Image
Doug Bower (à frente) e Dave Chorley: artesões comprovados do desenhos em plantações – mas quem seria responsável pelos milhares de outros espalhados pelo mundo?

Foi excelente a repercussão do post sobre os enigmáticos desenhos gigantes feitos em plantações, ou “agroglifos”, publicado neste blog no último dia 14.

Como era de se esperar, os leitores divergiram consideravelmente sobre qual a verdadeira origem dos tais crop circles (círculo de colheitas), nome em inglês dado as tais figuras.

Céticos x Crentes – e mais os que estão “no meio”

Image
Os círculos em plantações, como essas formas em Waden Hill, Avebury, dividem opiniões: arte, ET’s, brincadeira ou o quê? (Foto: APS Aerial Photography)

Em um extremo encontram-se os céticos, representados por leitores como Guilherme Schiroky, que enviou link para texto que menciona Doug Bower. Juntamente com o parceiro Dave Chorley, Bower ganhou fama mundial em 1991 ao reivindicar a “brincadeira” agrícola de amassar – e não cortar – as plantas em formatos exuberantes.

De outro estão os crentes. Entre os quais Ademar José Gevaerd, veterano ufólogo brasileiro e editor da revista UFO que, apesar de admitir a existência de “fraudes” – ou seja, desenhos gigantes criados por humanos com o intuito de parecerem obra de alienígenas -, garante que o “fenômeno é absolutamente legítimo”.

Entre as duas correntes, veio à tona o ponto de vista de alguns leitores segundo o qual não se pode provar nada sobre o envolvimento de inteligência não-humana nos desenhos, mas que isso não impede considerá-los uma espécie de arte.

Ouvindo todos os lados

Pesquisando um pouco mais sobre o assunto, encontrei um minidocumentário do canal televisivo National Geographic que aborda, deixando os preconceitos de lado, as três vertentes, sem defender uma verdade definitiva.

Image
Em comum, as imagens têm a falta de alguém que assine a “obra”. Essa é em Stanton, St. Bernard, Inglaterra (Foto: APS Aerial Photography)

Sim, estão lá os velhos Doug Bower e Dave Chorley mostrando como é possível, até para senhores de mais de 60 anos, traçar os complexos círculos. Mas também são abordados mistérios como a quantidade absurda de figuras como as de Bower e Chorley surgidas nas últimas décadas sem reivindicação de crédito, e em diferentes partes do mundo.

Marcam presença ainda no debate Andy Thomas, editor do site Swirled News, há mais de vinte anos dedicado ao estudo aprofundado dos crop circles, e o criador de desenhos em plantações confesso John Lundberg.

Image
Crop Circle em East Kennet, Wiltshire, também na Inglaterra (Foto: APS Aerial Photography)

Autodefinido como “nem cético, nem crente, apenas um artista que faz círculos nas plantações”, Lundberg não esquece de, antes de começar cada trabalho, pedir à “inteligência superior do universo” que o observa que lhe dê a inspiração necessária.

Abaixo, o vídeo produzido pelo NatGeo, dublado ao português:

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 4 =

13 Comentários

wd em 23 de setembro de 2018

Sim, foram dois velhinhos bêbados que criaram todas aquelas figuras complexas durante a noite, inclusive algumas medindo 800m de comprimento. As que eles fizeram nem de longe parecem com aquelas complexas figuras q ng ainda conseguiu explicar como foram feitas.

Fabrício em 01 de junho de 2013

Não é nada Extra Terrestre, assim como OVNIs nada mais são do que tecnologia secreta ocultadas é claro pelos governos. Manter essa possibilidade de que seres de outros planetas vem fazer desenhinhos em plantações, entre outros ... é a desculpa perfeita para os Governos agirem "livres" de suspeitas !

João Batista em 21 de maio de 2013

É claro que não é humano! Somente uma mentalidade imbecil poderia acreditar que pessoas normais possam criar estes símbolos nas plantações. Tanto que os "macacos" ingleses não conseguiram nem imitar um pouquinho os famosos e intrigantes símbolos.

Eduardo Nascimento em 09 de abril de 2013

Admiro o trabalho da National Geographic, mas por que esses documentários são feitos em tom de pastelão ? Por que o objetivo é só entreter e não esclarecer ? Concordo com o que disse José Luiz Martins: "algumas pessoas só conseguem raciocinar ( e crer) até onde seus 5 sentidos principais alcançam…". Grande parte das pessoas só se preocupam em uma coisa: estarem com a razão. Não importa para elas investigar seriamente, cientificamente, para tentar chegar a uma resposta racional. Importa somente ganhar, debochar dos outros. Lamentável...

Silvio Adriani em 04 de março de 2013

Não acredito que velhinhos fazem da noite para o dia circulos complicadissimos que até com compasso e esquadro é dificil de se fazer,ai aparece uns debil mentais que fazem umas coisas parecida mas sem a perfeição dos circulos originais e pronto,isso tudo fica banal e sem graça,porque é feito por humanos...humanos...vão fazer outra coisa e deixem os aliens fazerem sua arte.

Miguel Ramos em 03 de março de 2013

Estão evoluindo para outras formas de arte http://aberrantbeauty.tumblr.com/image/44420031013

fpenin em 26 de fevereiro de 2013

É de arrepiar: o corpo vindo do espaço, não se sabe de onde,tem ferro em sua constituição. O mesmo ferro que está no solo de Minas e do Pará e...em nossas veias e artérias, parte importante dos nossos glóbulos vermelhos. Quem se achar competente, explique...

Jose Luiz Martins em 21 de fevereiro de 2013

Infelizmente algumas pessoas só conseguem raciocinar ( e crer) até onde seus 5 sentidos principais alcançam... outro dia, li uma frase interessante em um site: " There are no secrets to a open mind"

Marcelo em 21 de fevereiro de 2013

Uma coisa é fato: há círculos que foram confeccionados por brincadeira mas que demoraram horas para serem feitos. O processo de confecção do círculo já foi bem documentado, mas foram necessárias dezenas de pessoas e com muito barulho e 12 horas de duro trabalho noite adentro. Pela manhã o que se viu foi uma imagem bem diferente das mais sofisticadas. O que deixa o pesquisador intrigado é a rapidez com que as imagens mais elaboradas foram feitas. Há relatos de fazendeiros que notaram a presença dos desenhos num tempo muito exíguo para que fossem feitos por várias pessoas e em horas.

Flavico em 20 de fevereiro de 2013

Ricardo, eu sou aquilo que chamam de cético, mas apenas me considero um sujeito de bom senso. Anos atrás tentei argumentar com um colega de trabalho (um "crente" em UFOs) que estes círculos nos campos da Inglaterra eram feitos por velhinhos aposentados brincalhões que usavam cabos de vassoura para amassar a vegetação. O meu colega, indignado e com a impáfia dos crentes, me respondeu que essa não era uma explicação razoável e que a resposta mais lógica era a dos aliens vindos dos cafundós do universo só para fazer desenhinhos e atrapalhar a vida dos pobres fazendeiros. Diante de tal lógica, calei-me e deixei o assunto para lá. O tamanho da orelha é que faz a besta, não é verdade?..

Luis em 20 de fevereiro de 2013

Como diria a Dona Milu naquela novela "Mistério!..."

Silvio Monteiro em 20 de fevereiro de 2013

Já foram entrevistados na BBC de Londres (é claro), os autores. São pessoas comuns com um bom talento. Ora, ET se fosse fazer, faria os desenhos de cristal, de ouro ou algo assim. Os ufologos apenas vão na onda porque vivem disso é claro.

Maco Aguilera em 19 de fevereiro de 2013

Um video ambiguo tipico de tv , alegra a todos os gostos.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI