Image
A página inicial do site “Lei dos Homens”

Vale a pena conhecer um site que defende a aplicação da lei e o Estado de Direito, e que procura mostrar como (e se) as lei valem e são aplicadas, e quais seus efeitos. O site foi organizado pelo deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) com um grupo de colaboradores.

Um texto sob o título “O que queremos” resume seus propósitos. O texto:

“Sempre nos ensinaram que vivemos sob o Império das Leis.

A velha e boa democracia nos prega que o soberano desse reinado é o povo e que ideias cristalizadas em artigos – as leis – funcionam como interfaces nas relações humanas.

Apontam o que pode e o que não pode. Mas na prática, nem sempre é assim que funciona, já que as leis também cristalizam os direitos das maiorias. E sobra às minorias só o direito ao protesto.

Como pano de fundo, temos o código moral e a cultura: o que se deve e o que não se deve. A impressão é de que tudo parece uma dança binária, mas na verdade muito de incerto reside entre os extremos. E muito de incerto reside nas aplicações.

Com “Lei dos Homens”, queremos fazer cobertura jornalística do Império das Leis, desde quando ela nasce, passa a valer, a ser interpretada e operada e até onde pode chegar as suas várias repercussões na sociedade.

Um trabalho e tanto, com contornos gigantescos, mas que pode ser feito com a matéria-prima da informação, correta e verdadeira. A nossa missão é contribuir, por meio da cobertura jornalística, com esse cenário humano das relações mediadas por leis, que nem sempre é justo.

Aceitamos a sua contribuição, crítica, sugestão e o que mais vier, para este projeto aberto e em fase inicial (…)”.

Trata-se do site Lei dos Homens.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 5 =

Nenhum comentário

Marco em 18 de março de 2012

Amigo Setti: Meu amigo falar de justiça no Brasil é uma coisa quase q anti-natural e sem sentido, são matérias de engano e q ignora qualquer ordem de bom senso, impossível de obedecer e não infringir. Me chega dar nauseas assistir a TV Justiça e a Justiça do Trabalho, recomendo a auto censura dessas TVs Sindicais q formataram secretamente essas leis com mecanismo e objetivos próprio de caos e sem caráter. Abs.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI