VER PARA CRER: Angola imita a China e também cria cidade fantasma novinha em folha — cabem lá meio milhão de pessoas, mas não tem ninguém

Angola novinha em folha, e vazia, vazia (Foto: m.publico.pt)

A cidade de Kilamba, projetada para 500 mil habitantes: 3,5 bilhões de dólares de gastos, e praticamente sem moradores (Foto: m.publico.pt)

Com a crise financeira, as atenções do mundo neste aspecto estão invariavelmente voltadas para as enormes dificuldades da Europa, o papel central jogado pela China ou se é firme e vai continuar a recuperação do gigante norte-americano.

Pouca, pouquíssima gente presta atenção em Angola, a ex-colônia que Portugal sugou durante cinco séculos, até 1975, e que desde sua independência até 2002 esteve envolta numa guerra civil que reduziu o país a escombros.

Pois bem, Angola, país de 1,2 milhão de quiômetros quadrados e 18 milhões de habitantes, está literalmente explodindo de crescimento. E a dinheirama proveniente do petróleo — é um dos 20 maiores produtores mundiais, com quase 2 milhões de barris diários — nem sempre está sendo bem gasta. Vejam o caso da cidade de Kilamba, a 30 quilômetros da capital, Luanda, construída para abrigar meio milhão de pessoas mas na qual só vivem… algumas centenas de habitantes!

Angola novinha em folha, e vazia, vazia (Foto: m.publico.pt)

Kilamba vista de outro ângulo: o preço dos apartamentos os torna inacessíveis à maioria esmagadora da população (Foto: m.publico.pt)

Posta em pé em menos de três anos com dinheiro público pelo governo corrupto do ditador José Eduardo dos Santos, foi programada para abrigar mais de 20 mil apartamentos, numa primeira fase, e cinco mil casas populares. Seus imóveis, porém, que custam entre 150 mil e 200 mil dólares, são inacessíveis para a esmagadora maioria da população, que vive com entre 2 e 3 dólares por dia.

Erguida pela estatal chinesa China International Trust and Investment Corporation a um custo de 3,5 bilhões de dólares, Kilamba é uma cidade fantasma — tais como tantas que existem na própria China, já mostradas pelo blog.

Em Angola, as ruas vazias

Ruas e avenidas, meio-fios, iluminação pública, sinais de trânsito — mas nada de movimento (Foto: bbc.com)

Com 750 edifícios já prontinhos, a maioria de oito andares, dotados de acesso à internet e ar condicionado, Kilamba possui 24 creches, nove escolas primárias, oito secundárias e cinquenta quilómetros de vias de acesso, ruas e avenidas — mas não tem gente. Nas ruas, praticamente não há carros, nem caminhões, nem ônibus.

Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos (Foto: Já Imagens)

O presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, lança a pedra fundamental das 5 mil casas “sociais” que pretende entregar em Kilanga (Foto: jaimagens.com)

A abundância de petróleo permite que o governo de José Eduardo dos Santos, ex-dirigente comunista transformado em entusiasta do capitalismo de Estado, possa apresentar números de crescimento rigorosamente espantosos: do ano 2000 – ainda com a guerra civil em curso – até o ano passado, o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu a uma inacreditável média de 11,52% anuais.

A partir de 2005, já sobre uma economia mais sólida e com o país parcialmente reconstruído, o PIB bateu por duas vezes o índice de 20%!!! O prognóstico para este ano, com boa parte do mundo desenvolvido em recessão ou estagnado, é de que cresça 8%.

A economia vai bem, o povo nem tanto, e a verdade dos fatos muito menos. O vídeo abaixo mostra uma Kilanga que não existe, repleta de gente feliz, com as escolas cheias de alunos etc etc. Segundo a BBC de Londres, os supostos moradores mostrados são atores contratados.

Vale a pena conferir:

httpv://www.youtube.com/watch?v=krLhsgoauOg

LEIAM TAMBÉM:

Vídeo ESPANTOSO: na China, cidades inteiras, novinhas em folha, construídas para ninguém morar. Há 64 milhões de imóveis vazios, e centenas de milhões de pessoas sem ter onde morar

O paradoxo de haver 64 milhões de imóveis vazios na China

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 − dois =

58 Comentários

  • Flavio Santos

    É a maldição dos recursos naturais. Nunca se reverte o dinheiro obtido com eles para o povo. Pior é ter que ouvir toda aquele papo nacionalista…É nosso, é nacional etc etc… Lá também deve ser assim.
    ps. 150 mil dólares e o acabamento do prédio é esse mesmo?

  • Vinicius L. Beserra

    Esse sistema capetalista é flórida.

  • José Flávio

    Vinícius, só para esclarecimento, a China, onde acontece o mesmo e muito pior, é COMUNISTA!!! Não fala mal do capitalismo só pq tu não tem nem consegue produzir capital! Angola não é comunista, mas tem um governo corrupto (ponto em comum com regimes capitalistas E comunistas), e daí a razão da coisa! Tenho nojo de quem fala contra o capitalismo! Vá embora para Cuba, China ou Coréia, se acha que o comunismo é melhor!!

  • José Carlos

    “Tenho nojo de quem fala contra o capitalismo!” by José Flávio

    Cara, vai te tratar que tu tem problema.

  • Reynaldo-BH

    Setti e Daniel.
    Um off topic.
    Em um dia que a infâmia cobriu de vergonha o STF, nada como um vídeo que – na simplicidade de um flash mob – nos anima.
    As grandes obras e ações começam com SÓ UM! E vão atraindo outros.
    Jesu, The Joy of Mans Desiring de Bach.
    Um banco catalão (Banc Sabadell) comemorou os 130 anos de fundação de um modo poético, na Plaça de San Roc, na belíssima Sabadell.
    Mesmo na crise. Mesmo na incerteza.
    E que seja um alento a todos nós, a beleza de Bach e a emoção de quem ouviu!
    Abraços!
    https://www.youtube.com/watch?v=GBaHPND2QJg

    Grande Reynaldo,

    Muito obrigado pelas suas constantes e magníficas contribuições ao blog. No caso, este lindo vídeo já foi publicado num post que conta a história do evento.

    Um abração!

  • fpenin

    A China é a antítese do Brasil. Lá, as casas estão prontas, mas não há moradores. Aqui, país surreal,há moradores,mas não há casas. Santa PACiência…

  • Reynaldo-BH

    Conheço Angola. Luanda.
    Já me acostumei, quando à trabalho, ser acompanhado por “batedores” de motocicleta armados de metralhadoras!
    A saber que cada proposta/contrato será encaminhada a “instâncias superiores”!
    Onde, quem, como alguém pode dizer que se trata de um sistema “capitalista”? (Sem defesas deste sistema, só com oobservância à ignorância decorrente da distância).
    Onde a livre concorrência?
    Onde a meritocracia?
    Onde a capacidade de produção acima do interesse de poderosos?
    Em Angola, certamente em lugar algum!
    Uma “casta” aparelhou o estado. A imprensa não é livre, (Lá existe SIM o controle SOCIAL da mídia. Social = a quem está no poder).
    Cargos públicos são ocupados por parceiros, amigos e dóceis concordantes.
    Fortunas são erguidas sem nenhuma justificativa. Ou melhor, sob a égide de “consultorias”.
    O Judiciário está manietado. Não tem poderes para contrapor-se ao General de plantão, visto que indicados por este.
    Filhos (no caso FILHA) do presidente são poderosas empresárias, mesmo não tendo a menor capacidade para ser, por exemplo, alçada e tratadora de zoológico a consultora de TI.
    O Presidente José Eduardo é considerado o pai dos pobres! Distribui presentes de fim de ano, dinheiro sem contrapartida, cestas de alimentação, etc. à população miserável.
    Os amigos do poder levam o direito de construir grandes obras. Sem controle. Sem punição, quando roubam à luz do sol.
    Isso é capitalismo?
    Se for, por favor, passemos a ter o Brasil como exemplo maior desta corrente econômica.
    Macaco, olha teu rabo!, já diziam os antigos!
    A quem ataca o “capitalismo” de Angola (e eu sou um deles!) que tenha a decência de ver, intramuros, o que acontece por cá!
    E que nossa indignação (necessária!) com José Eduardo dos Santos seja a mesma com outros Silvas que aplicaram a mesma fórmula!
    Sejamos coerentes! Coerência é só o respeito a nós mesmos!

  • gustavo oliveira

    o mais engraçado foi que a atriz cometeu o mesmo erro que o lula tava lendo a revista de cabeça pra baixo… e esse tal de jose carlos, tao mandano ele ir prum lugar comunista, ele e a favor do capitalismo….

  • Gian

    Realmente, as pessoas ali são realmente artificiais, os apartamentos, parcamente mobiliados, sem nenhum quadro, flores no vaso, mas com uma bela televisão. Propaganda enganosa igual as nossas do horário político OBRIGATÓRIO.

  • Sergio Korytowski

    É lamentável que uma revista tão respeitada como a Veja, assim como o colunista que assina esta matéria, não se aprofunda na apuração dos fatos para escrever uma reportagem.
    Em primeiro lugar é um erro considerar o Presidente de Angola um ditador. Nunca ouvi isso antes em lugar nenhum do mundo.
    Em segundo lugar deveria ser mais do que claro, que a China é parceira de Angola, sendo um país que auxilia – e em muito – Angola, desde o início da época de paz, em 2002. Portanto existem fundos de investimentos governamentais chineses em favor da reconstrução da China; os angolanos pagam com o fornecimento de petróleo.
    Quero deixar bem claro, que não estou efetuando a defesa de ninguém, porém desejo que a notícia seja vinculada em toda a sua verdade, e não tendendo apenas para um lado.
    Quanto ao vídeo apresentado, considero tendencioso os comentários escritos pelo senhores de que mostra uma cidade (Kilamba)que não existe, repleta de gente feliz… Meus caros, o áudio do vídeo é nítido em informar, que trata-se de uma cidade em uma fase de início de povoação e consequentemente nem mostra um universo de gente, conforme os senhores deixam à entender.
    É claro que os senhores têm toda a razão em afirmar que trata-se de uma cidade fantasma, considerando o baixo poder aquisitivo do povo. Porém Angola apresentou um desenvolvimento enorme nestes últimos dez anos, bem mais do que muitos países do primeiro mundo.


    É ditador, há 23 anos no poder. A constituição feita por encomenda lhe dá poderes inclusive sobre o Legislativo e o Judiciário. O regime angolano é reconhecidamente um dos mais corruptos do mundo. Se você nunca ouviu isso antes, não sei em que planeta vive.

    Conheço pessoalmente empresários brasileiros com negócios em Angola e sei como funcionam as coisas lá até por este meio.

    O enorme surto de desenvolvimento de Angola foi abordado no post.

    O fato de Kilamba ser uma cidade fantasma vem sendo divulgado por veículos sérios da mídia de um sem-número de países.

    Você não precisaria lembrar sobre o papel da China em Angola, porque este é público e notório.

    A afirmação de que o vídeo é propaganda teve a fonte citada: a BBC de Londres.

    O objetivo do post, naturalmente, não foi denegrir o país irmão de Angola, mas mostrar uma realidade inegável.

  • Ismael

    Esse senhor, J E dos Santos, faz inveja a Maluf e a Lula. Falando em custos, no Brasil, onde a mão de obra é mais cara, o custo de um apartamento popular, seja Cohab-SP, CDHU ou Empreiteiras pela CEF gira em torno de 100 mil reais ou 50 mil dólares, sem contar que a 30km de Luanda o custo doterreno deve ser irrisório. Superfaturamento típico de governos populistas.
    O que prova também que o problema habitacional é parte da estrutura social. Povo sem empregabilidade é povo sem renda, depois se as pessoas com renda são poucas, por que elas iriam morar num “fim de mundo”? Luanda é muito melhor.
    Nisso, nossos irmãos angolanos se assemelham a nós pela herança patrimonilaista portuguesa, é o modelo pombalino aplicado ao socialismo. Vote no PT quem aprová-lo.

  • bereta

    A estupidez humana independe de cor, continente, olhos oblíquos, cabelos lisos ou crespos, etc., e etc. A estupidez é inerente ao ser humano. A história nos conta que africanos negros aprisionavam africanos negros para vendê-los aos traficantes de escravos. O mal habita o coração do homem. O capital o corrompe. Todos queremos o bem estar de nosso próximo, mormente os governantes, quando percebem que na consecução desse bem estar eles poderão aumentar o seu próprio “bem estar”. Fui claro? Nada contra o capitalismo em si, viu, José Carlos? Mas o amor ao dinheiro é a raiz de grandes males. Um bom negócio só será bom se ambos os lados puderem ganhar. Jamais será um bom negócio, se o for apenas para um dos lados. Voltemos ao Brasil, onde se apinham milhares de pessoas em cubículos que mal se prestam a divisórias, com trinta anos para quitar o financiamento, sob a explicação de que terrenos maiores onerariam o custo das obras….E ainda vendem a idéia de que os compradores estão comprando felicidade. Bah…..Além do que, edificam em terrenos recém aterrados. Venha a Cuiabá e comprove o que escrevo.

  • Angolana

    Meus caros irmãos brasileiros de Portugal tivesse sugado Angola por cinco séculos concerteza que não estaria agora a viver de esmolas da Troika. É lamentável que a pátria irmã brasileira veja portugal como um sanguessuga!

  • Carlos

    O Kilamba so foi construido pra mostrar ao mundo que o corrupto eta a trabalhar.

  • julio

    Caro senhor, porque ainda essa malinidade de acusação contra Portugal? Sugou? Puxa, isso é muito feio e creio que a imigração de italianas pelo mundo, ainda que fugindo da fome tenha causado mais mal pela falta de patriotismo aos países onde tenham ido que os portugueses em Angola, pois é certo que sempre vem a Itália em primeiro lugar até para os netos de avós italianos, citados aqui como exemplo, mas que vale para muitos.Enquanto que, já é publico esse entendimento que o português onde vá aí é a sua terra. Desculpe a franqueza, mas esse tipo de comentário somado e deflagrado ao longo do tempo gerou ódio e a repulsa contra nossos descobridores e isso resulta nisto… Petismo demagógico e acusador dos anteriores e até de Cabral,como maior culpado do agora caos. Uma nação se constrói com verdade não demagogias por falta de pesquisa… Afinal, temos o país mais rico do mundo, cuja pobreza de seu povo é proveniente da falta de auto-estima causado por essa propagando marxista, gramscista, e retórica fácil. quando até a manga e o coco vieram da Índia, imagine o que não veio dessa “INVASÂO”? desculpe mas esse tipo de comentári é no mínimo leviano e não leva em conta as contrapartidas…

  • Ismael

    Júlio, voce reclama de preconceito contra portugueses mas acusa de falta de patriotismo os descendentes de italianos. E os espanhóis, japoneses, judeus, poloneses? Por favor. Concordo que os portugueses que aqui vieram morar e trabalhar, desde tempos remotos inclusive, ou que foram para Angola criar empresas e riquezas e depois foram de lá expulsos com uma mão na frente e outra a trás, não tem culpa. Mas é fato que o colonialismo, como política de governo, foi motivo de revolta em todas as colônias, a começar dos EUA, onde os ingleses SUGARAM com impostos os colonos puritanos. Os italianos sugaram a Abssínia, hoje Líbia, os espanhóis sugaram o México e até os japoneses sugaram a China.
    E eu já tive o prazer de sugar italianas, japonesas, espanholas e muitas brasileiras kkkk.

  • julio

    Ismael, Citei os italianos como exemplo, mas você completou o raciocínio, vale para todos os povos, mas é preciso também ressaltar os feitos. Afinal até a simples manga e o coco vieram da Índia, sem falar do país continental unido por uma língua… O que levaram não é nada perto do que deixaram e não tem preço…veja, por exemplo um dos maiores delatores do passado, em 8 anos arranjou com seu filho 3 bi de dólares, isto já em 2006! Esse sim é um sugador vampiresco. Já quanto às outras sugadas também as confesso, e algumas nem muito clara ficou a origem, nem precisava rsrsrsr

  • fpenin

    Caros colegas,
    Os senhores acham que todos os países que chegaram à situação de Estados Unidos, Canadá, México, Chile, Argentina, Brasil e outros, seriam o que são sem os colonizadores?.Não há como fugir: há males que vêm para o bem.Agora, há gente que não aprende, que gosta de sujeira e de roubar; infelizmente, o nosso Brasil é vítima dessa turma. A contribuição que a imigração deu ao Brasil, principalmente no Sul e Sudeste, é inestimável.

  • Hélio

    É muito comum esta idéia de culpar os países colonizadores por todos os problemas que as ex-colônias tem nos dias de hoje. É óbvio que alguma parcela de responsabilidade eles tem, mas parte destes países também cometeram erros após sua independência, e que resultaram na sua situação atual. Estive recentemente em Portugal, e durante a viagem escutei várias vezes as famosas frases’, ditas por brasileiros da minha excursão : “eles só nos exploraram, se tivessemos sido colonizados por franceses ou holandeses, hoje seríamos um país melhor” e “o que poderia se esperar de um país que no início serviu como depósito para bandido”? Primeiro erros, é considerar que os colonizadores só fizeram maldades, e não deixaram nenhuma herança positiva. Segundo erro,é não levar em conta que na época do descobrimento do Brasil (ou achamento do Brasil, como dizem os portugueses), era um política de TODOS os países europeus explorar suas colônias. Ou seja, se não fossemos explorados por Portugal, seríamos explorados por algum outro país, inegavelmente. Além disso, vale lembrar que o único país cuja parte das colônias se tornaram países desenvolvidos foi a Inglaterra. As colônias de outros países ou se tornaram países em desenvolvimento (Brasil) ou subdesenvolvidos (Argélia, Líbia, Antilhas Holandesas, Haiti, etc). Por último, vale lembrar que a Austrália também foi usada como prisão, no século 19, e hoje é desenvolvida. Ou seja, são muitos os fatores que levam um país ao sucesso ou ao fracasso.

  • duduzinho

    Será o Benedito meu caro Setti?
    Será que o Brasil e Angola ambas ex-colônias Portuguesa tem o mesmo problema no DNA? Ou seja: sds.

  • duduzinho

    Brasil mesmo DNA dos Angolanos ou seja: Estado grande, pesado, difícil para o povo carregar, perdulário e corrupto. sds

  • António Pereira

    Deixo um endereço de um blogue dedicado à língua portuguesa e dirigido a toda a comunidade lusófona: http://acordo-ortografico.blogspot.com
    Eis o desafio de hoje: devemos escrever peru ou perú?
    No blogue, encontra a resposta e a explicação.
    Abraço desde Lisboa.
    AP

  • Quim

    A afirmação de que os portugueses sugaram os Angolanos é de uma falta de cultura e conhecimento historico desmedido completamente da realidade. Ao contrario de outros colonizadores, Portugal sempre se confraternizou com os povos que foi descobrindo ao ponto de se viver 1000x melhor nas antigas colonias que em Portugal. As riquezas geradas nas antigas colonias eram mantidas em grande maioria lá. Eu, como portugues tenho visitado muitas vezes Angola e sempre que contacto as populações, estas demonstram-me um saudosismos gigantesco do tempo em que os portugueses lá estavam e não havia guerra, tinham salarios ao fim do mês e as coisas funcionavam para todos. Hoje em dia, com a entrada de Americanos, empresas brasileiras e chinesas o que se vê é uma autentica pilhagem dos recursos Angolanos e quando todos se vierem embora, somente restaram os portugueses para os ajudar, pois o resto da corja somente lá está para sugar até ao tutano este povo Angolano que tanto tem sofrido nestes ultimos 40 anos.

    OK, Quim. Sou um ignorante total. Não sei, não li nem ouvi nada, nunca, sobre a barbárie da colonização portuguesa em Angola.

    Não tenho amigos angolanos, desde os tempos da Universidade de Brasília, não tenho amigos empresários que investem em Angola e conhecem sua realidade, sou um absoluto obtuso.

    Então me faça só um favorzinho: leia o romance “O Esplendor de Portugal”, do grande escritor português António Lobo Antunes, e depois a gente conversa, tá?

    Saudações.

  • satyrojr

    Nossa nação é de diploma e não de diplomados!!!!

  • satyrojr

    Nação de diplomas!!! Honoris Qalqer coisa!!!

  • elson tchombela

    preços muito elevado dos apartamentos isso para excluir muita gente de ai morar

  • Daniel

    Sou brasileiro, me considero uma pessoa viajada (já estive em mais de 30 países)e posso afirmar por experiência própria que em Luanda o povo possui uma imensa aversão a Portugal.

    Me surpreende o comentário abaixo do Quim de dizer que Portugal é tão bom para a Angola.

    Agora cabe um adendo, tive a impressão de que agora quem está sugando a Angola é o Brasil, especialmente a Odebrecht.

    Nós brasileiros, diferente dos portugueses, ainda não somos odiados por lá. Ainda..

  • Paula

    Depois que Portugal sugou, sugou mesmo, suas antigas colônias, hoje maltrata brasileiros e africanos que emigram para lá. São xenófobos, racistas, arrogantes e maltratam as pessoas que chegam lá em situação de dificuldade. Sou filha, neta bisneta e descendente a perder de vista de portugueses pelo lado materno; viajei varias vezes pela Europa passando por Portugal em viagem de turismo com a familia e fomos bem tratados mas leiam os comentários no jornal portugues DN a respeito dos africanos e brasileiros que residem e trabalham lá, e mesmo sobre nossos jogadores de futebol que jogam em seus times.

  • Ramiro Lopes Andrade

    Discriminação de Engenheiros Brasileiros em Portugal

    Venho divulgar a discriminação realizada pela Ordem dos Engenheiros Portuguesa, contra 153 Engenheiros Brasileiros em Portugal.

    Agora que Portugal está em crise económica profunda, os engenheiros portugueses querem exercer sua profissão no Brasil, com todos os direitos dos brasileiros, sem certificarem os diplomas em universidades brasileiras, como exigem aos brasileiros em Portugal.
    Peço que divulguem !!!!!!!!!!!!

    Reciprocidade é o que eu, e meus outros 152 colegas exigimos.

    Exigimos justiça contra a Ordem dos Engenheiros Portuguesa.

    Que os engenheiros Portugueses bebam do mesmo veneno, que nós Brasileiros provamos em Portugal.

    Por favor, ajudem-nos.

    Peço a todos os meus colegas do Brasil que DENUNCIEM OS ENGENHEIROS PORTUGUESES A TRABALHAREM ILEGALMENTE EM SUAS EMPRESAS, JUNTO DOS CREA´S, E JUNTO DO MINISTÉRIO DO TRABALHO.

    Obrigado.

    Ramiro Lopes Andrade
    Engenheiro Civil
    Carteira Profissional nº RJ-881003779/D
    Reg. nº 1988100377
    e-mail:
    ramiro.lopes.andrade@gmail.com
    engenheiro.brasileiro.ramiro@gmail.com

  • Alexandre

    Seu comentário me ofende pessoalmente. Quando você aprender a ter educação e quiser me criticar civilizadamente — e, sobretudo, com algum fundamento, coisa que suas ofensas não ofereceram –, aí sim eu publico.

  • bereta

    Caro Setti…. sei que deve receber milhares e milhares de manifestações de final de ano. Poderia anotar mais uma? Dias difíceis hoje, quando temos um milhão de conhecidos e meia dúzia de amigos. Não tenho a pretensão de chamá-lo de amigo, pois nem sequer nos conhecemos. Porém, como se diz que é pelo dedo que se conhece o gigante, seus dedos (o que você escreve), dão-me motivo para imaginar que se não tenho um amigo gigante, pelo menos me comunico com um gigante. Foi gigantesco o seu esforço no ano que finda, para nos manter informados sobre os desmandos no país. Ao mesmo tempo, nos brindou com matérias saborosas, fotos incríveis e assuntos mais amenos que o fardo que certos políticos jogam sobre nossas costas. Mas eles passarão! O que não passará é o carinho que você tem pelos seus eleitores, ainda que algumas vezes aplique-lhes a borduna, merecida borduna. Assim, a você, um de meus blogueiros preferidos, os votos de feliz natal. Que a paz, matéria de difícil obtenção, esteja sempre na sua vida. Obrigado pela atenção que sempre me dispensou, lendo e acusando a leitura do quase nada que escrevo. Só me resta permanecer fiel ao seu blog, se a Claro não cair na tentação de diminuir a carga que alimenta meu lap.
    É com grande prazer que publico sua mensagem.
    Muitíssimo obrigado!
    E claro que pode me chamar de amigo, oras.
    Um forte abraço

  • Mefistófeles

    Kilambança do governo angolano…

  • Sergio the original since 1ª Leitura

    Caro Setti:

    Quando eu vejo a volúpia das construtoras desse rincão a fincar espigões financiados para a classe média endividada, arrepio-me em pensar no que pode acontecer no futuro quando acabar a ilusão …

  • Mário Soares - Portugal

    O que une o mundo lusófono é a corrupção desmesurada!

  • francisco meireles

    hola, soy de Paraguay desde que descubrí tu blog me volví un fanático. Gracias por mostrarnos un mundo que no lo veríamos en otros sitios. (disculpas por escribir en castellano, es que me expreso más fácil)
    No pasa nada, estimado Francisco. Puedes escribir en castellano, no hay ningún problema.
    Muchas gracias por tu mensaje, es un placer tenerte a ti como lector.
    Saludos

  • Ricardo Martins Soares

    Seu comentário racista não será publicado. Além do mais, é uma enorme, colossal estupidez ignorar a contribuição fundamental que a imigração estrangeira do século XIX e começo do século XX trouxe para o Brasil.

  • Flavio Azevedo

    Há um ódio velado entre Brasil, Portugal e os países africanos que falam português. Brasileiros repudiam Portugal por ter colonizado e explorado isso aqui. Brasileiros também tem certa aversão aos africanos devido a um erro colossal da monarquia brasileira não ter deportado os escravos quando estes foram libertos. Creio que a imigração estrangeira européia foi menos danosa do que a africana. Além do mais não custa nada lembrar que os próprios negros africanos é que vendia os escravos!

  • M

    Primeiro foram sugados pelos portugueses, agora serão pelos chineses.

  • Germano

    Para ler António Lobo Antunes???!!!
    Como não gosto de esquerdistas, de comunistas, de socialistas, de petistas, etcteristas, então não sigo a dica dada aqui para ler esse escritor, porque deve trazer o DNA da mentalidade de esquerda!!!

    (Parte da sua experiência clínica foi praticada em Angola, durante a Guerra Colonial. “Quando fui para África, ainda que contasse com pouca experiência cirúrgica, tinha de fazer amputações, tinha que fazer essas coisas tramadas que há a fazer em tempo de guerra… Então, levava o tratado de cirurgia, o furriel enfermeiro, que não podia ver sangue, ia-me lendo aquilo tudo, os procedimentos, e eu ia operando. Felizmente nunca nos morreu ninguém assim. Portanto, a minha relação com a medicina era essa.”)

    Ele mesmo afirmou ter ido para medicina por acaso (não foi por vocação – então para mim não deve ter sido um bom profissional – jamais me consultaria com ele).

    Faz parte da sua biografia: especializou-se em psiquiatria por pensar que era parecido com literatura (?!).

    No que concerne à política, foi militante da APU (1980). No entanto, em relação à questão do poder, afirma estar um pouco distanciado, talvez por formação e herança do seu pai que era anarquista. Lobo Antunes caracterizou numa entrevista o pai da seguinte forma: “Ele é realmente um homem de uma grande visão, de superior inteligência, de grande sensibilidade.”

    APU = Aliança Povo Unido – antiga coligação (1978/1987) formada pelo Partido Comunista Português (PCP), MPD/CDE e PEV, tudo comunistas.

    Sobre a escrita, Lobo Antunes diz: “Eu escrevo livros para corrigir os anteriores, E ainda tenho muito para corrigir….

    http://www.citi.pt/cultura/literatura/romance/lobo_antunes/ala16.html

  • Germano

    Ah, sim, quase esquecia (sobre António Lobo Antunes):
    Em Novembro de 1995, disse ele:
    “A minha família tem pouco sangue português: sou meio brasileiro, meio alemão.”

  • João Loreto

    Angola é uma imensa favela, onde na maioria dos bsirros tem um chafariz como único ponto de água como fonte.
    O regime totalitário dissociado das necessidades do povo constrói só por construir.

  • DIZ

    Se quiserem saber tanto aqui como acolá, é só seguirem o dinheiro pago as construtoras. Corrupção , super-faturamento, desvio de dinheiro na certa, tanto lá como aqui.

  • paolo

    fazer o quê?país de língua e cultura portuguesas só servem para ratazanas encher os bolsos.aqui no brasil temos um bom exemplo:lula,um vagabundo que só sabia provocar greves e se dessem erradas,caía fora.

  • paolo

    o mal do Ricardo setti é que ele dá a impressão de ser discípulo do (in)corretamente político e fica censurando comentários que desagradam o atual partido no poder.que é isso?medo de perder patrocínio?

  • Raul da Silva

    Kkkkk

  • Patrick de Oliveira Brito

    Seu comentário era ofensivo e foi deletado. Tenha educação e respeito por um jornalista sério e aí, sim, eu publico suas críticas sem problemas.

  • adelia

    informação enganosa,so devem ser tugas, isso é inveja seus mortos de fome. estes tipo de comentarios que voces fazem é com proposito de desonrientar as nossas boas obras, nosso país esta a crescer aos poucos vamos mudando e as nossas cidades estão super habitadas. obs. não se construi um país em apenas 1 decada, ainda temos muito trabalho afrente, por isso parem de colocar lenha na fongueira.

  • João

    A Adelia já viu com atenção onde é publicado este artigo? Nem tudo o que é escrito em português tem origem em Portugal, e neste caso em concreto trata-se de um artigo de uma publicação Brasileira. Lenha para a fogueira foi aquilo que a senhora fez, ao extravasar um ódio pelos portugueses, que felizmente não é acompanhada pela generalidade dos angolanos. Arrisco até a dizer que esse estado de espírito é coisa de uma ínfima minoria de angolanos. Poderia ter aproveitado este “tempo de antena” para explicar a quem escreveu o artigo, que o Kilamba é uma cidade onde vive muita gente, onde nascem todos os dias negócios, e onde se tem qualidade de vida, apesar do transito da Via Expresso. Pena que tenha desgastado as pontas dos seus dedos a injuriar os portugueses.
    Só para terminar:sou Português, trabalho em Angola e vivo no KILAMBA!!!

  • Antonio Henriques Cardoso

    E tudo graças ao nosso dinheiro. Não acredita?

    http://www.folhapolitica.org/2013/12/dilma-repassou-mais-de-r7-bilhoes-para.html

    Só de prostituta o presidente gasta R$ 250 mil!

    Acorda Brasil!

  • alberto santo andre

    ao joao ,so para confirmar o que ele disse ,esta materia apareceu na bbc inglesa ,ja a algum tempo ,portanto nao foi nem um blog brasileiro ,e nem tampouco um blog portugues ,que fez a materia ,mas simplesmente uma da emissoras com maior credibilidade no mundo ,caso nao seja a maior,em materias investigativas ,e cientificas,em um raro caso de imprensa publica honesta e crivil.caso queira desmentir esta reportagem da bbc,basta que voce comprove que a mesma esta errada, ou com falta de veracidade ,que a bbc nao tera o minimo constrangimento em se retratar.

  • anonimo

    E, tem muito angolano (ángulánu..) gastando o produto do roubo no Brasil. É telefone de ouro, vaso sanitário de prata etc.

  • Renata

    Pronto, tá resolvido o problema do déficit habitacional no Brasil: exportem-se todos os sem-teto invasores de propriedades para Angola e China. De quebra, economizam-se os recursos do Minha Casa Minha Dívida, ops, Minha Vida.

  • Luiz C.

    O Governo poderia fretar uns 5 navios e uns 10 aviões e exportar o Boulos e sua trupe para lá…

  • Wilson Barros

    Prezado Ricardo,

    O que me chamou a atenção é o seguinte:
    Para construir uma cidade para 500.000 pessoas, foi o
    mesmo valor de 02 estádios da copa, ou seja
    3,5 bilhoes de dolares. Ou estou errado?

    ABRAÇOS

  • Rui Martins

    Caro Ricardo,
    “a ex-colônia que Portugal sugou durante cinco séculos”????
    Falar algo assim mostra a sua total ignorância em relação a Angola e ao passado dos portugueses no território.
    Portugal sugou tanto que em 1975 deixou em Angola as melhores infra-estruturas em África. Portos, Aeroportos, Caminhos de Ferro, hospitais, etc… etc… do melhor que havia no mundo.
    Aos ignorantes que tanto falam mal dos portugueses e dizem que são mal-tratados em Portugal, vejam como o Brasil trata os Brasileiros e os Estrangeiros. Não falem dos outros, antes de falarem de vocês.
    Têm a mania das grandezas, chegam a qualquer lugar se achando, verdadeiros pavões. Não cumprem regras, não são humildes.
    Quantos aos Angolanos odiarem os portugueses… é de rir… porque os que fomentam esse ódio, têm todos dupla nacionalidade e passam mais tempo na CIVILIZADA Lisboa que em Luanda.

  • Kitty

    Não consigo postar nada devido a um problema técnico, já que o meu nome e e-mal desapareceram dos espaços indicados para estes fins. Agradeço uma resposta se esta mensagem chega aos mediadores ou titular do Blog!! Agradeço uma resposta-Kitty

  • Marcella

    Ao mostrar a primeira família a dona de casa está folheando uma revista de cabeça para baixo. Angola, é desumana no Brasil não perde nada para Angola. Tristeza.

  • Luis Martins Soares

    O comentarista desta coluna não tem noção do que escreveu. Primeiro estude um pouquinho da História de Angola, no tocante á chegada de Paulo Dias de Novais à ilha de Luanda, senão leia um pouco:
    El-Rei D. Sebastião a 19 de Setembro de 1571 habilita Paulo Dias de Novais (1575-1589) com Carta Donatária que o instituía o título de “Governador e Capitão-Mor, conquistador e povoador do Reyno de Sebaste na Conquista da Etiópia ou Guiné Inferior”. Paulo Dias partiu de Lisboa a 23 de Outubro de 1574 com dois galeões, duas caravelas, dois patachos e uma galeota, chegando à vista da Barra do Kuanza costeando mais para o norte entrou na Barra da Corimba, na época ainda navegável para as caravelas, desembarcando depois na chamada Ilha de Loanda a 11 de Fevereiro de 1575. Lá encontrou 40 portugueses estabelecidos, cerca de sete povoados e sete embarcações fundeadas para o transporte de escravos, ancorados na Baía. A ilha de Luanda não era região ideal para se estabelecer e Paulo Dias mudou-se para terra firme onde fundou a vila de S. Paulo de Loanda com sua igreja dedicada a S. Sebastião santo de devoção do Rei e dos portugueses sendo a data oficial de 25 de Janeiro de 1576. A partir desta data é destas paragens é que Portugal começou conquistando e povoamento mais terras onde com o Mapa cor de Rosa se limitaram as fronteiras do território chamado Angola. Portugal, como sempre, foi um colonizador que sugou bastante tempo esqueceu-se de sugar petróleo cujas jazidas foram detectadas pela Cabinda Gulf Oil em 1930, salvo erro e fechadas à exploração. Sugou muito pouco os diamantes que serviram para alimentar a guerrilha do Savimbe e agora servem para engrossar as contas do Presidente de Angola, filha e capangas como é do conhecimento de toda a imprensa falada e escrita quer nacional, quer internacional. Se tivesse sugado tinha exaurido as reservas de minério de ferro de Cassinga e outras reservas ainda existentes. Poderia relatar um pouco mais meus relatos mas me contento com estes.
    Refaça os cálculos por favor. Ah! Sou nascido em Angola, filho de pai português e mãe benguelense. Tenho muitos motivos para criticar Portugal, como tenho feito nas redes sociais mas sempre com a verdade.

    Poderia me explicar que raios tem essa súmula histórica de Angola oferecida em seu comentário com o post que publicamos?
    Que cálculos precisam ser refeitos, meu caro senhor?
    E por acaso Vossa Excelência percebeu que este texto foi produzido originalmente há DOIS ANOS E MEIO?