Image
A Gran Vía, uma das principais avenidas de Madri, vista de cima, graças às capacidades de um “drone” (Imagem: reprodução)

Se, no contexto bélico, a palavra drone remete a uma máquina militar aérea letal e não tripulada, para os diretores de obras audiovisuais a história pode ser completamente diferente.

É o caso da produtora multidisciplinar madrilenha Cromática 45, que se divide entre trabalhos de vídeo, fotografia, arquitetura e design.

Para realizar o clipe-experimento Madrid Aereal Demo-Reel, a empresa recorreu a uma câmera típica de coberturas de eventos de esportes radicais posicionada em um pequeno drone, que voou por cinco dias sobre Madri. O resultado é um apanhado de imagens belas da imponente capital espanhola, sob um ponto de vista levemente artístico.

Segundo o diretor responsável, Iván Puña, o dispositivo custou cerca de 800 euros (perto de 2.700 reais). Para ele, ainda, o fato de este drone “do bem” ser compacto e leve (um quilo e meio) rende uma ampla gama de possibilidades. Principalmente por facilitar o acesso físico a mais lugares, diferentemente do que acontece com outros veículos aéreos não tripulados ou mesmo com helicópteros.

Ainda assim, as filmagens, realizadas em novembro de 2013, tiveram que ser feitas levando-se em conta uma série de riscos, como o choque das hélices com algum edifício ou a interferência as antenas, que causam a perda do sinal de vídeo.

Entre os cartões postais da linda metrópole presentes no minifilme estão o Arco de la Victoria, a praça de touros de Las Ventas e o Estádio Santiago Bernabéu, do Real Madrid.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 10 =

1 comentário

Marco em 11 de fevereiro de 2014

D. Setti, belo ponto de vista. Abs.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI