Image
Imagem das “gavetas de recordações” do site bancoderecuerdos.com

“Mais de 100 milhões de pessoas poderão perder suas recordações até 2050 caso as pesquisas sobre Alzheimer não avancem”.

Este terrível alerta disfarçado de slogan foi um dos motes da campanha espanhola 2011 – Ano Internacional de Pesquisa sobre o Alzheimer, encabeçada pela Fundação Rainha Sofia, dirigida desde 1977 pela rainha da Espanha em Madri, e a Fundação Pasqual Maragall, criada em 2008 em Barcelona pelo ex-prefeito da cidade, grande responsável pela revolução urbana ligada às Olimpíadas de 1992, que, embora ativo e participando de cerimônias públicas, há pelo menos quatro anos sofre da doença.

“Gavetas” de memórias virtuais

Mas nem só de perspectivas pessimistas foi composto trabalho promocional da iniciativa, que teve seu ponto alto em congresso internacional realizado em 22 e 23 de setembro em Madri.

A ideia mais bela e criativa, elaborada pela agência Contrapunto BBDO, é o site bancoderecuerdos.com, ou seja, um “banco de recordações” virtual para simbolizar o combate à perda de memória desta doença neurológica sobre a qual ainda se conhece muito pouco.

O sítio funciona de forma muito simples e é aberto a quem quiser participar, de duas formas: ou gratuitamente, com o internauta escolhendo uma “gaveta”, preenchendo-a com seus dados e “doando” qualquer tipo de memória sobre sua vida, em formato texto, e/ou foto e/ou vídeo; ou então “apadrinhando” alguma recordação específica.

Neste caso, contribui com uma quantia em dinheiro variável – de acordo com as diferentes faixas estipuladas pelo site, a partir de 1,20 euro (perto de 3 reais) – que é repassada a centros de pesquisa sobre o Alzheimer.

Após os primeiros quatro meses do site no ar, 24 mil pessoas já haviam colaborado.

Image
Recuerdo 9102, Gafas blancas

Uma rápida navegada pela página onde ficam armazenadas estas gavetas leva o visitante a desde relatos singelos sobre a maternidade (diz uma certa Vanessa, por exemplo: “nunca esquecerei a primeira vez que vi minhas filhas”) a lembranças olfativas da infância (de Laura R, que cita o cheiro de “omelete e pêra” dos jantares na casa de sua mãe), passando por casais que publicam fotos se beijando. Enfim, vale tudo.

Alguns famosos, como o treinador da seleção espanhola Vicente Del Bosque, colaboraram com a campanha de deixando seus recuerdos.

Na televisão

Também foram produzidas peças televisivas com o objetivo de atrair a atenção das pessoas para como se sentem os doentes de Alzheimer. Esta é a melhor.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × três =

5 Comentários

José Américo C Medeiros em 11 de dezembro de 2011

A parte do Boinc destinada a pesquisa de novos medicamentos está na seção "Rosetta": "Rosetta@home precisa de sua ajuda para determinar as formas tridimensionais de proteínas, em uma pesquisa que pode levar a encontrar curas para algumas doenças humanas importantes. Executando o programa Rosetta em seu computador quando não o estiver utilizando, você nos ajudará a acelerar e a expandir a nossa pesquisa de formas que não poderíamos conseguir sem sua ajuda. Você também estará nos ajudando em nossos esforços de projetar novas proteínas para combater doenças como Aids, Malária, Câncer e Mal de Alzheimer (Veja Pesquisa Sobre Doenças para mais informações). Por favor una-se a nós em nossos esforços! Rosetta@home não tem fins lucrativos" http://boinc.bakerlab.org/ Caro José Américo, veja você, este comentário estava retido como "spam". Aqui está, liberado. Abraço

José Américo C Medeiros em 11 de dezembro de 2011

O Blog parece estar ainda com problemas, este é o terceiro que escrevo, os anteriores não aparecem. Eu escrevi: "Iniciativas como essa nos fazem acreditar que a humanidade ainda possa encontrar os bons caminhos. A propósito, o Projeto Boinc utiliza computadores voluntários, e com acesso à Internet, para pesquisas diversas, desde a física e a procura por inteligências extraterrestre, a doenças, como o AIDS, Malária, Alzheimer, Câncer, entre outras. Desde o ano 2000 faço parte voluntariando o tempo ocioso do meu computador. Grandes resultados foram conseguidos em todas as áreas, e novos medicamentos foram possíveis graças à essa rede solidária". http://boinc.berkeley.edu/ Caro José Américo, Parabéns pelo seu voluntariado, tão raro -- já foi mais -- em nosso país. Os blogs estão com os problemas quase resolvidos. Estou com atraso na mediação dos comentários por excesso de acessos num domingo meio atrapalhado para mim. Um abração

José Américo C Medeiros em 11 de dezembro de 2011

São iniciativas como essa que nos fazem ainda confiar na humanidade. Para lembrar, o Projeto BOINC utiliza computadores voluntários (desde que conectados à Internet)para a pesquisa de diversos temas, incluídas doenças como o AIDS, Malária, Câncer e Mal de Alzheimer. http://boinc.bakerlab.org/ Caro José Américo, Este comentário também estava retido como se fosse spam. Eu confiro a todo momento a caixa de spams porque uma pequena parte do material ali retido não é spam, e então é restaurado para ser publicado. Abração

Teresinha em 10 de dezembro de 2011

São iniciativas muito humanas (parece até ser estranho falar isto atualmente). O vídeo é, pela simplicidade e objetividade,tocante!

Reynaldo-BH em 10 de dezembro de 2011

Amigo Setti, sem palavras. Mesmo. Impactante e emocionante. De trazer lágrimas aos olhos. Só posso repetir aqui o que postei em meu Facebook. ........................... Para a galera de publicidade daqui do espaço. Joana ,Vinicius, Yasmin, Débora, Daniele e demais amigos. Publicidade quando alia genialidade a um objetivo social, transforma um filme de TV em obra de arte. Não pelo requinte da filmagem, mas pela força da mensagem e acerto do tom certo do que quer se passar. Esta é uma campanha da Espanha de apoio às famílias que tenham um portador de Azheimer. E o que sente um portador da mesma. Eu a julgo somente GENIAL. Emocionante. Copiado do site de Ricardo Setti. ..............................

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI