Três ex-presidentes e 28 governadores no Senado. E daí?

Renovado em dois terços de seus 81 integrantes, o Senado da República que tomou posse ontem impressiona, à primeira vista, pela representatividade e experiência de sua composição.

Abriga nada menos do que três ex-presidentes da República — José Sarney (PMDB-AP), Fernando Collor (PTB-AL) e Itamar Franco (PPS-MG) — e 28 ex-governadores de Estado. Jamais teve esse peso teórico em 121 anos de história da República.

Em outras paragens, sobretudo no país que inventou o presidencialismo e tem a mais antiga República em funcionamento, os Estados Unidos, seria algo extraordinário.

Aqui no Brasil, como sabemos, pode não significar nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × dois =

Nenhum comentário

  • jeff

    Em 2010 o golpe de estado em Honduras foi com o pretexto risivel que o presidente Zelaya queria se reeleger. Como a votação do projeto de supressão das clausulas petreas da costituição ocorreria conjuntamente com a eleição presidencial isso seria tecnicamente impossivel de ocorrer. Apenas o presidente eleito no pleito de 2010 poderia pleitear a reeleição. Porem como a midia acha que todo mundo é idiota nem se deram o trabalho de explicar isso aos leitores. Ficaram com a versão oficial do governo de fato. Já que gostam tanto da versão oficial tenho um noticia oficial. O atual presidente Porfirio Lobo conseguiu aprovar em janeiro (sem plebiscito)(via congresso) sua possibilidade de concorrer a reeleição. Mas não tenho ilusão nenhuma que os colunistas da nossa “gloriosa” midia atacará o atual presidente como autoritário, populista e antidemocratico.
    Nada mas nada mesmo como um dia após o outro!

  • marques

    E realmente não significa.

  • Adriana Rolando

    Caro Ricardo,
    A capacidade que temos, enquanto eleitores, de permitir que essas pessoas nos representem é inimaginável. Cada peça têm a sua deformidade. Os homens a deformidade do caráter, que não propicia emenda, só a compaixão de um povo “sofrido”, mas, aparentemente apto ao perdão. O entendimento do “dar a outra face” para conquistar a beiradinha do céu, enlouquece. Fazendo uma perniciosa analogia, altamente perigosa, essa é de fato a moradia em área de risco. Eleger, um ato cidadão, acabou por nos tornar vítima. Das enchentes, dos mensaleiros, dos afilhados, erenices, dirceus, delúbios,cabral… Em outras “paragens” algumas histórias costumam dar cadeia, aqui, além do status, pensão milionária, concede-se uma cadeira, e os figurões são nossos representantes.
    O ex deputado Delfim Neto afirmou em uma entrevista que me foi concedida há alguns anos o seguinte:”Mocinha, no congresso tem prostituta, homossexual, traficante, homens que lavam dinheiro, só que um detalhe, anote, todos foram eleitos”. Nessa altura do campeonato, desci do salto, mesmo sem o meu consentimento, o congresso tinha notáveis meliantes. Na saída, o economista sorriu irônico percebendo meu desconforto juvenil vaticinando…”mocinha, você tem muito que aprender”.
    Não aprendi a malandragem (outros preceitos nortearam minha vida,graças ao meus pais), apenas que existe muito meliante, e as pencas…Cruzes!!!
    Abraços, caríssimo.

    Cara Adriana, o Delfim tem razão. O Congresso abrigou e ainda abriga todo tipo de gente, inclusive baluartes da ditadura militara, como ele próprio — que depois virou guru do ex-presidente Lula…

    Em vez de ficar reclamando dos políticos, as pessoas deveriam prestar grande atenção às eleições para senador, deputado federal, deputado estadual e vereador, não é mesmo?

    Um abração

  • Natal Santana

    O que mais se ouve nas ruas é: “ah, esses políticos! Não valem nada mesmo”! E aí eu fico me perguntando: como eles são eleitos, milhares de pessoas são culpadas por isso! Ah, mas eu não votei no Sarney, no Tiririca, no Lula… é certo, mas alguém (muuuuitos alguéns!) votou e isso significa que na coletividade, todos acabamos responsáveis pelo Congresso que temos. Enquanto tivermos um eleitor que vote sem consciência, continuaremos a ter esses mesmos políticos que envergonham o cidadão do bem! É como diz meu sogro: “não adianta falar na maracutaia do Sarney enquanto eu não respeitar o sinal de trânsito, meu lugar na fila”…

    Você tem absoluta razão, caro Natal. Absoluta razão.

    Abraços

  • sandovalsader

    Caro Jornalista,
    Aqui no Brasil tem jabuticaba. O apego ao poder é um fato. Vamos conviver com os olhos esbugalhados do Collor, a falsa bonomia do Sarney e os chiliques do Itamar por mais um tempo. O Imperador 51 inicia seu periplo internacional. Vai ao Senegal. Aqwui no Brasil tem jabuticaba sim….

  • Bittersweet

    Setti, não gosto da palavra “renovado”. O que renovou? E ainda com 70 votos para a presidência do Senado para Sarney é que fica mais claro que não houve renovação alguma.
    Há tantos que gostam de criticar os americanos, mas tenho inveja de seu Congresso, pois sei que erros como o que são cometidos aqui, lá não são esquecidos pela população no dia da eleição.
    Aquele que vai como oposição, faz oposição. O que temos aqui?

  • Marco

    Caro R. Setti: O Senado virou com eles próprio uma multidão de semelhantes, em uma mistura caótica e carnavalesca.
    Abs.

  • carlos nascimento

    Alicerces podres não geram fortificações seguras.
    Sarney continua por lá, logo o “dna” continuará contaminado e comprometido.
    Não tenham ILUSÕES, já cansei de dizer, precisamos de uma FAXINA ampla, geral e irrestrita.
    A coisa continuará assim, olha vc tem o rabo preso aqui, fica quieto e caminha por aqui, senão o rabo da “pipa” vai subir no telhado.
    O processo pode demorar 10 anos, precisamos iniciar agora, o começo é pela EDUCAÇÃO, vamos exigir investimentos na educação, povo educado é neurônio de qualidade, fora disso, tome sarney, depois tome renan, depois tome no …..