ARGENTINA: Senhores fãs do governo de Cristina Kirchner, façam o favor de ler este material e, se puderem, explicar os fatos nele contidos

Os Kirchner em uma manifestação em Buenos Aires, em 2008 (Foto: Leo La Valle / EFE)

Amigas e amigos do blog, quando critico o governo autoritário, demagógico e nada transparente da presidente Cristina Kirchner na Argentina não me faltam críticas.

Então, dirigindo-me à parcela — pequena, é verdade — de leitores que admiram a ilustre governante do país vizinho, peço que leiam o material abaixo, baseado em números oficiais, sobre como, em nove anos, o exato período em que está no poder primeiro com o marido, Néstor, e depois com a presidente, o patrimônio da família aumentou exatamente onze vezes.

Sem contar, como verão, os valores ridículos, absurdos, fictícios pelos quais foram declarados vários bens.

Aproveitem para constatar porque Cristina não gosta nem um pouco do jornal La Nación.

Do site de VEJA

O patrimônio da família Kirchner aumentou de cerca de 7 milhões de pesos argentinos para aproximadamente 82 milhões de pesos argentinos (3 milhões a 35 milhões de reais), entre 2003 e 2011, segundo matéria publicada nesta segunda-feira pelo jornal argentino La Nación.

Segundo o jornal, que cita números apresentados apresentados pelos Kirchner à Secretaria Anticorrupção, o patrimônio de 89,3 milhões de pesos argentinos é reduzido por uma dívida de quase 7 milhões contraída com uma empresa da qual a presidente Cristina Kirchner é acionista, a companhia que controla um hotel de luxo na Patagônia. O patrimônio inclui 12 apartamentos, seis casas, seis terrenos, ações e depósitos em dinheiro, entre outros bens.

A publicação afirma que o patrimônio seria ainda maior se os imóveis fossem declarados com o preço atual de mercado – algumas residências em Río Gallegos, região natal da família, foram declaradas com valores entre 4 mil e 5 mil pesos argentinos (algo entre 1,72 mil e 2,15 mil reais).

Leia mais:

Oposição diz que governo precisa ouvir reclamações de manifestantes
Cristina Kirchner herdou 31 milhões de pesos de seu marido

O grande salto no patrimônio dos Kirchner foi registrado em 2008, aponta o jornal. Naquele ano [primeiro do primeiro mandato de Cristina como presidente] o casal passou a declarar 63,5 milhões (contra 26,5 milhões do ano anterior).

Desse total, 14 milhões resultaram da venda de propriedades que antes haviam sido declaradas a preços irrisórios. Foi também o período em que foram criadas as duas empresas dedicadas ao ramo da hotelaria.

Leia também:
Cristina agora quer saber qual jornal os argentinos leem
Presidente fala na TV pela 17ª vez no ano e irrita argentinos

A maioria das propriedades foi adquirida entre os anos de 1977 e 1982, durante a ditadura militar, quando estudavam direito. Os Kirchner eram representantes de bancos e financeiras dedicadas a realizar cobranças extrajudiciais, lembra o La Nación.

O patrimônio cresceu de maneira exponencial graças aos dividendos provenientes das propriedades do casal, principalmente oriundos de aluguel. Durante o governo de Néstor Kirchner, o casal adquiriu 18 propriedades em Santa Cruz [província do sul da qual Río Gallegos é a capital].

Meses antes das eleições de 2007, quando Cristina sucedeu o marido, outros dez apartamentos foram comprados pelo casal em Río Gallegos. Pouco depois das eleições, 14 imóveis foram vendidos.

Em uma palestra em Harvard, em outubro, ao ser questionada sobre o aumento de seu patrimônio [algo dificílimo de ocorrer em seu país, porque Cristina não concede entrevistas à imprensa], a presidente disse que ele resulta de seu passado como “advogada de sucesso” e de seu presente como “mandatária de sucesso”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − um =

Nenhum comentário

  • Mauro Pereira

    Caro Ricardo Setti, boa tarde.
    Caro amigo, todo governante que tem como objetivo principal calar a imprensa quer, na verdade, esconder as suas ilicitudes, normalmente, às pencas.
    É por isso que Cristina odeia o “La Nacion” e Lula sonha em destruir “Veja”.
    A título de colaboração com a Comissão da Verdade, eu proponho que seja investigado o crescimento patrimonial de todos os ex-presidentes, desde Castello Branco até Lula da Silva, inclusive parentes e laranjeiros. Creio que seria bastante esclarecedor.

  • carlos eduardo

    Prezado Ricardo

    A sugestão do Mauro Ricardo é perfeita , eu gostaria de acrescentar que a investigação do crescimento patrimonial deva começar no governo Kubitschek , as bandalhas na construção de Brasilia fariam o mensalão parecer “piada de salão”.

  • ORF

    Ricardo, nao eh surpresa, todos os governos que se dizem progressistas ou de esquerda, na AL, tem na cabeca tipos como a Cristina. Recentemente li que ate o indio boliviano enriqueceu. Neste caso, sim, ate me surpreendi (pero no mucho). Faco votos que a Veja e outros veiculos que tenham compromisso com a verdade, continuem investigando como evoluiu o patrimonio dos governistas da vez, a comecar com o supremo chefe da gang do mensalao, conhecido tambem por nunca-antes-neste-pais. Ah, bom lembrar o que mencionou o Mauro Mendonca, icluir parentes e laranjeiros.

  • José Carlos

    Essa esperta presidente dos hermanos deve ter feito o mesmo curso de enriquecimento rápido que o filho deo Lulla fez. E parece que aqui como lá, a Justiça e a Curadoria do Patrimônio Público tem o mesmo valor, ou seja, nenhum.

  • Angelo Losguardi

    Estou ouvindo o som dos grilos nos comentários desse artigo… Cade os tradicionais defensores de ditaduras? rsrsrsrs

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Na Argentina o número de jornais aumentaram – seria interessante a análise não apenas do Clarin e La Nacion,jornais de oposição, que tal a diversificação?
    Assim para mim é crítica dirigida.
    Pedro Luiz

  • ZE BOQUINHA

    La como ca, eles so se descobrem ronaldinhos dos ne-
    gócios depois de assumir cargo público.
    Na iniciativa privada, são uns debilóides, que vivem
    apenas de salários, mas no poder, viram feras. Por-
    que sera? Se for averiguar o patrimonio dos políticos
    de toda a America Latina, veremos que este esquer-
    dismo é pura vigarice. Os otários que acreditem.

  • moacir

    Setti,
    Cristina não é auto sustentável.A Argentina não é a Venezuela.Los hermanos são combativos.

  • Fernando X

    “Mandatária de sucesso”, tá explicado.
    E o lulla lá, qual será o patrimonio dele?

  • Caio Frascino Cassaro

    Prezado Setti:
    Os que admiram a presidente não vêem no fato nada demais. Como não vêem nenhum problema no fantástico enriquecimento do Lulinha, que passou de guia do Jardim Zoológico de São Paulo a criador de gado de raça em alguns anos. Recebia uma mesada de Daniel Dantas de R$100.000,00/mês e depois vendeu a poderosa Gamecorp, que tinha um ano de vida, por R$5.000.000,00 de reais para a Telemar, hoje Oi, em mais um escândalo do Lulopetismo. É o capitalismo companheiro, a burguesia do capiral alheio que se locupleta no poder enquanto um bando de trouxas fica se batendo por essa súcia nos blogs da vida. São os tais tolos ideológicos que junto com as penas pagas, os chamados oportunistas fisiológicos, fazem o papel das SA nazistas, vigiando, caluniando e ameaçando quem divirja projeto de poder do nazi-petismo.
    Um abraço

  • arilson sartorato

    EM TODAS AS LIVRARIAS DE BUENOS AIRES,TEM UM LIVRO CUJO TITULO É ‘ CRISTINA A LULA DE SAIAS’,SE FIZERMOS UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS DOIS,VEREMOS A MESMA COISA,OU SEJA: DEMAGOGIA,POPULISMO,ENRIQUECIMENTO ILICITO,ENGANAÇÃO DAS CAMADAS IGNORANTES DA SOCIEDADE,TENTATIVA DE SE PERPETUAREM NO PODER,IDOLATRAÇÃO A CHAVEZ E A FIDEL,ENFIM LÁ TEM A ETERNA VIÚVA IMITADORA BARATA DA OUTRORA POPULISTA EVITA PERON,AQUI TEMOS O ETERNO IGNORANTE QUE NUNCA TRABALHOU NA VIDA.

  • AlexRio

    Eu não teria muito o que dizer, já que não tenho como aferir os dados colocados. É preciso ficar claro que saem do La Nacion, o parceiro ideológico do Clarin, os dois inimigos mortais do governo. Não digo que seja mentira ou exagero ou distorção, seria apenas interessante, como sempre, “ouvir o outro lado”.
    Vai ter o ‘outro lado’ aqui pra gente poder ter uma posição sobre a coisa toda, já que o assunto não é do nosso dia a dia?

    Que dia sai o post sobre as conclusões da FAO sobre a pobreza na Venezuela? Eu gostaria de ler de tudo aqui, seria melhor maneira da gente ir processando informação e fazendo o julgamento pessoal da situação geral nestes paises …. fica a sugestão ao Setti…


    O “outro lado” está se manifestando em comentários, visivelmente orquestrados, porque todos na mesma direção.
    E este é um blog de opinião. Escolho os temas que me dão na telha.

  • AlexRio

    Angelo Losguardi – 13/11/2012 às 23:55
    “Estou ouvindo o som dos grilos nos comentários desse artigo… Cade os tradicionais defensores de ditaduras? rsrsrsrs”

    Creio que defensores de ditadura aqui são os que pensam como vc, afinal, alguma duvida de que vc bateria palmas como uma foca se algum desses governos eleitos fosse derrubado pelas armas?

    E nem precisa ser pelas armas, não tenho a menor duvida de que vc é um ardente apoiador do atual governo democratico do Paraguai, onde por sinal, o tal vice tornado presidente não soube como explicar os 660 mil dólares de patrimônio a mais em tres meses de governo … Tudo bem, 600 mil dálares é coisa de ladrãozinho barato, concordo, deixa pra lá…

  • Reynaldo-BH

    Os dados são reais e comprováveis.
    Até lá a imprensa será a culpada?
    Meu amigo Pedro cita que deveria-se ver as “interpretações” dos ditos jornais de oposição. Muitos próximos dos que a Folha de São Paulo descobriu em São Caetano: 4 jornais financiados com verbas oficiais e que sequer existiam.
    Mas não se trata disto. Quais “interpretações” se pode dar para o fato que um patrimônio foi inexplicavelmente aumentado? Que este período corresponde aos mandatos dos K?
    Crítica dirigida, Pedro? Não é exagero seu? Que crítica pode ser dirigida quando se expõe este descalabro?
    É fruto do fato de ser uma “mandatária de sucesso”?
    Fico por aqui. Parece o José Celso, diretor teatral genial, que discordou da condenação de Zé Dirceu como um argumento malufiano. Segundo José Celso: “Sou contrário a prender as pessoas por corrupção. Melhor exigir que devolva o roubo e deixe o cara solto!” (FSP – ontem). É a continuidade do axioma malufiano: “Tá com vontade? Estupra, mas não mata!”
    Aumento explosivo de fortuna é agora derivado de ser “mandatária de sucesso!”
    Alguém precisa mesmo interpretar mais alguma coisa?

  • Therese

    Se gritar pega ladrão….

  • Angelo Losguardi

    Carapuça é um troço terrível rsrsrsrsrs

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    ReynaldoBH:
    Lamento mas a verdade nunca tem um lado só – fui acostumado ao contrario dos 3 macaquinhos – a olhar,escutar e ver.
    Abraços
    Pedro Luiz

  • Luiz Pereira

    Pedro Luiz Moreira Lima, td bom?
    Vai falar pro Leão do IR que a verdade “nunca tem um lado só” pra ver o que te acontece.
    A verdade da matemática só tem um lado. Ou os números fecham ou não fecham.
    É disso que se trata: evolução patrimonial.
    Se a Knalhada tem reparos que o faça. Existirá para eles maior deleite que contradizer, com números exatos, o Clarin e La Nacion?
    abs

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Luiz Pereira:
    Mesma resposta que dei ao ReynaldoBH – n]ão existe verdade única,não existe opinião única – sou contrario aos 3 macaquinhos – Vejo,Escuto e Falo.
    Clarin e La Nacion os satisfazem – bom uso – vocês me fazem lembrar os 3 macaquinhos – Não Vejo,Não Escuto e quando falo vejo só meu mundo.
    Pedro Luiz

  • Luiz Pereira

    Pedro Luiz Moreira Lima,
    E eu continuo afirmando que problemas matemáticos só têm um lado.
    Os Knalhas acumulam têm evolução patrimonial incompatível ou compatível? – é uma questão matemática saber se adequada a realidade dos ganhos.
    Se estes dois jornais, apenas, é que publicam tais matérias, é o caso de pensar os motivos. O que já é outra coisa.
    Aliás, o fato de só existirem dois jornais de oposição (é legal poder ser oposição na Argentina, suponho, ao menos enquanto a Constituição não for alterada) revela que apenas dois jornais não foram parar no bolso dos K.
    abs

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Luiz Pereira:
    Falo de pessoas e você de matemática – siga sua lógica e eu a minha.
    Clarin e la Nacion foram jornais da ditadura argentina e para mim esta matemática é criminosa.
    Não vamos debater naquilo que discordamos profundamente – sua verdade é matemática e a minha nunca se vai pela lógica.
    Grande abraço
    Pedro Luiz

  • Luiz Pereira

    Pedro Luiz Moreira Lima,
    Não distorça as minhas palavras. Acumulação e evolução patrimonial são coisas matemáticas. Ou se justifica mediante entradas de dinheiro (legal) ou não se justifica.
    Seria fácil para os K demonstrarem isso.
    Sobre se estes jornais, lá em 76 terem apoiado o golpe militar argentino… Por este viés, todos os grandes jornais do Brasil de hj estariam contaminados pelo mesmo mal, já quem 64 apenas a Última Hora ficou com o Jango.
    Hj, por lá, parece que é o contrário. Apenas estes 2 jornais se opõem ao cerco que tenta impor CK. Não é irônico? Apenas estes dois meios de comunicação não permitem que haja uma unanimidade jornalística em torno dela?
    abs

  • freed

    Qualquer semelhança com a familia Lula da Silva é mera coincidência.

  • AlexRio

    Angelo Losguardi – 14/11/2012 às 19:08 Fugiu da raia, ficou na ironia ..

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Luiz Pereira:
    Respeito você e sua opinião,aos dois jornais NÃO!
    Assim por mim encerrado o debate.
    Grande abraço
    Pedro Luiz

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Luiz Pereira:
    Em relação a Grande Imprensa do Brasil,sempre foram e continuam golpistas,existem dentro dela ainda jornalistas que lutam e dão opiniões contra o golpismo dos seus patrões.
    Crédito que dou aos seus editoriais?ZERO.
    As suas manchtes?ZERO é nas entrelinhas das mesmas manchetes que esta a verdade deturpada e escondida.
    Infelizmente o triste papel da Grande Imprensa quando se tornaram Grandes Corporações de Negócios – Tudo na defesa do Grandes Negócios – a VERDADE isto é APENAS UM DETALHE.
    Grande abraço
    Pedro Luiz

    Pedro, um cara inteligente como vocÊ não deveria repetir esses chavões vazios. Estou na “grande imprensa” há mais de 40 anos e constato que, de fora, a imaginação de certas pessoas corre fértil.
    Nunca ouvi de um patrão da grande imprensa, de nenhum, uma ordem calhorda — é um testemunho que dou aqui pra você.

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Querido Setti:
    Mantenho a mesma opinião que fiz e as ressalvas a jornalistas que não se dobram ao golpismo mediático – e entre estes poucos, o INCLUO!
    Grande abraço e admiração pela sua postura de oposição nunca de golpista.
    Pedro Luiz

  • Luiz Pereira

    Setti,
    Corroborando seu testemunho, a capa do JB no dia seguinte a edição do AI 5, não foi coisa de quem apoiava o regime.
    Os espaços em branco denunciando matérias censuradas, tática empregada pelo Estadão, depois substituída pela publicação de trechos de Os Lusíadas, idem.
    Roberto Marinho, que empregava comunistas as pencas em sua redação (vide Henrique Caban, talvez o mais notório deles) sofreu um atentado a bomba em sua casa, em 76.
    No período Geisel, MF Nascimento Brito foi chamado às falas por Hugo Abreu, Chefe do Gabinete Militar. Se o JB não moderasse, iam cortar toda a propaganda oficial, justamente no período em que o jornal estava se modernizando.
    Dizer que os “jornalões” não sofriam pressão é estranho, nesse contexto.
    abs

    Não testemunhei esses fatos mencionados por você no JB durante o auge da ditadura porque, quando lá comecei um felicíssimo período de minha carreira, o regime militar tinha acabado.

    Mas o jornal foi dirigido (e modernizado) de 1962 a 1974 por um dos grandes da imprensa brasileira, Alberto Dines, responsável, entre outras peças históricas de resistência, por essa primeira página no dia seguinte ao famigerado AI-5.

    Trabalhei no JB de 1986 a 1990, e durante esse período o jornal foi um severíssimo crítico dos equívocos e bobagens do governo Sarney, cobriu de forma crítica a Constituinte e abrigava articulistas de todas as tendências políticas possíveis e imagináveis.

    Eu mesmo, como diretor do JB em São Paulo, recebia, para enviar ao Rio, textos, entre tantos outros, do professor e então deputado do PT Florestan Fernandes, que era trotskista — e, diga-se, um cavalheiro impecável.

    Posso lhe assegurar que tínhamos absoluta e total liberdade de trabalho no jornal, dirigido por um dos maiores jornalistas e uma das pessoas mais decentes que conheci na vida, Marcos Sá Corrêa.

    Abraços

  • Luiz Pereira

    Setti, bom dia,
    Vejo de vez em quando o Marcos Sá Correa no Jardim Botânico, onde sempre levo a minha filha.
    Ele tb deve adorar aquilo.
    abs

  • PeCam

    Caro Setti,
    Para mim, notícias como essa apenas corroboram a opinião que já tenho sobre a tentativa de amordaçar a imprensa oposicionista na Argentina, tal como vem acontecendo na Venezuela. Temo, também, pela nossa imprensa diante dos ataques frequentes de partidos como o PT e suas pretensões de estabelecer o tão sonhado (por eles, claro) “controle social da mídia”. Abcs.

  • Camilo castro

    Você diz que não quer me ofender, mas ofende minha integridade profissional da primeira à última linha de seu “comentário”.
    É claro que não vou publicar.

  • Camilo castro

    Igualmente lhe agradeço ter lido e respondido ele. Já mostra algo de integridade.
    Obrigado, bom final de semana.

    “Algo” de integridade? Você tirou o dia para ofender a quem não conhece? Só publico mais esse insulto para os leitores verem com que tipo de problema tenho que lidar.