Nada como uma campanha de conscientização bem feita.

Alarmados pelo que consideraram um elevado número de mortos nas estradas em 1989 (um total de 776), em dezembro daquele ano a Comissão de Acidentes no Transportes (TAC, da sigla em inglês) de Victoria, o segundo Estado mais populoso da Austrália, com 5,5 milhões de habitantes e cuja capital é Melbourne, inaugurou uma revolucionária campanha televisiva com objetivo de inibir o uso de álcool e outras drogas entre motoristas.

20 anos de vídeos extremamente fortes

Ao longo das duas décadas seguintes, 40 peças seriam levadas ao ar, abordando inúmeras situações que propiciam tragédias ocorridas nas estradas e nas cidades por culpa de pessoas que dirigem entorpecidas: fulano que diz que só tomará uma cervejinha, sicrano sem condições de dirigir que se recusa a passar o volante para um amigo, o constrangimento de ser pego no bafômetro, a agonia das famílias nos hospitais.

A média de um anúncio a cada seis meses foi um dos carros-chefes do trabalho da TAC, bem como a objetividade e até agressividade dos slogans (o mais conhecido é “se você bebe e depois dirige, é um maldito idiota”).

Mas o que marcou para sempre a vida dos telespectadores australianos foi a visceralidade, o realismo e a profunda emotividade – tanto no conteúdo quanto na forma – dos filmes.

Em alguns, os acidentes eram reproduzidos com uma crueza e perfeição técnica que os tornavam quase insuportáveis de se assistir, o que era justamente o objetivo de seus criadores. Já outros exploravam o desconsolo de familiares de vítimas reais de acidentes fatais (como a batizada “Pictures of You”, das fotos acima do texto).

“Um longo caminho a percorrer”

O resultado? Bom, em dezembro de 2008 foram divulgados novos números: 303 mortos em acidentes no ano. Ou seja, 60% de redução no índice. Uma queda para encher de orgulho os australianos e servir de exemplo ao mundo. A descendente continuaria em 2009 (290) e 2010 (288).

E para quem pensou que o órgão responsável pela campanha se deu por satisfeito, o maior tapa na cara publicitário ainda estaria por vir: para marcar os 20 anos do projeto, a TAC lançou em 2009 um vídeo de mais de 5 minutos, com trilha sonora de “Everybody Hurts”,  belíssima balada do R.E.M., que resume trechos de todas as campanhas anteriores. (Assistam abaixo)

Um verdadeiro soco no estômago impulsionado pela frase “ainda há um longo caminho a percorrer”. Se assistir a este único filme já causa tanto impacto, imaginem passar duas décadas acompanhando os outros.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + onze =

18 Comentários

Mara Joseane F. de Simas em 29 de julho de 2014

Esse vídeo é muito forte mas infelizmente ainda é a realidade das estradas pelo mundo a fora, quantas vidas perdidas e famílias destruídas pelo álcool e pela imprudência, é triste muito triste, só quem passou por isso que pode dizer.

Flávio Peralta em 18 de dezembro de 2011

vc recebeu nosso livro Amputados vencedores Recebi em São Paulo -- fui avisado -- mas ainda continuo fora do país, caro Flávio. Agradeço muito e vou vê-lo com carinho e atenção. Um abraço

Flávio Peralta em 09 de novembro de 2011

Ricardo gostaria te enviar Livro,Nosso Livro Amputados Vencedores,esgotou primeira edição,gostaria se saber se podemos divulgar aqui,Choque 13.800 volts que levou Amputação dos braços. Caro Flávio, terei prazer em receber. Mande a meus cuidados para Redação VEJA Editora Abril Avenida Nações Unidas, 7.221, 19º andar CEP 054250-902 São Paulo, SP Grato e um abraço.

Flavio Peralta em 05 de novembro de 2011

Olá Ricardo como vai,conheci seu blog numa palestra aonde fiz em Cataguases mg,após terminar minha palestra sobre segurança do trabalho aonde conto minha história um choque de 13.800 volts,Diretor empresa mostrou seu blog e o vídeo,vamos fazer uma matéria em nosso site Amputados Vencedores,e começar uma divulgação no Brasil todo,Obrigado pela excelente dica,após completar mais 400 palestras e viajar muito, realmente acidentes de carros e motos,estão muito desagradaveis e quando não matam deixam sequelas muito grave,são 8.000 amputações ao ano Abraços Flávio Peralta. Caro Flávio, muito obrigado por sua mensagem. É uma honra para mim saber que o blog serve neste caso para um propósito tão nobre. Volte sempre que puder. Um grande abraço

angela Aun em 29 de outubro de 2011

Pois é, as manchetes de HOJE informam que em 2010 foram mais de 40.000 mortes no trânsito no Brasil. E quase nada é feito. Nesses mesmos 20 anos, evoluímos muito pouco no que diz respeito a trânsito, a impunidade continua, a irresponsabilidade domina. O número chega a ser inacreditável, equivale a 20 Torres Gêmeas, mas o pior é pensar no sofrimento pessoal de cada família que foi atingida. Pobre Brasil, pobres de nós.

jfaraujo em 28 de outubro de 2011

Excelente o vídeo, somente mostrando vísceras expostas, ossos quebrados, mortes e famílias destruídas, a propaganda contra acidentes pode resultar em transformações práticas no comportamento dos motoristas, que ingenuamente acreditam estarem imunes a acidentes. Isso é psicológico, as imagens fortes costumam fixar mais na mémoria, como no exemplo das imagens de pessoas doentes pelos danos causados por cigarro, que obrigatoriamente vem nos maços. Como consequência, 30% dos fumantes largaram o vício.

sonia maria mesquita em 27 de outubro de 2011

Os comentários foram bons, bonitos, talvez o meu nao seja la estas coisas, sou sentimental e tola, entao eu chorei, chorei porque meu sobrinho e minha unica irmã dirigem por estas estradas, eu chorei sim, porque lembrei que já fazem quese dois meses seguidos que todos os finais de semana estão matando mais e mais, e todos saem impunes, quase todos bebados, por isto chorei, pois sei que em SPaulo, garis foram mortos assim, uma Màe e filha creio em frente a um shopping, e mais..imagina todas as cenas deste video doloroso tendo acontecido a poucos dias com gente como a gente. Tenho medo por minha família.

bereta em 25 de outubro de 2011

Caro Setti.... seu vídeo, bem como a reportagem nos mostram o resultado obtido em país cujo povo é um pouco diferente do brasileiro. Aqui, onde o carro é usado como status, e o consumo de bebida em rodadas e mais rodadas, um símbolo de ascensão social, talvez o resultado seja outro. Pois se até uma blitz onde se aplica o bafômetro gera reclamações! Somos avessos a ordens. Quando um policial nos para e indaga sobre documentos ou nos apresenta o medidor de dosagem alcoólica, deveríamos agradecer. É sinal que alguém está a cuidar da ordem. Quanto ao filme, embora o assunto não seja correlato, poderiam filmar o interior de nossos presídios e cadeias lotados, suas latrinas e a promiscuidade que lá impera. Ainda sobre trânsito, lembro-me de placas de advertência expostas a margem das rodovias paulistas na década de 60, onde se lia:- NÃO CORRA ...NÃO MATE...NÃO MORRA. A VÍTIMA PODE SER VOCÊ. Pensei muito sobre aquele texto. Então, se a vítima fosse o outro, se justificaria a corrida? Sempre torci para que os dizeres questionassem a inteligência dos motoristas. CORRA.... MATE .... MORRA. VOCÊ É MESMO UM ESTÚPIDO. Creio que esse tratamento de choque também possa surtir efeito. Como observador do comportamento humano, embora empírico, concluí que não aprendemos com o erro dos outros. Alguém poderia mostrar um erro realmente NOVO? São válidas todas as campanhas para diminuir o número de vítimas, claro. Mas só exemplos não serão suficientes enquanto os CAUSADORES VOLUNTÁRIOS não forem devidamentes qualificados como imbecis.

Marta Otto em 25 de outubro de 2011

Prezado Setti, acompanho diariamente a sua Coluna, porque aprecio os temas e a forma como são tratados. Parabenizo-o pela elegância profissional, aspecto tão raro em todas as atividades. Seu espaço é realmente democrático e digno de ser compartilhado. Assisti há pouco o vídeo, cujo link compartilho abaixo, que nos mostra os penteados da mulher, desde a pré-história até os dias atuais. Certamente, o vídeo é resultado de boa pesquisa sobre as culturas em várias épocas e sua influência nos costumes. Uma verdadeira aula, onde podemos ver um pouco, também, de vestuário e de maquiagem. Atenção às sobrancelhas, embora sutil, mas se pode perceber as mudanças em cada época. http://youtu.be/DLV3yOQQrpY Marta, muito obrigado pelo elogio e pelo envio do link. O vídeo é sensacional mesmo. Abraço

Geneuronios em 25 de outubro de 2011

Deveriam fazer vídeos chocantes sobre DEPENDENTES QUÍMICOS e passar nas Escolas para induzir a criança e adolescentes a se afastar totalmente das drogas.A situação está grave e daqui há pouco será irreversível. Em todas as classes sociais famílias estão se destruindo por causa das drogas.

Vera Scheidemann em 25 de outubro de 2011

Ricardo. Esse filme deveria ser exibido na TV brasileira com a mesma frequencia com que são mostradas as propagandas de álcool. Talvez assim, quem sabe, as pessoas se sensibilizassem um pouco e parassem de fazer loucuras. Além disso, temos a famosa impunidade (ninguém é obrigado a soprar no bafômetro para não produzir provas contra si mesmo). A Band mostrou recentemente uma entrevista com um idiota que disse estar bem tranquilo com seu possante veículo dotado de ABS e airbag. Perguntado sobre a segurança de quem não estivesse dentro do seu "blindado", o cínico respondeu do alto de sua certeza de nunca ser punido pela morte de alguém - "Aí é só pagar a fiança e pronto". É de dar nojo ouvir uma coisa dessas. Ainda temos um longo caminho a percorrer, com toda certeza ! Mas precisamos iniciar logo a caminhada sem mais delongas. Um abraço ! Vera Vera, um absurdo sem tamanho a declaração deste imbecil. Uma pena saber que há muita gente que pensa como ele. Concordo plenamente que, com uma campanha parecida com esta australiana, seria possível diminuir em muito o problema no Brasil. Abraço

Nelson Pedra em 25 de outubro de 2011

Obrigado por dar a oportunidade de conhecer tão belo trabalho.Chorei ao ver o vídeo,pois nenhum tesouro é maior que a vida.Já perdi meu sogro em acidente e sofro todos os dias pelas famílias que enterram seus amados,quando sabemos que a maioria dos acidentes poderiam ser evitados.Isso sem falar nos aleijados que sofrem pela vida afora. Parabéns e um abraço!

Carlão em 25 de outubro de 2011

Ricardo, meu caro Num trânsito assassino como o nosso, posts assim são muito bem-vindos. (tem uma correçãozinha,edite o comentário para publicar, ok? está escrito "cicrano" no texto) Campanhas publicitárias são parte importante de uma estratégia. Não vejo, porém, como fazê-las sem que haja uma repressão severa aos faltosos. Viu o comercial e resolveu repensar sua atitude? Maravilhoso. Viu e não ligou nem um pouco? Desses, as blitze cuidam. Abração do Carlão Obrigado, Carlão. E já corrigi o errinho. Abraço

jose afonso em 25 de outubro de 2011

Voce faz um bem enorme postando este video, juntamente com suas palavras. Como podem as autoridades brasileiras nao agirem, fortemente, para acabar com as 60.000 mortes, que ocorrem anualmente, no transito. Sao verdadeiros criminosos.

Reynaldo-BH em 24 de outubro de 2011

Tenho acompanhado estes vídeos do TAC. E postado, seja no Orkut e agora no Facebook. E dolorosamente, só quem já perdeu alguém nestas condições consegue avaliar a intensidade e dor que estas cenas provocam. Sempre postos estes vídeos com uma observação: "Façam, por uns minutos, um esforço: ponha-se no lugar de filhos, filhas, pais e mães de quem está ali retratado! E tente se lembrar disto quando sair de casa para beber!" Reynaldo. PS: há um adesivo do TAC que é distribuído nas ruas da Austrália para ser pregado no para-brisa de frente para o motorista. Só com uma frase: you will drink or drank? Basta para lembrar o que se viu nos comerciais...

Atento em 24 de outubro de 2011

Acachapante! Realmente brilhante! Muito bom, Setti! E o alerta humilde de que, apesar dos ótimos resultados, "...ainda tem um longo caminho a percorrer". É isso aí: competência + recursos = resultados.

Alberto Gastegi em 24 de outubro de 2011

Alberto, não publico ataques a outros blogueiros de Veja. Quanto à sua menção à "lei de meios", se você apoia este tipo de censura, problema seu. E sobre a sua ameaça, nao vale a pena nem comentar.

Carlão em 24 de outubro de 2011

Ricardo Enquanto vejo seus vídeos... Arranja um espaço para mostrar esse vídeo da Honda: U3X Personal Mobility Concept http://www.youtube.com/watch_popup?v=cuIJRsAuCHQ É sensacional !

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI