Image
Dominique Strauss-Kahn com a mulher, Anne: vitória jurídica na acusação de ter cometido crimes sexuais não é vitória moral (Foto: VEJA)

O ex-diretor-gerente do FMI Dominique Strauss-Kahn, que escapou de ser condenado à prisão em Nova York por crimes sexuais pelo que a própria promotoria considerou falta de credibilidade da camareira de hotel que o acusou, a guineense Nafissatou Diallo, de 33 anos, está solicitando agora, por intermédio de seus advogados, que a Justiça arquive o processo civil movido pela jovem. Diallo está solicitando uma indenização por danos morais cujo valor não foi revelado.

Talvez o ex-diretor do FMI e ex-aspirante à candidatura a presidente da França pelo Partido Socialista devesse dar-se por satisfeito por escapar da cadeia.

Pois, bem lido em sua extensão, o documento em que o promotor de Manhattan Cyrus Vance Jr. pede à Justiça a retirada das acusações contra Strauss-Kahn não é propriamente uma peça que glorifique o poderoso político francês.

Vejam esse trecho: “As provas físicas, científicas e outras estabelecem que o acusado participou de uma relação sexual apressada com a demandante [Diallo], mas isto não estabelece de forma independe o que, segundo ela, foi uma relação forçada e não consentida. (…) Nossa grande preocupação sobre a credibilidade da demandante torna impossível responder à pergunta sobre o que aconteceu, exatamente, na suite do hotel do acusado no dia 13 de maio de 2011 e, portanto, impedem que se mantenha o processo [em andamento]”.

Strauss-Kahn deveria ter lido, se não leu, um trecho do que publicou a seu respeito, no jornal The New York Times, o advogado e escritor Jeffrey Toobin, que atua como analista de questões jurídicas para a rede de televisão CNN e a revista The New Yorker: “Uma camareira aparece em sua [de Strauss-Kahn] suíte de hotel e pouco tempo depois – talvez 10 minutos, talvez um pouco mais – estava cuspindo seu sêmen no corredor. É difícil imaginar uma hipótese que não reflita outra coisa que não seja a desonra, se não a culpabilidade delitiva, por parte desse homem proeminente. Sua vitória jurídica não deveria confundir-se com uma vitória moral”.

Condenei, em posts anteriores, a pressa com que parte da imprensa crucificou o ex-diretor do FMI, mas não posso deixar de concorcar com Toobin. Strauss-Kahn, ao que tudo indica, está no lucro e — ainda mais que é um homem riquíssimo, proprietário, inclusive, com a mulher, Ann Sinclair, neta e herdeira de um dos maiores marchands do mundo, de um palácio no Marrocos — deveria deixar o processo civil correr.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete − 1 =

11 Comentários

Petista arrependido em 13 de setembro de 2011

Ricardo, Esse Strauss-Kahn é um canalha da pior espécie. Deveria sair de mãos dadas com o Berlusconi. Eles se merecem!!!

Paulo Bento Bandarra em 13 de setembro de 2011

Pessoas que não são "essa gente", não praticam sexo com camareiras "barangas". Acho que "esta gente" não cai de quatro quando enxerga velhos barangos em hotéis. Se fosse um Cristiano Ronaldo, um Gianequini, daria para se pensar em acreditar. Em todo o caso, quem está com um PROCESSO NAS COSTAS é o EX-candidato a presidência da França, com várias acusações semelhantes na sua terra natal. . O.J. Simpson se livrou da acusação de ter matado a esposa e foi condenado na civil por ter sido provada a sua culpa.

patricia m. em 12 de setembro de 2011

Paulo: vc entao acha que a camareira mentirosa (mentiu ate para a imigracao americana, depois mentiu que foi estuprada) merece uma graninha? "Essa gente" merece levar PROCESSO NAS COSTAS, para aprender a mentir e achar que vai acusar os outros IMPUNEMENTE. Pode ser assim la na Africa dela, mas nos Estados Unidos, meu bem, acusou TEM QUE PROVAR. E a baranga, como disse o outro, nao tinha prova nenhuma. Tinha era resto de semem na boca. Belissimo o desfecho do caso.

J.R.Monteiro em 12 de setembro de 2011

Esse processo tinha tudo para acabar como acabou. O coroa é mulherengo mas não é estuprador. Ele não estava armado, a baranga é maior, mais nova e possivelmente mais forte que ele. Estupro de que jeito? Quem guiou o "ceguinho"????????

Paulo Bento Bandarra em 12 de setembro de 2011

Poi é, TITO, o que o cidadão Strauss-Kahn acharia se sua mulher aliviasse a tensão do trabalho com "esta gente"!

TITO em 12 de setembro de 2011

O pior de toda essa situação é essa mulher ser conivente com o marido e ficar igual a palhaça sorrindo e apoiando as traições do velho playboy. Que vergonha para as mulheres do mundo!!!

Paulo Bento Bandarra em 12 de setembro de 2011

"Eh isso que essa gente merece." Vai ter certeza das coisas assim na casa ...

patricia m. em 12 de setembro de 2011

Setti, pois eu nao. Ao que tudo parece ele foi injusticado. Acabaram com a carreira dele por causa de um sexo oral consensual com a camareira do hotel. Eu se estivesse no lugar dele lutaria ate o fim para nao apenas terminar o processo civil, nao pagando nada a ela, mas ate mesmo processando-a por calunia e difamacao. Eh isso que essa gente merece. . Nao quis te chamar de esquerdalha social. Sao os esquerdalhas sociais que defendem o pobre-oprimido-tornado-ladrao-pela-forca-das-circunstancias. Voce pelo visto nao eh desses, acha apenas que o cara deu "sorte" e deveria pagar a mulher para nao ter dor de cabeca. "Pelo visto" não sou da "esquerdalha social"? Obrigado pelo condicional, Patrícia. Continue lendo o blog para você não ter dúvidas.

patricia m. em 12 de setembro de 2011

"Strauss-Kahn, ao que tudo indica, está no lucro e — ainda mais que é um homem riquíssimo, proprietário, inclusive, com a mulher, Ann Sinclair, neta e herdeira de um dos maiores marchands do mundo, de um palácio no Marrocos — deveria deixar o processo civil correr." . Leia-se: porque o cara eh rico, deveria dar um tantinho de dinheiro para a pobrezinha africana, nao importa se ela mentiu, caluniou, inventou estorias. Eh justica social. Pobre so rouba e mente porque precisa, de acordo com os esquerdalhas sociais. Nao porque eh mau-carater. Ôoooo, Patrícia, vejo você sempre por aqui. Você deve estar cansada de saber que não sou "esquerdalha social".

patricia m. em 12 de setembro de 2011

Por que ele deveria deixar o processo correr? A camareira obviamente esta querendo extorquir dinheiro. Ela tambem nao eh nenhum bastiao da moralidade. Ambos sao sujos e revoltantes, mas nem por isso torco por ela contra ele. Eu não torço por ninguém, cara Patrícia. À vista do que poderia ter ocorrido com Strauss-Kahn, que escapou por um fio, se fosse ele -- e Deus me livre -- eu ficaria quietinho.

Paulo Bento Bandarra em 12 de setembro de 2011

Por isto mesmo, sendo quem é, não tem a mínima explicação para o seu comportamento dentro de um hotel. Não é uma atitude esperada por uma pessoa de sua idade, sua posição social, sua posição no FMI e possível candidato a presidência de uma potência européia. Só se eu estou muito defasado na vida. Que a "Noblesse oblige" está totalmente obsoleta. Como você disse, infelizmente ele está no lucro.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI