENAS LEGALIZADOS EM SUAS AREAS DE TERRA NAO COM A FINALIDADE DE LE ASSENTAMENTO MA S COM A FINA LIDADE DE PROTEGER AS IMENSAS JASIDAS NAQUELE SUB SOLO APROVAÇAO AUTOMATICA NAS ESCOLAS SOMENTE COM PRESENÇA DOS ALUNOS ASSIM FORMANDO BURROS E IGNORANTES FACILITANDO A QUALIDADE DOS ESTUDOS PARA LA FORA DIZER QUE ESTA ACABANDO COM O ANALFABETISMO BOLSAS DE ESTUDO A QUEM NAO PRECISA E PODE PAGAR ENGANANDO O DESAVISADO DISENDO EM REDE PUBLICA QUEO PAIS ESTA BOM MAS NAO DIZ BOM PRA QUEM MAIOR PRODUTOR DE GADO ,CARNE DE 1ª 25,00 ALMOÇOU,JANTOU TA BOM ISSO E LINHA DA MISERIA SE VOCE PASSOU O ANO EU PERGUNTO , COMPROU UM CARRO A VISTA ,NAO . TROCOU DE CARRO NAO , COMPROU UMA CASA NAO , SOBROU 20 OU 30 MIL NO FINAL DO ANO PARA VIAJAR COM A FAMILIA NAO ,ENTA AONDE ESTA ESSE BO M VOCE SABIA QUE NA DEMOCRACIA SE MATA MAIS INOCENTES QUE NA EPOCA DA DITADURA E SO CONFERIR O PERCENTUAL ,QUEREM ABRIR OS ARQUIVOS SECRETOS DA DITADURA MAS PARCIAL EM COMUM ACORDO TERIA QUE SER OUI TUDO OU NADA A PRESIDENTE FEZ PARTE DA GUERRILHA DO ARAGUAIA SE DIZIAM UMA MINORIA QUE FALAVAM POR UMA MAIORIA LUTAVAM POR DEMOCRACIA MAS A PRESIDENTE DEVERIA DIZIR A VERDADE SOBRE O DINHEIRO QUE SUSTENTAVA A GUERRILHA LUTAVAM POR UMA DEMOCRAÇIA NO BRASIL COM DINHEIRO SUJO MANCHADO SANGUE SUOR E LAGRIMAS DE DITADURAS SOVIETICA E CUBANA

    E O QUE TENHO A DIZER