Image
A garotinha, no final do vídeo: o México “tocou no fundo do poço”

O México terá eleições presidenciais no dia 1º de maio próximo. Depois de 70 anos de virtual ditadura do Partido Revolucionário Institucional (PRI), seguiram-se 12 anos de governo do conservador/liberal Partido de Ação Nacional (PAN), que chegou ao poder com acenos de profundas reformas na política e na economia do país.

Mas a falta de maioria no Congresso e a dificuldade de negociar acordos por dois presidentes sucessivos levou o grande país à situação em que se encontra: em virtual guerra civil como consequência da luta inglória contra os poderosos cartéis do tráfico de drogas — mais de 100 mil homens, da polícia e das Forças Armadas, estão mobilizados –, com um saldo pavoroso de 40 mil mortos e áreas inteiras de grandes Estados controladas pelo crime, mudanças na economia e na estrutura política estancadas no Congresso, reservas de petróleo, a grande riqueza nacional, em queda vertiginosa e o doloroso problema da imigração clandestina para os Estados Unidos sem solução.

Para protestar contra esse estado de coisas e chacoalhar a opinião pública, surgiu nas redes sociais o movimento Nuestro México del Futuro , que, compilando opiniões de centenas de milhares de cidadãos, formulou um documento — em forma de livro — com reivindicações de mudanças profundas e entregou-o aos quatro candidatos à Presidência.

A ONG também colocou no YouTube um vídeo em que crianças fazem o papel de adultos protagonizando um dia no México de hoje — com assaltos, sequestros, corrupção policial e outros males.

No final, uma menininha questiona os candidatos à Presidência sobre se querem apenas “a cadeira” de presidente ou se vão mudar o futuro — porque o México “tocou no fundo do poço” e o tempo de transformação se esgota.

Os garotos e o próprio movimento se tornaram conhecidos como “Crianças Incômodas”.

Será que um vídeo assim só caberia mesmo no México? Ou se aplicaria a, digamos, outros países?

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 1 =

Nenhum comentário

Geneuronios em 21 de abril de 2012

É só dublar para o "brasiliês" !!!

esther correa em 21 de abril de 2012

Caro Setti Estamos quase chegando lá, já que os 3 Poderes estão se esforçando.

Carlos em 21 de abril de 2012

Pra variar o video nao funciona no iPad. Veja vamos se atualizar.

Reynaldo-BH em 20 de abril de 2012

Este vídeo é apolítico e direto. Não faz proselitismo nem mente nas colocações. A pergunta: será que só se aplica ao México? também merece uma reflexão. Se aplicaria a um outro país em que discordar é crime? Que o pensamento único quer se estabelecer? Que a marcha contra a corrupção é atacada como "de direita"? (Nunca entendi esta colocação. A mim parece confissão de quem atacou e se sentiu incomodado). Sinceramente, não sei. A proximidade com os USA será lembrada como contraposição. É a influência maligna daquele país que pode ser o que for, mas sempre foi uma democracia. E que, neste caso, só tem tentado ajudar neste combate ao narcotráfico. O que é reconhecidamente fruto da cultura política mexicana é o unopartidarismo. Tínhamos até um neologisno : processo de mexicanização. Que vinha a ser o domínio do poder por um só grupo durante anos. Hoje p termo está, no Brasil, em desuso. Poderia despertar comparações indesejáveis. O México sofreu com o PRI. Um partido com facções de todos os tipos e tendências. Mas com o único projeto: o de se manter no poder a qualquer custo. E sempre ganhando eleições por larga margem de votos. Era a "legitimidade" da imoralidade. Daí nasceram as mazelas que certamente iriam cobrar o seu preço: corrupção, apadrinhamento de cargos de governo, indústria concentrada em mãos de amigos, judiciário em frangalhos e uma polícia corrupta e violenta. Como sempre creio que não há mentira que se perpetue, isto um dia acabará. O preço pago em vidas será cobrado, espero que de modo pacífico. Em resumo: onde o pensamento único impera, cedo ou tarde o estado social se deteriora. Será coincidência?

Wilson Santos em 20 de abril de 2012

Tenho interagido com gente pobre do México pela internet, e de fato não sabemos nem a metade do acontece lá. Só nos resta apoiar, orando, e movimentando essas notícias em forma de conscientização. Poderia ser nós, brasileiros nessa mesma situação, que não é muito diferente aqui.

Teresinha em 20 de abril de 2012

Muito forte, espero que surta efeito pois estas crianças merecem o México como país delas não como anarquia do poder e da droga. Infelizmente aqui nossas crianças e nossos jovens estão perdendo a capacidade crítica e aceitando promessas que podem funcionar mais como indução a uma ideologia que levará a um estado de coisa semelhante ao que vimos no vídeo.

Eliana em 20 de abril de 2012

Que triste ver mais um país dominado pela corrupção, violência e tráfico de drogas.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI