Image
O poderoso navio: casco de aço com 5 metros de espessura (Foto: nedcruise.info)

É um colosso dos mares, movido a dois motores de propulsão nuclear de potência equivalente a 70 mil HP: o NS 50 Let Pobedy é o maior navio quebra-gelos do mundo, capaz de romper camadas de 2,8 metros de espessura, rígidas como aço.

Repare no vídeo abaixo como ela navega no gelado mar do Ártico russo, rumo ao Polo Norte, como se deslizasse num lago de águas calmas – e, claro, nem tanto quando as camadas se tornam mais grossas e escuta-se o estalar do gelo sendo partido. Para isso, o navio, de 25 mil toneladas e 169 metros de comprimento, tem um casco de nada menos que 5 metros de espessura, com três camadas de diferentes tipos de aço, e sua proa não é ponteaguda, mas arredondada como uma colher.

A construção do formidável navio foi atribulada, inclusive pelo desabamento da União Soviética, em 1991. Começou a ser montado em 1989, em São Petersburgo (então Leningrado), sofreu várias interrupções por motivos vários e só ficou pronto em 2007.

Comandado com o auxílio de um complexo de computadores, sua capacidade de manobra é considerada “excepcional” pelos especialistas, e ele pode navegar a uma velocidade máxima de 21,4 nós (algo como 39 quilômetros por hora). Leva 140 tripulantes e, entre seus confortos, que começa com ar condicionado para suportar o frio terrível do Ártico, abriga restaurante, biblioteca, sala de música, salas de massagens, uma academia de ginástica e uma piscina aquecida.

A grande função de quebra-gelos como esse colosso é abrir caminho, na imensa área do Ártico russo, riquíssimo em petróleo, para a navegação de cargueiros e navios de prospecção de óleo. O NS 50 Let Pobedy também conduz turistas, a preços salgados, como se dá neste vídeo, em que o navio, apesar dos ventos poderosos do final de sua jornada, seguiu até o exato ponto do globo onde se situa o Polo Norte.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 12 =

9 Comentários

Mário em 23 de outubro de 2013

Como sempre a mãe Rússia mostrando poder, mas 3 metros de gelo é mole, quero ver encarar o rio Tietê!

Expedito em 06 de janeiro de 2013

A tecnologia empregada na construção do NS 50 Let Pobety encontra-se atrasada algumas dezenas de anos-luz em comparação com o reservatório de óleo cru auto-propelido, conhecido como "navio petroleiro" JOÃO CÃNDIDO, orgulho-mor da indústria naval brasileira, montado no estaleiro de Suape, Pernambuco!

Paulo em 04 de janeiro de 2013

É informado que o casco tem 5 metros de espessura, mas isso é um erro. Só para comparar um Ford Focus tem 4,3 metros de comprimento. Agora imagine um placa de aço dessa espessura. Absurdo. A verdadeira espessura do casco é de 100 milimetros. http://english.pravda.ru/science/tech/01-03-2006/76685-icebreaker-0/

João Leopold em 04 de janeiro de 2013

Turismo de primeira, quanto a tecnologia os EUA atingiram o Polo Norte há mais de cinquenta anos atrás com o submarino nuclear Nautilus.

jessica de jesus domingos em 04 de dezembro de 2012

que iprecionante este navio gostei

Edson Borin em 26 de abril de 2012

A tecnologia está muito avançada, e o Brasil consegue inaugurar um navio que não navega e pior afunda trinta minutos depois de inaugurado pelo presidente metalúrgico.

roberto bezerra em 23 de abril de 2012

INTERESSANTE, BONITO NAVIO, QUALQUER COMETÁRIO É POUCO.

Paulo Roberto Santos em 21 de abril de 2012

HE! HE! HE! The Russians are coming back! Congratulations.

theo em 20 de abril de 2012

Casco possui 5 metros de espessura? Está correto? Sim, está nas especificações técnicas do navio. É impressionante. Para romber camadas de gelo de quase 3 metros de espessura... Um abração

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI