Image
Junho de 2012: em Mendoza, Argentina, Cristina Kirchner (centro), como anfitriã, anuncia a decisão do Mercosul de suspender o Paraguai e de admitir a Venezuela no grupo (Foto: Agência Brasil)

Democratas da América Latina, alegrem-se. Além do golpe duríssimo que sofreu em sua própria “pátria”, a Venezuela, onde metade do país votou contra o herdeiro do caudilho Hugo Chávez, o “socialismo do século XXI” e do “bolivarianismo” vai sumir do mapa em outro país até há pouco alinhado com os países latino-americanos “inimigos do imperialimo”, o Paraguai.

De fato, nas eleições do próximo domingo, 21, os dois candidatos que disparam na liderança das pesquisas de opinião são de partidos tradicionais: o empresário conservador Horacio Cartes, do velho Partido Colorado que governou por mais de 100 anos o Paraguai — durante a maior parte do tempo ditatorialmente –, e o advogado, ex-senador e ex-ministro Efraín Alegre, do Partido Liberal Radical Autêntico.

O ex-presidente “bolivariano” Fernando Lugo, ex-bispo católico pai de filhos afastado pelo Congresso paraguaio no ano passado, nem concorre mais ao governo: disputa uma cadeira no Senado por uma certa Frente Guasu, cujo aspirante presidencial mal sai de 1% dos votos.O vice que o substituiu e vai passar a faixa ao sucessor, Frederico Franco, é do mesmo Partido Liberal de Alegre.

O antigo partido de Lugo, a coligação de esquerda Aliança Patriótica pela Mudança, nem existe mais. E o candidato de outra frente de esquerda, o apresentador de televisão Mario Ferreiro, não ligado a Lugo, aparece muito distante dos candidatos tradicionais.

Image
Horacio Cartes e Efrain Alegre, os dois favoritos são de partidos tradicionais, inteiramente distantes do “bolivarianismo” (Fotos: MercoPress :: EFE)

O impeachment de Lugo, embora transcorrido de acordo com os mandamentos constitucionais do Paraguai, não foi aceito pelos governos dos demais países do Mercosul — Brasil, Argentina e Uruguai.

Numa manobra articulada pela presidente argentina Cristina Kirchner, à qual se associou alegremente a presidente Dilma Rousseff, os respectivos governos consideraram que houve um “golpe” contra Lugo e, numa reunião em Mendoza (Argentina), em junho do ano passado, suspenderam o Paraguai do grupo.

A manobra destinou-se a permitir que o regime autoritário da Venezuela driblasse a “cláusula democrática” do Mercosul e fosse admitida no grupo, uma vez que o Senado do Paraguai — que deveria aprovar a adesão venezuelana — recusava-se a aceitá-la devido às características do chavismo.

A cláusula democrática, que segue norma da mesma índole da União Europeia, foi concebida nos anos 80 pelos então presidentes do Brasil, José Sarney, e da Argentina, Raúl Alfonsín, visando não permitir que regimes ditatoriais se associassem ao Mercosul.

A suspensão do Paraguai deve vigorar até a conclusão da eleição presidencial. E o Paraguai que retornará ao grupo será muito diferente do país “bolivariano” do bispo Lugo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + um =

30 Comentários

Camilo Castro em 30 de abril de 2013

exelente noticia para os democratas de hoje, o partido colorado voltou ao poder!!!. Sera que da para publicar as causas pendentes que o novo presidente tem com a justiça?.

Leonardo X em 19 de abril de 2013

O chavismo, petismo ou qualquer outro "ismo" que tente encobrir com o "manto diáfano da fantasia" o vocábulo comunismo vacinou os paraguaios contra esse mal desnecessário que nos afeta e a vários países da América Latina.A primeira pedra a tombar desse dominó sinistro foi Honduras, que também está livre de recaída nessa epidemia cucaracha. Preocupados com o avanço da benéfica sequência, os abomináveis dirigentes Unasul, URSAL (União das Repúblicas Socialistas da América Latina) para os íntimos,estão reunidos em vigília solidária ao gigolô de defunto Nicolás Maduro. Se a pedra da Venezuela cair, vai ser um "satanás, nos acuda" na seita apocalíptica cubana.

ademar filho em 18 de abril de 2013

Creio que a redução da influência do bolivarianismo será boa para todo o cone sul. Muitos desses países co-irmãos do Chavismo estavam sendo irrigados pelos petrodólares venezuelanos, daí sua admiração e obediência ao defunto que descansa no esquife de cristal. O Paraguai tem o que merece (com um grupo político ou outro) e o mesmo acontece com o Brasil. Somos produto de nossa escolha coletiva e quem leu um pouco sobre as ações de Margareth Thatcher quando comandava o Reino Unido, já deve ter percebido que não vamos muito longe com esse governo esquerdista. 39 ministérios e um monte de estatais. Mudando de assunto, gosto deste blog e do profissional Ricardo Setti e acho que você está muito agressivo hoje. Peço desculpas antecipadas se errei o português, as concordâncias e etc e mesmo que você me dê um pito, vou continuar frequentando o seu blog e comentando. Saudações.

José Paulo em 18 de abril de 2013

É, Setti, como você já referiu nos comentários, inclusive, o problema, é que um partido é o que governou o Paraguai para ser o que é, pelo menos depois da guerra, com nossa digníssima ajuda. E este outro candidato, que elegeu o vice hoje na presidência, será que não é farinha do mesmo saco? Entre o grupo que é certo que não dá certo (colorados) e a que é certo que, bem não dá certo (bolivarianos), fico com pena dos paraguaios. Parece que o mais forte candidato à vitória lá é um grande fabricante de cigarros(contrabando para o Brasil...), disse-me um produtor rural de tabaco de lá. Em suma, essa pessoa conhece bem todo o país e muitos figurões de lá, diz que lembra o Brasil dos grotões dos anos 60, 70, ou seja, cada um por si e quem tem o "faz-me rir" até passa que passa bem, embora nas cidades maiores comece a se formar uma nova elite, oriunda em parte dessa nova oligarquia rural e também dos comerciantes oriundos do oriente médio (dada minha ignorância e sabendo que os povos de lá não gostam de serem confundidos, não vou "chutar" a etnia ou país de origem, se palestinos, turcos, ou enfim...). Meu sentimento é semelhante ao seu, caro José Paulo. Os paraguaios de bem ficam sem opção. E eu simpatizo com o país, na raiz de cujas desgraças está certamente a guerra. Mas desde o fim da ditadura pavorosa, assassina e corrupta do Stroessner, em 1989, as coisas vêm melhorando gradualmente. As coisas poderiam, claro, estar bem melhor. É um país grande, de terras férteis, com muitas riquezas naturais. Abraço

Vinicius Medeiros em 18 de abril de 2013

Infelizmente a América Latina não tem grandes líderes realmente democráticos que estejam aí prontos para nos representar. Porém é melhor ficar órfão desse tipo de gente que se diz líder de nação do que ser titulados por eles. Chega desse circo. Chega desses mentecaptos, chega dessa gente totalitária.

Sergio Costa em 18 de abril de 2013

Beleza, vamos ver se em 2014 expulsamos o bolivarianismo do Brasil também. Além de ficar na torcida para que os argentinos tenham juízo na próxima eleição, que não sei quando vai ser.

jefff em 18 de abril de 2013

Que maravilha o partido do ex-ditador Strossener ganhara de novo ou ganhará o candidato do partido que usava um veiculo roubado no Brasil. Nossa Setti que maravilha não é mesmo! Um bela troca rs... No Paraguai, infelizmente, não há opções que me agradem como alguém que torce para que esse país, tão explorado por tantos, tenha o destino que merece. O objetivo do post foi informar que a demagogia bolivariana foi embora. Não quis elogiar nem fiz elogios aos dois candidatos considerados favoritos.

Flavio Santos em 18 de abril de 2013

Viva o Paraguay! Que sejam felizes! E agora, a gerentona vai tratar bem que pensa diferente dela? A decisão do povo paraguaio? Republicanamente? Vamos ver como se comporta.

João Augusto em 17 de abril de 2013

Setti, boa noite, Realmente, lendo a materia sinto-me ignorante! Os critérios de avaliação de nossa presidenta e sua "amiguinha",quando devem julgar se um Estado é democrático ou não, é duvidoso, não? As amarras nesse julgamento visando a Venezuela, qual é peso? São pesos e medidas convenientes com o momento e com o interesse de cada.Não sou um "tudólogo", mas acredito, olhando superficialmente como olho (gostaria de enxergar), parece-me tudo "farinha do mesmo saco".

Fábio em 17 de abril de 2013

Então blz! vc me ensina português e eu te ensino história!!! Ando sem tempo. Vou continuar ignorante em História.

Marcos Duarte em 17 de abril de 2013

Sr Ricardo Setti, pertinente sua matéria, porém existe um tom de maldade e difamação da Igreja Católica! O ex presidente Fernando Lugo não é "bisco católico" e sim EX (a muito tempo). Você está maluco -- desculpe a franqueza -- se acha que há um "tom de maldade e difamação da Igreja Católica". E "há" se escreve com h. Saudações

Fernando X em 17 de abril de 2013

Chega de populismo.

Fernando Costa em 17 de abril de 2013

No fim, o povo descobre o que esses caudilhos querem e os coloca pra correr. A América Latina só irá para a frente quando seu povo entender que não será o populismo quem irá tirá-los da miséria.

Fábio em 17 de abril de 2013

Saldar a possível volta do Partido Colorado ao poder no Paraguai é boa notícia para quem? O Paraguai é o que é hoje por culpa de quem? Ah dos bolivarianos! Que falta faz a algumas pessoas ter um mínimo de conhecimento em história. Eu não "saldei" a volta de ninguém ao poder. Saudei, isso sim, o escorraçamento do bolivarianismo do nosso infeliz vizinho. E realmente meu conhecimento de História não se compara a seu conhecimento do idioma pátrio.

RONALDE em 17 de abril de 2013

Mais uma cacetada na política externa petista. Vergonha nacional, Dilma vai participar da posse do ditador venezuelano.

Angelo Losguardi em 17 de abril de 2013

Nossa, excelente! Um país a menos pra essa quadrilha internacional de bandidos roubar e oprimir.

Rolando em 17 de abril de 2013

Ótimas noticias para o Paraguai, agora esperemos que não demore muito para que os outros países sob o dominio desses ditadores malucos voltem a normalidade.

sofia em 17 de abril de 2013

Seu comentário é desnecessariamente agressivo e hostil e não será publica. Tenha mais educação, por favor.

José Carlos Lopes de Oliveira em 17 de abril de 2013

Pelo menos um país na América do Sul, tem coragem, decência, honra e dignidade para falar alto e em bom som que as ilusionices do canastrão venezuelano não servem para nada. Eu como brasileiro, morro de inveja de gente asssim e lamento que no meu país não existe ninguém com esse caráter exemplar e patriota.

Republicano em 17 de abril de 2013

O Paraguai desvencilhou-se do grupo de idotas latinos americanos. Pais peque no mas altivo, vai as urnas para chancelar a Democracia e o estado de direito que todos almejam. Que o Paraguai seja a estrela guia para o resto do continente. Que a putrefata esquerda seja varrida do mapa.

Osmario em 17 de abril de 2013

Quem diria, o Paraguai, dando lição de democracia à América Latina. Pena, que para muitas toupeiras no poder por essa plagas, essa lição de nada valha.

nilson torres em 17 de abril de 2013

Setti ainda bem que voce se contenta com o Paraguai, para quem gosta de falsificacoes, uma grandeza.

José em 17 de abril de 2013

Prezado Ricardo Setti Capriles venceu a eleição com não menos do que 800 mil votos de vantagem, e particularmente creio que a vantagem ultrapasse um milhão. Se ele venceu, e eu sei que ele venceu, significa que MAIS DA METADE da Venezuela votou contra o herdeiro do caudilho Hugo Chávez, e NÃO metade do país como consta em seu ótimo a grato artigo. Peço desculpas, mas por conta destes aparentemente pequenos detalhes, os MENTIROSOS COMPULSIVOS VERMELHOS, ainda podem procurar tirar proveito de uma falaciosa metade do país que seRIA em prol deles. Em minha opinião, a Revista Veja, com a GRAÇA DO ALTO, é o que resta de imprensa não comprada em nosso país e que portanto, tem contribuído muito com a nação brasileira. Você, Augusto Nunes, Reinaldo Azevedo, e demais colunistas da Revista Veja, tem prestado muito importante serviço a população brasileira e até aproveito para agradecer por isto. Mas não consegui furtar-me de fazer esta muito pontual crítica, como proposta para que vigiemos ao máximo, com o objetivo de não entreguar o mínimo ponto para os MALDITOS COMUNISTAS. Eles tiveram MUITO MENOS DO QUE A METADE dos votos venezuelanos.

roberto em 17 de abril de 2013

Mas lá quem decide são os militares e as tradicionais familias burguesas do antigo colonialismo . Eu acho isso ditadura, os indios não possuem direitos nem proteção social ., poxa ! isso é exemplo ? Devem colocar um Lula para dar chance aos mais pobres pois todos tem o mesmo direito . Sorry .....

Fernando em 17 de abril de 2013

NO dia 21 de abril, aqui en Paraguai, sera enterrada definitivamente a Hoz e o Martelo. Nunca mais aventuras de ezquerda. Mais atencao..!! ontem o candidato Efrain Alegre (do Partido Liberal socios do bispo degenerado), ontem foi a reunirse com o Pepe Mujica, nos, da ANR (Asociaciao Nacional Republicana, Partido Colorado) estamos muitos atentos a esa movida...

Leonardo em 17 de abril de 2013

O Paraguai que foi tanto motivo de piada agora nos dá uma lição de como fazer história.

Heitor em 17 de abril de 2013

Que inveja do Paraguai, mesmo.

Reynaldo-BH em 17 de abril de 2013

A faxina continua! Amém! (Que Lugo cuide dos filhos. São muitos. E merecem um futuro que o pai não quis, em um primeiro momento, reconhcer. Um bispo papão demonstra bem a lógica ética destes neo-libertadores. Neste caso, de relações sexuais...). E que o Paraguai (tão motivo de piadas segracionsitas, algumas com razão!) se orgulhe por ter interrompido a loucura instalada neste nosso sofrido continente! Boa sorte, hermanos!

Hippie Killer em 17 de abril de 2013

Acabei de receber essa notícia do próprio Sen. Álvaro Dias: "ALVARO QUER QUE MENOR RESPONDA POR SEUS CRIMES O senador Alvaro Dias(PSDB/PR) anunciou hoje que vai propor a redução da maioridade penal de 18 para 15 anos. Segundo ele, é preciso estabelecer um meio termo entre as várias propostas que estão sendo debatidas no Congresso para tentar colocar um freio nos altos índices de criminalidade envolvendo menores. Segundo o senador, houve várias tentativas no Congresso Nacional para reduzir a maioridade penal, mas o governo impediu a mudança: “Há cinco anos estamos tentando fazer as alterações. Temos que seguir o exemplo de vários países no mundo”. . MENORIDADE NO MUNDO http://www.alvarodias.blog.br/2013/04/maioridade-penal-no-mundo/ . TEMOS QUE APOIAR ESSA INICIATIVA... se 15 anos ainda não é o ideal, já é melhor do 16 anos - e os atuais 18 anos! TEMOS QUE APOIAR ... TEMOS QUE APOIAR ... TEMOS QUE APOIAR ... TEMOS QUE APOIAR ...TEMOS QUE APOIAR ...

Hippie Killer em 17 de abril de 2013

Parabéns hermanos... q inveja... . E brasileiro adora fazer piada de português e paraguaio...

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI