Image
Cheetah — mais rápida que Usain Bolt

A Cheetah é um robô quadrúpede, inspirado no guepardo, que em corrida de máxima velocidade chega a ultrapassar por pouco — mas ultrapassa — o homem mais rápido do mundo, Usain Bolt: faz 45,5444352 quilômetros por hora, ou seja, o,804672 quilômetro mais que o fabuloso superatleta.

Só que numa esteira de alta velocidade, em laboratório, e não em campo aberto. Os testes sobre como o robô irá se comportar nesse terreno serão iniciados no começo de 2013.

O Cheetah (guepardo, em inglês) é financiado pelo Agência de Pesquisa de Projetos Avançados (Darpa, pelas iniciais em inglês) do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, e vem sendo desenvolvido pela empresa norte-americana de robótica Boston Dynamics.

O robô tem uma traseira articulada que se flexiona de ida e volta em cada etapa, aumentando assim seu passo e sua velocidade, como faz o leopardo.

É impressionante o funcionamento do bicho eletrônico:

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × quatro =

6 Comentários

Zaratrusta em 08 de novembro de 2012

Mais uma parafernália tecnológica a nos fazer divagar sobre a quais fins possa se prestar... Qual a real aplicação direta de mais esse avanço mecatrônico? Pesquisa e desenvolvimento puro e diletante, ou traz em seu DNA mais um obscuro e latente "gene" ameaçador às liberdades? Como tudo na vida, este aparato é mais um que carrega a inexorável dualidade "na veia" de sua concepção! O interessante nesse aspecto é observar qual não seja a "tendência" cultural (Americana) que se observa na predominância praticamente total da escolha do desenvolvimento artificial de "mecanismos predadores naturais"... É certo que dentro da escala da "evolução das espécies", os predadores encontram-se no topo da escala de evolução e portanto apresentam desenvolvimento mais sofisticado e especializações mais importantes na preservação das espécies. Entretanto, o sábio equilíbrio imposto pelas leis da natureza providencia que as populações de predadores sejam sempre salutarmente reduzidas e determinadas como função da abundância da sua caça reinante. Ao reproduzir esse universo de mecanismos artificialmente não há como não se perguntar quais seriam suas aplicabilidades práticas também dentro dessa ótica, visto a "natureza" da escolha do modelo sendo reproduzido, e isso nos remete automaticamente aos "modelos" ameaçadores escolhidos e amplamente divulgados tanto dos robôs da série "O Exterminador do Futuro" como dos polvos mecatrônicos de busca e vigilância da série "MATRIX". . Recentemente lí uma reportagem do site "INFOWAR" no qual revelava que a Boeing já teria desenvolvido um equipamento de irradiação de microondas que tendo sido instalado num DRONE (avião telecomandado de proporções reduzidas), que durante um teste de bombardeio monitorado dessa irradiação realizado sobre instalações análogas à de um edifício de escritórios comercial equipado com todos os tipos de equipamentos eletrico-eletrônicos convencionais, teria conseguido colapsar todos os equipamentos! O potencial destruidor dessas tecnologias no mundo eletrônico em que já vivemos hoje... com essa possibilidade de ataques remotos através de DRONES armados de emissores de micro ondas, desperta naturalmente a pergunta de qual será o nível de submissão que o país detentor dessa tecnologia poderá impor ao restante do mundo...

Plínio em 06 de novembro de 2012

Excelente para fazer ovos mexidos ;)

Ismael Pescarini em 06 de novembro de 2012

Acho essas experiências seríssimas além de interessantes. Imagino um futuro veículo off road, controlado pelos impulsos neurológicos do piloto, correndo e saltando por campos e planícies acompanhando de perto um leopardo em plena caçada.

Liane Sanchez em 06 de novembro de 2012

Uma distração, Ricardo, no seu texto:"28,96 quilômetros por hora" quando quis dizer "28,96mph ou 46,71km/h". Você tem razão! Obrigado, vou corrigir. 28 quilômetros por hora acho que até eu corro, hahahaha... ABraços

Marco em 06 de novembro de 2012

Don Setti: Nessa correria, segure quem poder segurar. Risos. Abs.

Carlão em 06 de novembro de 2012

Ricardo, meu caro Reportagem bastante interessante. Só um correçãozinha: chita ou cheetah é conhecido como guepardo. São morfologicamente muito diferentes de outros felídeos, como onças e leopardos, por terem garras que não se retraem e pernas mais longas. Abração do Carlão Você tem absoluta razão, caro Carlão. Tremenda mancada minha! Já em um post de meses atrás eu havia cometido o mesmo erro, embora soubesse que guepardos e leopardos são bem diferentes -- os guepardos são menores, têm a cara menor etc. Vou corrigir lá. Muito obrigado! Abração

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI