Isso é que é folga, não?

Vocês viram que, no meio de 15.565 funcionários públicos em cargos de comissão demitidos pelo governador do Tocantins, Siqueira Campos (PSDB) em consequência de uma operação de peneira nas secretarias e órgãos estaduais, havia 3 mil que simplesmente não foram encontrados em seus locais de trabalho?

O problema foi comunicar a decisão para esse pessoal. Teve que ser a domicílio.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 − 1 =

Nenhum comentário

Jaciara de gurupi em 22 de janeiro de 2011

Parabèns Sr:Siqueira, voçê simplismente fez o correto,quem deseja trabalhar no estado e sò estudar e fazer concurso publico, esse negocio de ter um que te dar um contrato e nem necessita ir trabalhar e uma vergonha.Porque tem muita gente que tem profissao e nao podem trabalhar devido estas fraudes. Querido Siqueira Te amamos. Sou de Tocantins porem vivo em em Barcelona, mas no dia da eleiçao fui expresamente no consulado votar em voçê...Parabèns e siga com seu trabalho.....beijos...

marcos moraes em 20 de janeiro de 2011

Fez-me lembrar um caso no Proderj, o centro de PD do estado do Rio, na década de 80. Um cidadão foi buscar seu contra-cheque num processo de recadastramento dos funcionários e ao ser perguntado qual era seu cargo respondeu: Analista de ÔM e não analista de OeM. Pareceu até o Itamar falando URVi e demonstrando total intimidade com o Real... MAM

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI