Tumulto de hoje na CPI se deve a um fato: há quem queira transformar trabalho sério em palco de xingamentos

O deputado Silvio Costa reclama aos brados contra o senador Pedro Taques: esse tipo de coisa é o fim da picada (Foto: Agência Brasil)

Um representante do povo que se pretende sério não pode fazer o que fez hoje na CPI do Cachoeira o deputado Silvio Costa (PTB-PE): diante do silêncio do depoente do dia, o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), Costa, como ocorre em tantas CPIs, resolveu falar — e, ao fazê-lo, passou a ofender o senador.

Vou voltar ao tema mais tarde, mas por ora queria deixar consignado este post. Vamos lá.

Demóstenes é suspeito de malfeitos e até de crimes. Mas não tem nem a obrigação de depor para se auto-incriminar (garantia constitucional) nem muito menos a de ouvir insultos.

Foi o que ressaltou um senador que, tal como Costa, é da base de apoio do governo, Pedro Taques (PDT-MT), procurador da República licenciado. Taques interrompeu os impropérios do deputado e disse que, mesmo sob suspeita de integrar uma quadrilha, Demóstenes não poderia ser desrespeitado.

“Todos aqui, enquanto parlamentares, devem obedecer à Constituição da República”, ponderou. “A Constituição afirma que o cidadão, seja lá quem for, não pode ser tratado com indignidade. Não me interessa quem seja. Pessoas morreram no mundo em razão do direito constitucional ao silêncio. Pode ser o crime mais grave, mas o princípio constitucional ao silêncio e o direito fundamental da pessoa humana de ser respeitado precisam ser respeitados”.

Tem absoluta razão o senador, que, depois, foi ofendido pelo deputado, aos gritos de “demagogo” e “seu m…”.

O próprio episódio denota quem é quem.

CPI é — ou deveria ser — para investigar fatos. Não se trata de palco para exibicionistas cafajestes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nenhum comentário

  • Marco

    Dom Setti: É brabo, como pode ter um sujeito desses completamente desnorteado e sem noção de princípio parlamentar. Estamos vivendo uma ridicularização e complicação, para definitivamente se poder ter um Estado moderno.
    Abs.

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Setti:
    De pleno acordo – o direito de permanecer calado – é um direito constitucional.
    Considero senador Demóstenes mesmo antes de ser descoberto como mais um falso Paladino da Moral e Bons Costumes( todos os paladinos são!) – mesmo assim deve ser respeitado,não ele! – mas o direito constitucional.
    Parabéns Senador Tasques!
    Pedro Luiz

  • João Augusto

    Bem ao estilo dos PeTistas, embora não seja, esse senador da base alugada e cujo nome tenho vergonha de citar, deveria ao menos mostrar-se educado. Ainda que tivesse vontade de falar as asneiras que falou, tinha, por respeito ao silencio do colega, que segue o que lhe faculta a lei, fechar a matraca. Quero ver como se comportará quando chegar a vez de inquirir o governador do Distrito Federal que faz parte da “cumpanheirada”!

  • Bruno Guerra

    Caro Setti,
    .
    Vou dar aqui a explicação que o Sen. Demostenes poderia (IMHO) ter dado na CPI.
    .
    1) que está a sofrer um julgamento no Conselho de Etica
    2) que como se trata quase do mesmo assunto incorreria no risco de, querendo colaborar com a CPMI – falando, se prejudicar no Conselho de Etica
    3) que esteve 5 horas se defendendo cuidadosamentes no Conselho de Etica (não importa se bem ou se mal, o cara ia preparado)
    4) as questões, potenciais, a serem colocadas na CPMI, ele não saberia quais seriam e como tal, objectivamente, suas respostas seriam prejudiciais
    5) e como antes de mais ele tem que cuidar da sua defesa pessoal, é de bom senso e prudencia se manter calado
    .
    Nada disto é um julgamento meu sobre Demostenes. Um Senador que recebe salario mais não sabemos bem o que nem quanto até para comprar papel higienico não PODERIA JAMAIS aceitar uma “merreca” (palavras dele) de Nextel nem do Papa!
    .
    A verba mensal visa desde logo dar dignidade e meios aos Senadores, usem, e bem, sem contratar a prima do amigo, a tia do vizinho, o irmão do outro parlamentar. Arrumem gente competente para fazer trabalhos competentes, não arrumem trapalhada !
    .
    Agora eu quero saber mesmo quem roubou o vibrador de ouro em Brasilia, e de quem é a calcinha vermelha que apareceu (?) no congresso. Isso sim, é noticia !
    .
    Abr, BR

  • Vera Scheidemann

    Lamentável ! Fico imaginando o que uma
    pessoa tão despreparada para representar
    seus eleitores pode fazer em prol dos
    mesmos. Nada, com certeza, ou melhor,
    envergonhá-los, como o fez agora.
    Vera

  • sergio longman

    Esse cidadão é conhecido como sociopata. Além de cafajeste… Ele faz parte da base aliada do PT. Enfim, é um representante tipo da forma petista de governar.

  • Me filma que vou falá

    O ocorrido é narrado em todos os sites noticiosos e portais com praticamente as mesmas palavras e situações.
    Fica-me a dúvida Qual o motivo das manchetes e sub-manchetes ostentarem títulos com “bate-boca” e “troca de insultos”?
    Em todas as leituras fiquei com a impressão de ter sido o deputado quem baixou (ou manteve, o mais provável, dada a qualificação de muitos de nossos políticos) o nível.
    Periga ter o dobro da votação (78984) na próxima eleição, dada a verdadeira veneração que o eleitor parece ter por quem não detém compromisso com a boa educação, a verdade, a cultura e o decoro.

  • Clima

    Ricardo, não há dúvidas quanto ao erro do deputado, não só por causa das ofensas desnecessárias descumprindo a lei, mas, tambem por ter tornado o grande suspeito em vítima. E interviu brilhantemente o Senador Taques. No entanto, confesso que por outro lado, gostei muito da atitude do deputado, deixando de lado a lei, era o que eu tambem gostaria de dizer a um senador que até poucos dias eu admirava muito. Acho que ele assinou sim sua culpa, não me importa as proteções da lei o que diz a lei, pra mim ele não falou pra se preservar, pois, há um robusto material contra ele, na verdade ele não falou porque não tem como explicar, no Conselho de ética apesar de ele ter se achado como cinimo que é que se saiu bem, mas, não convenceu em nenhuma de suas respostas! E quanto a lei lamento muito que ela exista dessa forma, pois tentanto proteger que inocentes sofram agressão do estado ou de autoridades investigantes, o legislador que criou esses artigos, só assinou uma carta de impunidade no país. E não me venham com essa historia de humanitarismo, pois se como o TAques disse muitos inocentes morreram, muito mais culpados escaparam ilesos por causa da miupia das leis! Diz-se que pelo pecador se paga o justo, e acontece das duas formas, tanto sendo condenado sendo inocente, quanto deixando de condenar o culpado que o vitima todo dia! Gostaria de saber quem foi o defensor de impunidade que criou essa lei! Deveria dá o direito de silencio um suspeito onde não há provas, mas, havendo provas, que ao menos ele tivesse a obrigação de explicá-las, mesmo que limitasse a nao entrar em outros assuntos, mas, tudo quilo que tivesse material probatorio, deveria ser um dever explicar-se…

  • silas gomes de aguiar

    Se o suposto envolvido tem em seu favor a Constituição Federal que lhe dá o direito de permanecer calado, tudo bem. Mas se existe prova documental contra ele, o seu silêncio deveria ser entendido como reforço comprobatório para sua condenação, dela não cabendo recurso.

  • Corinthians

    Dizer o que ?
    Hoje é meio que um mal brasileiro. Não se argumenta mais, não se discute mais, parte-se para a desqualificação do outro, imputando-lhe palavras que não foram ditas… até quando o outro permanece em silêncio!