Ele chega ao hotel, dá seu nome e… enfrenta os olhares de desapontamento das recepcionistas.

O “ah….” de decepção é sua rotina. Reserva no restaurante, e o maitre o encara com incredulidade. Idem com o florista, com o entregador de pizza, o chofer de limusine…

Também, pudera: o sujeito, branco, careca, de óculos e já caminhando para a meia-idade, se chama Michael Jordan — tal qual o gigante negro de corpo perfeito, e o maior jogador de basquetebol da história.

Às vezes, ser xará de um famoso é um problema.

Trata-se de um divertido comercial da emissora de esportes americana ESPN, com o slogan de “Não é loucura, é esporte”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × cinco =

3 Comentários

Angelo Losguardi em 24 de abril de 2012

Excelente !!! rsrsrs Certamente deve ter muitos casos reais, e suponho que em muitos deles o homônimo deva se impor um apelido. Exemplo: certamente o camarada marcaria tudo como "Mike Jordan" pra frisar uma diferença...

oseas em 24 de abril de 2012

Por isso uso minha peruca loira!!!

Sel em 24 de abril de 2012

A reação do maitre é a mais engraçada

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI