Image
Punição da Conmebol: sem essa torcida para o Corinthians nos jogos em casa pela Libertadores — por enquanto, por 60 dias (Foto: Ag. Corinthians)

Amigas e amigos do blog, um dos melhores elencos de providências, se não o melhor, que li nesses últimos dias sobre o que fazer depois da tragédia ocorrida com o jovem boliviano morto por um sinalizador lançado pela torcida do Corinthians em Oruro é o sugerido pelo jornalista André Kfouri, da ESPN, em texto publicado no domingo passado no jornal Lance! e depois em seu blog.

Segue abaixo, com o título original em negrito:

CORAGEM E AÇÃO 

Não seria um despropósito excluir o Corinthians da Copa Libertadores de 2013, por causa do envolvimento de (pelo menos) um torcedor do clube na morte de um garoto num estádio boliviano.

Há situações que exigem que se trace uma linha, e esse momento chegou para o futebol sul-americano. Mas traçá-la é estabelecer uma fronteira, providenciar mudanças. Definir as diferenças entre o antes e o depois.

A eliminação de um clube, por si só, não seria suficiente.

Só há uma forma de honrar uma vida perdida: trabalhar para garantir que algo semelhante jamais acontecerá de novo. Multas, perdas de mandos de jogos e outras simulações nem iniciam a conversa. Vetar torcedores – como a Conmebol fez com o Corinthians – é muito melhor do que nada, ou o quase nada a que a confederação nos acostumou, mas também não funcionará. É um esparadrapo para um paciente que precisa de um transplante.

Apurar e contemplar responsabilidades, de todos, é a única maneira de nos lembrarmos de Kevin Espada, 14, morto por um sinalizador marítimo enquanto assistia a um jogo de futebol, como um símbolo. Do contrário, ele será mais um verbete da Wikipedia.

A memória de Kevin merece – e o futebol nesta parte do mundo pede urgentemente – uma revolução.

Revolução que só pode ser feita pela aplicação de medidas amplas, drásticas, corajosas.

O Corinthians, visitante, deveria ser excluído por causa da participação de seu torcedor.

O San José, mandante, deveria ser excluído pelo ocorrido em seu estádio.

A Federação Boliviana, organizadora do jogo, deveria ser punida pelas falhas de segurança.

E a Conmebol, organizadora do torneio, deveria ser proibida pela Fifa de realizar competições enquanto não apresentasse um caderno de providências para reformar a Copa Libertadores e a Copa Sul-Americana.

A Confederação Sul-Americana de Futebol é a principal responsável pelo que se vê em jogos no continente, há muitos e muitos anos.

As pedras nos vidros dos ônibus, a pressão sobre a arbitragem, o tratamento ao visitante, os gramados, as pilhas, os escudos, os sinalizadores.

A supervisão cínica de Nicolás Leoz estimula o vale tudo e lava as mãos quando a coisa foge ao controle.

Agora a Conmebol tem uma morte – dentro do estádio, sem situação de conflito – para considerar.

É absolutamente revoltante que o jogo entre San José e Corinthians tenha prosseguido, como se morrer em estádios fosse trivial.

Mais de doze horas depois, a Conmebol conseguiu divulgar uma nota de pesar endereçada não à família de Kevin Espada, mas ao presidente da Federação Boliviana, “pelo falecimento de um jovem” durante a partida.

Desfaçatez que não conhece limites.

Basta do juridiquês dos regulamentos, das punições preventivas, dos recursos.

Basta das posições clubistas, dos ataques e das defesas oportunistas.

Basta das relações políticas e promíscuas.

Basta.

É hora de pôr fim a atrocidades como a que se deu em Oruro. Que não aconteceu em outras noites, em outros lugares, simplesmente por sorte. Um menino de 14 anos morreu atingido por um foguete. Pode ter sido um acidente, mas não foi uma fatalidade.

Fatalidades são eventos que não podem ser evitados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 5 =

13 Comentários

juscelino em 03 de março de 2013

desfaçatez sem limites foi a dos vgdos da agremiação minimizar a morte do rapaz.. desfaçatez sem limites foi o falastrao boquirroto do tite botar o titulo **** da agremiação a disposição em troca da vida do rapaz de 14 anos..e que eu tenho certeza que se isso fosse possível ele nunca faria a proposiçao..

carlos nascimento em 03 de março de 2013

Ricardo, Como merecido registro : ZICO completa 60 anos, bem sei que Corintiano nunca homenageia Flamenguista - não sei a razão - mas... Zico bem que merece um post, além de excelente caráter, jogava muito. As vezes fico pensando, os deuses do futebol são enigmáticos, o Galinho de Quintino só não fazia chover no Maracanã, ganhou quase tudo no templo sagrado do futebol brasileiro, será um ídolo eterno do Flamengo, quis o destino que ele não tivesse o mesmo sucesso com a camisa AMARELINHA da Seleção brasileira, 78 na Argentina ainda estava amadurecendo, em 82 na Espanha com Telê, formava uma orquestra divina, Paolo Rossi não deixou que ele se consagrasse, em 86 no México, ainda com Telê, machucado, bombardeado que foi pela estúpida agressão daquele imbecil do Márcio do Bangu, jogou no sacrifício, acabou perdendo o fatídico pênalti contra a França de Platini, o castigo foi duro, acabando com o sonho do Galinho de ser campeão mundial. Nada apagará o brilho desse genial atleta. PARABÉNS ZICO. Caro Carlos, você está completamente enganado a meu respeito. Completamente. Aguarde.

Marco em 01 de março de 2013

Don Setti; Valeu e um abração para os dois!

Marco em 01 de março de 2013

Don Setti; Espero q o Leonel aprenda a interpretar com o cérebro, não com o sentimento. Não existe contradição em si q se diferenciam por tabelas de valores. Qualquer finalidade pode e deve ser investida. Abs. Ps- O Augusto Nunes continua meu amigo. Espero q sim. Valeu, meu caro Marco. O Augusto gosta muito de você. Ambos sempre falamos do amigo gaúcho que é firmeza total no nossos blogs. O problema é que ele anda atolado, porque a revista impressa pede coisas e ele ainda precisou fazer duas palestras esta semana. Abraço grande

hamilton em 01 de março de 2013

Ricardo os sinalizadores continuam, ver o jogo do REAL X BARCELONA esta semana, só mesmo uma atitude como a do texto acima poderia resolver parte do problema, o resto é somente com educação a este povo.....

leonel em 01 de março de 2013

Sugiro que o marco aprenda a ler. Quando fizer isso, saberá que a ação não questiona o patrocínio da CEF ao Figueirense e ao Avai, pois ao patrocinar duas equipes da mesma cidade, mantém equilíbrio. Mesmo caso do patrocínio do Banrisul à dupla grenal. E vale lembrar que o banco também patrocina várias equipes do interior e os campeonatos da segunda e terceira divisões, por isso, não favorece um clube de maneira escandalosa como o contrato político da cef com o curintias...

Marco em 01 de março de 2013

Don Setti; Tu viu a banca do Advogado gremista, contra o patrocínio da CEF, q tb faz a outro 5 times no Brasil. Vou te contar, o detalhe é q ele não considera o Banrisul patrocinador do Grêmio como estatal, então, é o q ? Abs. Não estou ao par do caso, meu amigo Marco. E confesso que não me lembro mais se o Banrisul foi privatizado ou não. Pelo jeito, não, né? Se assim for, e não o considerarem estatal, em que país estamos?

leonel em 01 de março de 2013

Sim, o texto tenta distribuir a culpa, a retirando do clube da mídia e sua torcida, a mesma que ano passado saqueou e depredou restaurantes no Oeste do RS, quando se dirigiam para Buenos Aires, além de terem agredidos proprietários e funcionários desses estabelecimentos. Se fosse outra torcida, a imprensa cairia em cima exigindo punição, mas como se trata da torcida do clube da mídia , as manchetes eram "Tite chora"; "Edu lamenta...

RUY em 28 de fevereiro de 2013

Caro Ricardo, Também acho que já passou da hora de se tomarem medidas muito rigorosas para impedir esse tipo de insanidade. Agora foi uma jovem vida suprimida pela selvageria de alguns imbecis. Confesso, entretanto, que não tenho muitas esperanças. Basta ver dois fatos que ocorreram em seguida: 1) logo no jogo seguinte da Libertadores, dessa vez no Uruguai, as torcidas dos times que jogavam entraram em conflito, com paus, pedras etc., apesar da suspenção imposta ao Corintians; 2) tendo a Conmebol aplicado, preventivamente, ao Corintiams, a sanção de jogar com os portões fechados, um juiz de São Paulo concedeu a cinco torcedores uma liminar que lhes garantiu o direito de ingressar no estádio. Isso, segundo o noticiário, a pretexto de aplicar o Estatuto do Torcedor e o Código de Defesa do Consumidor. Com decisões desse tipo - que se arvoram o direito de se sobrepor aos regulamentos de competições esportivas internacionais - será muito difícil coibir a violência e o vandalismo nos estádios. Por exemplo: eventual proibição das torcidas organizadas poderia ser interpretada por um torcedor travestido de juiz como ofensiva ao princípio de isonomia e à liberdade de associaçao e expressão dos respectivos integrantes. A tal liminar concedida por aquele juiz poderá, inclusive, acabar por causar o agravamento da punição final a ser aplicada ao clube, pois a Fifa não admite a interferência dos judiciários nacionais no cumprimento das normas que regulamentam as competições internacionais. O Corintians poderá, por causa da presença dos quatro gatos pingados que e entraram e constituiram a "torcida" do "timão", ser eliminado da Libertadores, ou, no mínimo, perder os pontos que conquistou em campo. Afinal, a sanção aplicada proibia o ingresso de qualquer torcedor (essa, com certeza, foi a razão pela qual os dirigentes do Corintians tentaram convencer os quatro a abrirem mão do seu "direito" de entrar no estádio). Passar por cima da tíbia punição aplicada não ajudará, em nada, a combater a violência nos estádios e evitar novas tragédias. O torcedor que vir seu time eliminado de um torneio como a Libertadores por conta da violência há de pensar duas ou mais vezes antes de tomar qualquer atitude capaz de provocar novos prejuízos ao clube. E ainda há dirigentes que alegam não se dever prejudicar a agremiação ou toda uma torcida pela atitude de poucos. Em seu cinismo parecem desconsiderar o caráter irremediável do prejuízo sofrido pelo menino morto. Ninguém lhe poderá devolver a vida. Um abração.

alberto santo andre em 28 de fevereiro de 2013

JA A ALGUNS ANOS COM A INTERFERENCIA CADA VEZ MAIOR DA CBF NA COMENBOL,ESTA COMECOU A TORNAR-SE TAO MEDIOCRE ASSIM COMO FICOU A FIFA ,A PARTIR DE JOAO HAVELANGE,COM POLITICAGEM DE BAIXO NIVEL, SEM NENHUMA MORAL PARA QUE SE ATINGISSE O OBJETIVO,...

carlos nascimento em 28 de fevereiro de 2013

Grande Ricardo, Vejo que vc começa a focar também no poço do futebol, esse lodo fede, acho que isso já seja efeito de sua permanência in-loco, uma coisa é morar em Barcelona, outra é estar em São Paulo. Uma parceria com o Juca Kfoury daria bons posts, ele é um ícone do jornalismo esportivo, tem lá os seus defeitos - ser corintiano...rs.rs.rs - mas, a sua visão dos problemas do futebol mundial, batem com a minha visão. As MAZELAS do futebol, seja o brasileiro, sul americano, até mesmo o da europa, tem nome e referência, chama-se Blater, me diga, como Blater vai exigir coerência dos ratos, se come em mesmo prato..... fica difícil. O NEGÓCIO É A SOCIEDADE COLOCAR PRESSÃO NESSAS RATAZANAS.

Roberto Souza em 28 de fevereiro de 2013

Mais um que vai para a galeria dos seus textos irretocáveis.

Marco em 28 de fevereiro de 2013

Don Setti; Acabei assistindo ontem o jogo do Flu. Tem alguma notícia sobre a atuação do Pato, ontem? Sou fã do futebol dele. Abs. Grande Marco, o Pato está entrando em forma física, jogou muito bem e fez um dos dois gols. Foi substituído no meio do segundo tempo porque estava cansado. Abração

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI