Image
Uma parisiense segura um cartaz onde se lê em francês: “Eu sou Charlie”, depois que um grupo de terroristas assassinos invadiu os escritórios do seminário satírico “Charlie Hebdo”, massacrando pelo menos 12 pessoas (Joel Saget/AFP)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + quinze =

10 Comentários

Paul Grosslerner em 09 de janeiro de 2015

Talvez seja necessário reiterar o que Déspota Russo, afirmou num raríssimo momento de clarividência 1- Nós, no Ocidente, não precisamos das minorias; 2- Elas precisam de nós, e aproveitam dos valores fundamentais da cultura do oeste, para praticar o que aconteceu em Paris; 3- Não se trata de punir somente os diretamente responsáveis, porque jamais o fariam por conta própria 4- Não vale a pena mata-los, nem condena-los à morte 5- Mas prende-los, isola-los e deixar que a tortura da vida no cárcere, isolados, faça seu trabalho e revele a verdade 6-Não há, tampouco, necessidade de tortura física e/ou de outra natureza 7- Aquelas mentes capazes desta tragédia são pobres e fracas.São instrumentos apenas às mãos de organizações muito mais perigosas 8- ISIS não vale nada, ALQUEADA e BIN LADEM idem 9- Onde estão os grandes Imãs do Iran e da Arabia Saudita? 10 -Onde está o "Papa" dos muçulmanos para afirmar, perante a opinião pública do Mundo,que o Profeta nada tem a ver com isto? 11- Porque não se manifestam? Usam seu imenso poder politico, financeiro e religioso para por fim nesta ignomínia?

Simonassi G Elianasi em 08 de janeiro de 2015

A VIOLÊNCIA NO MUNDO- POLÍTICA X RELIGIÃO A cena foi desprezível. Segundo as informações , a mais drástica das ultimas décadas.Provavelmente é um grupo de fanáticos religiosos ou terroristas políticos. A intenção foi atingir a voz do povo porque através da mídia é que nós podemos transmitir os nossos anseios, os nossos dilemas políticos e ainda nos favorecermos das alegrias de uma copa, obtermos informações generalizadas ou seja, estar em contato com o mundo. É um veículo de comunicação do bem e do mal. Por outro lado o jornalista mostra ao povo , os acontecimentos , informações culturais e outras. São imparciais não dão opiniões. Quem distorce ou não compreende é o leitor ou o ouvinte. Uma minoria de ignorantes querem calar a boca do povo cometendo atrocidades como essas. O que ganharam com isso foi o repúdio do mundo inteiro porque contaminaram o oxigênio que respiramos. Quem não tolera a mídia? Governos, religiosos fanáticos , desajustados revolucionários. Aqui no Brasil nós sabemos quem quer cortar a nossa liberdade de expressão e o porquê. Trocar o lápis a caneta pelo fuzil? A violência chegou no limite extremo. São 5 milhões de muçulmanos na Europa. E 1/4 no mundo. Espalharam-se correndo do terrorismo , da miséria e os terroristas como sempre jogando na lama o nome dos bons.Violência gera violência. Agora eles têm o mundo inteiro contra eles. No entanto, é preciso mudar a política dos governos em relação a migração, criando regras e freiar os fanáticos religiosos que querem impor a sua doutrina a qualquer preço no mundo inteiro.Perdemos pessoas que falavam pelo povo , para o povo. Não importa a situação geográfica. ( país). Precisamos deles. Crime bárbaro ! Aqui no Brasil ainda não chegamos a esse ponto. Mas é bom ficarmos atentos com o atual partido que se impõem e gritam a sua doutrina , passando até por cima da constituição. Os nossos fanáticos religiosos ainda não perderam a razão mas o governo é modelo de terrorismo.Não podemos fechar fronteiras mas podemos criar regras. A casa é nossa. Temos os nossos costumes e queremos ser respeitados pelos que chegam em busca de qualidade de vida.Veja São Paulo , um mundo de imigrantes sem violência.Quem gerou violência aqui foi o PT até agora. Mas por enquanto ainda contamos com o bom senso dos adversários. É só não passar para o outro lado como fez Katia de Abreu.Aqui fica o meu desprezo pelos terrorista em geral. Que o povo francês consiga punir esses desajustados, nessa epidemia de violência no qual estamos passando.

Margareth Morgado em 08 de janeiro de 2015

Hipocrisia culpar os retardados assassinos. Culpabilidade cabe aos governos dos países que permitem que gente dessa laia sejam considerados cidadãos e entrem livremente em seus territórios. Na França tem que ter apenas franceses, na Espanha apenas espanhóis, na Inglaterra apenas ingleses. Parece racismo mas não é, trata-se apenas de cumprir as tarefas para que os governos são eleitos: fazer tudo em pról do SEU POVO, segurança e vida digna, apenas isso. Se fizerem isso, já serão vencedores. De nada adianta os fanfarrões políticos e religiosos ficar dizendo e emitir comunicados de lamentação, que vão dizer isso para os familiares dos inocentes assassinados por esses fanáticos irracionais. É bonito diante da câmera reprovar, condenar e lamentar, quero ver o desgraçado que vai realmente promover algo de positivo para o assunto, e isso passa pela prisão e condenação à morte de todos os terroristas, independentemente da sua nacionalidade e religião. Papa Francisco, faça jus ao seu pseudônimo e abra os olhos para o que está acontecendo no mundo dos progressistas, V.Santidade representa bilhões de pessoas que pertencem à uma entidade com mais de 2.000 (DOIS MIL) anos.

JT em 07 de janeiro de 2015

Neste mundo maluco em breve será proibido dizer: JE SUIS JESUS A grande vítima do fanatismo é a própria religião que usam como desculpa para a prática do terrorismo.

aparecido f. em 07 de janeiro de 2015

E nós brasileiros temos a oferecer a Dilma Roussef para dialogar com a cambada do ISIS......ir lá, dialogar com eles e não voltar mais...Nosso governo nos envergonha perante o mundo...Mas a intolerancia também está aqui tentando controlar a imprensa...

Bruno Sampaio em 07 de janeiro de 2015

Não tem jeito, só fazendo deportação em massa desse povo para que eles possam viver no "paraíso" islãmico, sem liberdade de imprensa, sem liberdade alguma e obedecendo cegamente às ordens de hordas de barbudos armados até os dentes. Se possível, recomenda-se não ser mulher...

Luiz em 07 de janeiro de 2015

Somos todos "Charlie"!

Luiz Antônio em 07 de janeiro de 2015

Infelizmente há razão na afirmação de que o ataque vai inflamar ainda mais os ânimos da Europa contra o mundo muçulmano. É importantíssimo que nessa hora, os verdadeiros líderes do Islã se pronunciem contra a barbárie e não deem mais munição àqueles que querem um pretexto para mais violência.

Ismael Pescarini em 07 de janeiro de 2015

Estive em Paris pela primeira vez em 1997, andei de metro pela periferia e vi, já naquele ano, bandos de jovens possivelmente descendentes de muçulmanos fazendo depredações. Pouco depois li que várias lojas de vinhos na periferia foram alvo de vandalismo. Não tem jeito, a Europa deve deixar de se auto flagelar pelo passado colonialista e adotar uma atitude muito simples: quem for pacífico e tolerante, independente da fé que professe, ou falta dela, continua sendo cidadão europeu; quem for radical, independente de ter ou não cometido já algum crime, que vá embora. Esses jovens que se alistaram no Exército Islâmico e se arrependeram deveriam ser sumariamente expulsos do país.

Fernando C de Mello em 07 de janeiro de 2015

Só faltava essa: Brasil declarar guerra a Portugal por causa de piadas ! Palhaçada dos teóricos do "Politicamente Correto!" Assisto na Globo News o professor Williams Gonçalves , prof de Realções Internacionais da UERJ e a Prof Arlene Clemesha prof de História Arabe da USP , fazendo um esforço em defender as ações dos terroristas na França que atacaram a Revista Francesa. Questiona porque os ocidentais não fazem piadas com Jesus Cristo e só fazem com Maomé ? O desinformado professor desconhece o monte de piadas que se fazem com Jesus Cristo há séculos, a diferença é que os cristãos levam na brincadeira e jamais assumiriam uma atitude violenta contra os piadistas! O Governo brasileiro já chegou a financiar performance de um **** LGBT que encenou em frente ao templo cristão a introdução e retirada de um terço de orações do anus ! Mas os cristãos consideram aquilo um desrespeito explicavel pelo grau de alienação do ***** ***** e toca o barco adiante ! Na verdade, professor, o que acontece, é que o terrorista ataca em nome de Maomé mas, na verdade o que querem é manter a sociedade sob a égide do medo e desmoralizar as instituições Republicanas, o que nada tem a ver com Maomé ! A França sempre fez piadas com os Franceses "Pied-Noire" , que são os franceses nascidos na Argélia e nas colonias francesas, como os Portugueses fazem piadas dos Brasileiros e nós fazemos dos Portugueses ! E ninguem vai delcarar guerra porque o Manoel fez alguma piada com o Girimum e o Joaquim riu ! rsrsrs ‪#‎Brasil‬ ‪#‎World‬ ‪#‎Terrorismo‬ ‪#‎EmNomedeDeus‬

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI