Por Daniel Setti

Dica do amigo do blog Reynaldo, este vídeo extraído de um show da turnê “Treze Outubros”, do músico uruguaio-brasileiro Taiguara (1945-1996) no Anhembi, em São Paulo, em 1986 é um documento histórico-musical ao mesmo triste, hilariante e emotivo.

Triste porque mostra Taiguara relatando o chumbo grosso que enfrentou durante os piores anos da ditadura militar, entre o final dos anos 60 e a metade da década seguinte. Ele conta ter tido nada menos que 68 canções vetadas pela censura. Não à toa, em 1973 se exilou em Londres, passando em seguida por outros países europeus e africanos.

Hilariante porque antes de entoar a clássica balada “Que as Crianças Cantem Livres”, do álbum Fotografias (1973), o cantor explica como fez para ludibriar o ignorante trio de censores, a quem dá nome – Marina, Sá e Selma – na hora de fazê-los aprovar outra composição do mesmo disco, “Nova York”. Engraçado, Taiguara imita a cara perplexa de Selma à simples menção do termo “aliteração”.

E emotivo porque, tal qual indica o nome do show, Taiguara, levou 13 anos para poder cantar livremente suas canções, até que o fim da ditadura se consolidasse. Entre essas composições está “Que as Crianças…”, em cujos versos o autor reconhece o sombrio período, mas demonstra esperança por tempos melhores que, ao menos no quesito liberdade de expressão, por fim vieram: “E que o passado abra os presentes pro futuro/ que não dormiu e preparou o amanhecer”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 Comentários

Biba Fonseca em 26 de setembro de 2014

Boa tarde, Ricardo! Vi este post e gostaria te enviar o material sobre a biografia do Taiguara - "Os outubros de Taiguara", escrito por Janes Rocha - que a gravadora Kuarup está lançando, simultaneamente ao CD Ele Vive, com material inédito deixado pelo cantor. Você poderia, por favor, me passar um email para onde enviar este material? Obrigada, Biba Fonseca Vicente Negrão Assessoria Muito obrigado, prezada Biba. Mas não é nem necessário email. Agradeço a gentileza. Pode enviar o material para a Redação de VEJA -- Avenida Nações Unidas, 7221, 19º andar, CEP 05425-90. Um abraço!

Ãlvaro Saaraiva Viana em 19 de setembro de 2013

Grande Taiguara, brasileiro por escolha! Você viveu a liberdade mesmo na ditadura, lutou contra ela, sua luta não foi em vão. Como Moisés, não viste a Terra Prometida, mas a vislumbraste e isto fez você viver com alegria. Hoje ainda não somos livres, mas estamos a caminho. Onde estiveres receba nosso abraço fraterno.

Stanley Pontatlantica em 14 de setembro de 2011

Em 86 estamos falando do vice reinado de SayNey, então seria esse o "bigode que esta na moda", quando ele se refere ao "Seu Sá"? Taiguara, não só por conta de seu enorme talento e muito menos por ser um mártir da censura estúpida instaurada foi embora muito cedo, muito jovem e faz muita falta... inclusive pelo senso de humor. Enquanto isso, o bigode segue sendo pintado na cara de pau dos bandidos que sequestraram nosso país há mais de 50 anos. Por isso também que #EuVotoDistrital e acho ridículo o contorcionismo da campanha contra movimentos anti corrupção.

Stanley Pontatlantica em 14 de setembro de 2011

Em 86 estamos falando do vice reinado de SayNey, então seria esse o "bigode que esta na moda", quando ele se refere ao "Seu Sá"? Taiguara, não só por conta de seu enorme talento e muito menos por ser um mártir da censura estúpida instaurada foi embora muito cedo, muito jovem e faz muita falta... inclusive pelo senso de humor. Enquanto isso, o bigode segue sendo pintado na cara de pau dos bandidos que sequestraram nosso país há mais de 50 anos. Por isso também que #EuVotoDistrital e acho ridícula o contorcionismo da campanha contra movimentos anti corrupção.

Paulo Bento Bandarra em 12 de setembro de 2011

Marco, acho que Pol Pot, Hitler, Stalin, Fidel e Hugo Chávez diriam a mesma coisa, talvez sem a mesma propriedade. Lula, apedeuta, não tiraria uma vírgula. Abs . "Os vivos são sempre e cada vez mais governados pelos mortos". Túmulo do Dr. Júlio Prates de Castilhos, Cemitério da Santa Casa, Porto Alegre, com a frase enunciada por Augusto Comte. . "Os vivos são sempre e cada vez mais governados pelos mais vivos", parece do Zé Dirceu mas é do Apparício Torelly, o Barão de Itararé!

Marco em 12 de setembro de 2011

Amigo Setti, Caro Bandarra: Acho q temos q utilizar nossa memória como ponto de partida, não como ponto de chegada, viver voltado para ações de antepassados, como ilusão. Não gosto de cultivar na memória, lembranças de fábulas e mitos, acho q isso acaba desestruturando o intelectual,moral e espirito. Esse comportamento desses fatos antigos q se empenha em agir e dominar, tem q ser tratado como despotismo histórico com máscaras e personagens Centrais, q pode se constituir em um conta-senso intolerável. Acho q a humanidade tem q andar para frente e lembrar do passado apenas como um senso crítico. Em Suma alguns contam histórias outros preferem fazer a história. Abs.

Paulo Bento Bandarra em 12 de setembro de 2011

Caro Marco, "Aquele que não conhece história, está condenado a repeti-la" - já afirmava George Santaiana, pseudônimo de Jorge Agustín Nicolás Ruiz de Santayana y Borrás foi um filósofo, poeta e ensaísta espanhol, que trago em homenagem ao Setti na espanha. Além da nossa história, quando ela verdadeira, e não forjada pelas comissões da verdade para forjar a mentira, precisamos aprender com a experiência dos outros. Quando achamos banal que nossa política externa cultua ditadores e anti-democratas, já vemos que estamos indo no mau caminho. E quando o país se associa a eles então, depois de tudo que passamos, mostra que os nossos valores estão completamente errados. Não é da escuridão que acharemos a luz.

sidney em 12 de setembro de 2011

Setti Legal voltar no tempo que na verdade nao esta muito longe nee . Uma grata lembranca mesmo ; ele era e foi um GRANDE E EXCEPCIONAL ARTISTA !!! Saudades do cara !!! Grande abraco Ps; Da - censura ;meu DEUS , eee bom neim lembrar neee ; se bem que andam querendo mexer/controlar etc etc dinovo neee !!! estamos atentos ; e mais recentemente nas ruas inclusive ok

Marco em 12 de setembro de 2011

Amigo Setti: Bandarra, tu q é um profundo conhecedor d história,civilização e cultura. Temos duas realidades q se reportam a uma herança secular, remontando ao q foi, aos q já viveram. Te pergunto o presente teria q se espelhar nessas realidades, reviver o q já passou ? Ou seja passar o tempo presente contemplando, antiguidades perpétuas e conflito e degladiação de erros, sempre mais marcante do q acertos. Não sei, mas não acho representativo de uma civilização, e nem como acervo de cultura, ou exemplos e modelos de ação da humanidade. Isso para mim é quase uma típica doença histórica. Abs.

Paulo Bento Bandarra em 12 de setembro de 2011

Pois é, que tristeza aquela época. Pior que nossos guias atuais agora cultivam o apoio as ditaduras, falam fininho com elas ao redor do mundo e falam grosso com as democracias! Nossos atuais "guias" ambicionam também um controle social da mídia.Patriota está na Turquia apoiando o fundamentalismo e falando mal dos EUA. Se aqui era assim, imagina como deve ser em Cuba ainda hoje ou onde as FARCs "liberam"! As vozes que aqui gorjeiam, não gorjeiam pelas de lá!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI