Amigos, eis aqui um momento mágico e inquietante. Trata-se de uma parte do documentário do belga Jean-Pierre Dutilleux e sua equipe, que registraram o primeiro encontro de uma tribo isolada nas montanhas de Papua Nova Guiné, uma ilha na Oceania, com o homem branco – melhor dizendo, moderno. Os Toulambi se isolaram para evitar conflitos com outras tribos locais, na floresta tropical e, conhecendo bem o terreno, os animais, o ciclo da natureza, passaram despercebidos.

É possível observar o espanto dos integrantes da tribo, mas comparar a reação de adultos e crianças é muito interessante: para os homens adultos, cada novidade pode ser uma ameaça e é analisada com cuidado. As crianças também se admiram da novidade, e enquanto respeitam a autoridade dos mais velhos, mostram-se mais abertas. Contudo, para os de colo, a reação da mãe é o que mais importa ali, uma vez que tudo é ainda uma novidade.

Encantador!

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 16 =

22 Comentários

Abreu em 15 de novembro de 2013

. Cheguei tarde... mas o vídeo parece mesmo muito bom. Gostei, contudo, como a trilha sonora (música e não o próprio som ambiente) contribuem enormemente para a dramaticidade cênica (não me pareceu uma representação teatral -- embora pudesse ser!), fiquei 'meio' desconfiado. Afinal, ser brasileiro nos dias atuais é se submeter a todo tipo de embustes! Eu queria confrontar as minhas impressões com as de outros leitores e, pelo que leio abaixo, parece que ficou tudo no "empate". Será fraude? Por que sim ou por que não? Se sim, por que sim e se não, por que não? Pois é. Fiquei sem conclusão - a não ser a da permanente boa-fé (que jamais dispensa a dúvida). Dentre os céticos, gostei da ironia de Bugs Bunny - 31/07/2011 às 16:33. .

MARLOS SILVA em 12 de janeiro de 2013

AKI NO BRASIL TEM MUITO SO QUE ELES SABE EA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL O POVO TODO AVIAO BOMBA SOLDADOS

marlos em 06 de abril de 2012

nessa epoca aqui no brasil em varios locais da amazonia existia pessoas mais primitivas de que esses os curubos

marlos em 06 de abril de 2012

eu acho que esses indios sabia da existençia do homem branco so nao conheçia a sua tecnologia aqui no brasil nessa mesma epoca quando eu vi o primeiro veiculo foi um trator eu sai gritando pensando que um bigho apenas 55 cinco km de goiania naqueles fim de mundo nessaepoca

patricia m. em 01 de agosto de 2011

Lembrou-me o filme Meia Noite em Paris, quando a mocinha quer voltar para a Belle Epoque e o mocinho diz: nao havia penicilina!!! Eu dou gracas a Deus por nao ser um dos Toulambis... :-)

Atento em 01 de agosto de 2011

Emocionante! Valeu, Setti!

Lís em 01 de agosto de 2011

Caro Sr. Setti, o seu blog é um lugar de informação mas para mim, sobretudo, de entretenimento culturalmente democrático, rico em conteúdo atual e de primeira. É onde gosto de vir quando paro um pouco para tomar um chá ou café e ser presenteada com vídeos como este faz me crer que no meio da infeliz bagunça que a vida moderna promove em geral, ainda devemos nos sentir felizes e gratos por termos na nossa verdadeira essência alguma...humanidade! Agradeço muito suas palavras gentis, Lis. Que bom que você gosta do blog e encontra aqui entretenimento, além de notícias e comentários. Um abração

sidney em 01 de agosto de 2011

Setti F A N T A S T I C A experiencia !!!! Nao tem como nao nos emocionar-mos com o - FATO - , pureza,simplicidade deles todos. Podemos sooo imaginar a satisfacao e porque nao dizer tambem emocao daqueles que presenciaram. Obrigado Grande abraco

ondeé que ponho o dedão? em 31 de julho de 2011

Reação similar à minha quando apresentado ao i-phone, de muitos de nossos políticos, ao empunhar pela primeira vez uma caneta em cerimônia de posse e do Dunga ao se deparar com o futebol europeu.

Tuco em 31 de julho de 2011

. Obrigado pela réplica, Reinaldo-BH! Absorvo tuas palavras com carinho - e com o pouco entendimento que minha ignorâcia permite. Filosoficamente, o respeito que nutrimos um pelo outro faz com que a Natureza Humana se nos apresente com explendor. Sou grato a você. Por favor, assista http://www.youtube.com/watch?v=E-xZ6ULzJEk e conclua que ambos estamos certos! (Obrigado, RSetti, por permitir esta rápida interação em teu espaço.) .

Bugs Bunny em 31 de julho de 2011

Com roupa? Quem é o estilista?

tico tico em 31 de julho de 2011

Minha compreensão é de que lá está o Poder Absoluto, eterno na infinitude e infinito na eternidade, do tempo e do espaço, Não os deuses e congêneres on line, do deserto, nem os e as do Nilo, os e as do Ganges, ou do Himalaia e por aí vai.

Mari Labbate em 31 de julho de 2011

SETTI, esse maravilhoso vídeo retrata a Corrupção Brasileira: quem tem o que trocar, FICA, quem não tem mais, SAI, temporariamente. Esse é o grande detalhe! Os governantes do Brasil estão, ainda, nessa fase da Evolução Humana...

Jeremias-no-deserto em 31 de julho de 2011

É, seria muito bom mesmo se fosse verdade. Mas parece tratar-se de uma fraude, infelizmente.

Reynaldo-BH em 31 de julho de 2011

Prezado Tuco das 19:23. Como diria um homem que eu tenho como exemplo de honradez, Helder Câmara, "quem discorda de mim me enriquece!". E sua elegância e cuidado ao discordar mostra que acima de divergências, a honestidade de posições demonstra sim o caráter de cada um. Como o seu! Parabéns! E, óbvio, discordando de você. E me sinto estranho- mesmo fora do eixo normal - estando aqui defendendo idéias às quais tento me agarrar como náufrago. Se existe algo em que creio, em meio a minha falta de certeza, é na NECESSIDADE de um Deus. Para dar razão à uma existência, acima do humanismo que nos motiva e impulsiona. Que é essencial, e (por que não?) até divino!. Para que possamos entender a transcendência. Alguns mistérios (não físicos ou quânticos) nos fogem. Tenho inveja do verdadeiro ateu. E o respeito. Está em paz! Sabe - com certezas - das próprias convicções. Do mesmo modo de quem crê de modo honesto! É amparado e certo de um amparo que ajuda a viver. Ser um agnóstico (de maneira séria e radical!) é doído. (E como dizia Guimarães Rosa, entre "doído e doido é só uma questão de entonação!"). Sou um. Deus - ou o que quer que seja este relojoeiro que montou este Universo - não é desnecessário. Talvez seja incomodativo. Em todas as culturas. Sejam monoteístas ou politeístas. Sejam de inspiração de Abraão ou de Confúcio. Mais de 99% de nossas regras morais (e éticas) tem alguma ligação histórica (antropológica) com a imagem que fazemos de um Deus! E de passagens escritas. Isto bastaria para que nunca fosse desnecessário. Entendo seu comentário como uma colocação da "desnecessidade" de termos um Deus tirano, partidário e regulador de atitudes. E dependente das interpretações que cada religião (que vem de religare, ligar de novo!)dá a cada "deus", conforme seus ditames e cânones. Assim, amigo Tuco, discordando de você mas te respeitando sempre, Deus não e desnecessário. Mesmo para um agnóstico (ou mais até!) como eu! Ele pode ter qualquer qualificação que se queira dar. jamis desnecessário! Queira-me bem! Grande abraço.

Pedro em 31 de julho de 2011

Quando for encontrado um político honesto em Brasília o espanto dos brasileiros seria o mesmo.

Don em 30 de julho de 2011

Melhor ainda se não fosse uma fraude! É igual aquela notícia uns anos atrás de uma tribo na fronteira com o Peru que a Funai e a ONG Survival International resolveram divulgar para o mundo ser uma tribo isolada, mas que já tinha contato com a Funai há anos. http://loulouville.blogspot.com/2011/06/this-is-incredible-footage-from.html http://skeptics.stackexchange.com/questions/4840/is-the-tribe-meets-white-man-for-the-first-time-video-fake

Eddie Moraes em 30 de julho de 2011

Boa noite Ricardo! Por causa da carga maluca de trabalho estive ausente nos comentários nos últimos meses, mas não deixei de visitar seu blog para lê-lo um dia sequer. Tentarei voltar a comentar com mais frequencia novamente. O vídeo é simplesmente espetacular, de um valor antropológico, sociológico e humano inestimável. Vivemos nessa doce loucura diária pela sobrevivência e esquecemos de olhar ao redor e perceber a quase inesgotável riqueza que esse mundão proporciona todos os dias. Que bom que você proporciona isso ao postar essa maravilha. Obrigado. Eddie Obrigado por ter voltado aos comentários e por sua fidelidade ao blog, caro Eddie. Aqui você está em casa, seus comentários serão sempre bem-vindos. Abração

Lucas em 30 de julho de 2011

É como diz Hume, quanto mais vivemos mais nos acostumamos com o mundo e esquecemos o simples existir já é maravilhoso.

eidia em 30 de julho de 2011

Setti, o Reynaldo me apresentou e repasso o que disse pra ele...."Os 14 minutos mais emocionantes que vivi nos últimos tempos...lindo demais. E os olhares das pessoas...quanta pureza, inocência, curiosidade...que será desse povo agora, hein Rey? Vai demorar quanto tempo pra ser empestiado por nós?" eidia www.oquevivipelomundo.blogspot.com

Tuco em 30 de julho de 2011

. Extraordinário. Ainda que, em prazo razoável, não faremos contato com alienígenas, arrisco que não será de forma muito diversa do que assistimos. Sejamos nós, o moderno, ou eles. Divirjo, com todo o respeito, do comentarista Reynaldo-BH (30/07/2011 às 18:04), pois, humildemente, entendo que as manifestações mostradas nesse fantástico vídeo são mais uma das muitas provas da absoluta desnecessidade de deus. .

Reynaldo-BH em 30 de julho de 2011

Setti, um soco no meu estômago! E explico por que. Mais que uma aproximação do homem civilizado de outro nem tanto, este vídeo me emocionou com nenhum há muitos anos! Tem uma força de transcendência que é uma lição, mais que antropológica ou teológica. Como um agnóstico que sou - sem orgulhos e só com uma profunda necessidade de crer! - este vídeo valeu-me tanto quanto Tomasius, gostinho, Kieerkaard, Hans Kung e outros! Senti a fagulha do DIVINO! E isso é raro! Sem exageros ou pieguismos! Será isto que seria o exemplo do "somos todos iguais", filhos de um mesmo PAI? Seria isso a essência do ser igual ao outro, de que nos falava Paulo? A inocência que resulta na confiança? O abraço (ou aperto de mão) e o tocar que demonstra a igualdade? A descoberta respeitosa - de ambas as partes - que nos faz somente sermos humanos? Humanos e derivado desta humanidade, carentes e frágeis. Que Deus haveria de abandonar um povo assim tão simples, frágil e sem culpas? Como diria renato Russo, seria "pecado deixar um Deus assim tão triste". Se o fizéssemos. Obrigado, amigo Setti. Ganhei meu dia, minha semana! Um vídeo para ficar nos arquivos. Não do computador. Mas da consciência de quem, como eu, busca a certeza naquilo que não se vê. ABRAÇOS!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI