Image
Serxio Ces em ação: arriscando a vida na costa galega em busca dos percebes (Imagem: reprodução)

No momento em que se redige este texto, um quilo de percebes, peculiar espécie de crustáceo encontrada predominantemente nas costas oeste e noroeste da Espanha e da França, está cotado em até 125 euros (R$ 400).

Não por acaso, em restaurantes da Galícia, comunidade autônoma no noroeste espanhol, fronteira norte com Portugal, estes seres de aspecto não muito estético figuram sempre entre as iguarias mais caras dos cardápios.

Image
Os percebes: até R$ 400 o quilo (Foto: Tiendasdemariscos.es)

A explicação de tais cifras escandalosas é simples: para se obter os percebes, é necessário garimpar as formações rochosas litorâneas mais inacessíveis e perigosas, aquelas que ficam em permanente contato com a fúria do mar. É lá onde crescem e se reproduzem os ditos cujos, perseguidos por especialistas conhecidos como percebeiro.

Personagens de diversas lendas urbanas na Espanha, estes bravos homens e mulheres ganharam em 2012 uma bonita homenagem arquitetada por David Beriain, um jornalista com experiência como correspondente de guerra em países como Afeganistão e Congo.

Cara a cara com o perigo

À frente de uma equipe de 13 pessoas, Beriain dirigiu o documentário em curta-metragem Percebeiros, no qual acompanha o trabalho de um deles, Serxio Ces, da cidadezinha galega de Cedeira.

Em 12 minutos, o filme registra de perto, cara a cara com o perigo, a odisseia rotineira de Ces, na qual abundam caldos espantosos e uma serenidade sobre-humana no trato com o geladíssimo e indomável Atlântico.

A entrevista com o protagonista no adorável e bastante compreensível idioma galego – um dos quatro idiomas oficiais da Espanha, ponto médio entre português e castelhano – também é muito interessante. Em uma das passagens, ele relembra um colega percebeiro morto, atingido por ondas de 9 metros. Em outra, recomenda ouvir os sinais enviados pelo mar: “de valentes o cemitério está cheio”. Imperdível:

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 3 =

14 Comentários

Eurico Frade em 14 de fevereiro de 2014

Bom dia, Como podem falar de percebes sem referir os que são apanhados na Costa Vicentina?

Del em 13 de novembro de 2013

Ja' que as sugestoes gastronomicas lusitanas seguem firmes e fortes, por que nao sugerir os chocos fritos, especialidade de Setubal, que fica a umas poucas dezenas de quilometros de Lisboa, em direcao ao Sul? Recomendo vivamente o Leo do Petisco, que pode encontrar aqui: (https://maps.google.com/maps?q=Setubal,+Portugal&hl=en&ie=UTF8&ll=38.520194,-8.902523&spn=0.000916,0.002064&sll=37.0625,-95.677068&sspn=59.769082,135.263672&oq=setubak&t=h&hnear=Set%C3%BAbal,+Portugal&z=20&layer=c&cbll=38.520194,-8.902523&panoid=8kCY4wEHnduhrRlLgwlujg&cbp=12,170.99,,0,3.57)

Moacir 1 em 12 de novembro de 2013

Prezado Setti, Esquecer aquelas santolas? De modo algum.É que o Reynaldo já havia mencionado o paraíso marítimo infernal,no comentário dele. E agora vou mudar de post.Todas as vezes que leio sobre culinária portuguesa ...me sinto desterrado Abração

Moacir 1 em 12 de novembro de 2013

LEONARDO-PORTO-RIO 11/11 18:36 Pá! Também sou carioca e casado com uma tripeira portista da gema há 30 anos.Passo os verões na região do Porto.E os pescadores da região,as "caxineiras" de Vila do Conde,os da minha peixaria no mercado municipal da Póvoa,falam percebAs. E,peloamordedeus! não me fale de Ameijoas a Bulhões Pato!Só as degustarei novamente no Caximar de Vila do Conde, no longínquo mês de julho! Quanto a se comer bem na terrinha,amigo,eu o faço de norte a sul,de leste a oeste,sem esquecer da Serra. Fui em fins de julho e voltei no começo de setembro mais gordo pra aí uns 5 quilos.Uma festa! abc // OLD FRIEND! 11/11 às 14:13 Se for para se "assustar mesmo" tenta o Vila Joya em Albufeira ou a Fortaleza do Guincho em Cascais ou o Vintage House no Pinhão ou o Yeatman em Vila Nova de Gaia.Ui!Que sabores! Que vistas! Que contas!E já que desgraça pouca é besteira, aproveita pra - fora do seu melhor juízo devido ao vinho!- pernoitar em todos eles! Se é pra se divertir gastando moderadamente, sugiro o Marujo em Aveiro, o Al Foz em Alcochete ( pense numa caldeirada de enguias!)o Almerindo na Serra da Estrela (cabidelas variadas e cabrito!) o Cufra na Foz do Douro ( que francesinhas!),o Cortiço em Viseu ou o Jardim em Melgaço ( imperdível o Alvarinho!) Se é pra passar mal de comer e de beber vai de Ô! Zé, bem nas areias da Praia da Rocha em Portimão! Quer saber? Em Portugal adoooro uma TASCA! ABRAÇO! Grande Moacir, Você se esqueceu do Mar do Inferno, em Cascais... Abraço

Dulce Regina em 12 de novembro de 2013

Assistindo o vídeo me vieram à cabeça, várias questões : -vale a pena tanto risco ( tenho pavor e muito respeitos ao mar ), é rentável ? E a pergunta principal, que os amigos Moacir 1, Rey e Leonardo já responderam. É gostoso ? Pelas opiniões, acredito que sim. Com cerveja, vinho...e sugestões de lugares diferentes. Conheço norte de Portugal e Espanha, comemos vários tipos de pescados deliciosos, mas não este. Quem sabe ? Qdo lá voltar... Valeu Setti, um vídeo espetacular, para mim um pouco " aflitivo "... pelo furor do oceano. Abraços

Del em 12 de novembro de 2013

Permitam-me acrescentar uma breve nota ao fato de serem conhecidas, as iguarias, como 'perceves' e 'percebes' em Portugal. Trata-se de um detalhe de como os portugueses do Porto e Minho (regiao ao Norte) tratam o uso de palavras que trazem a letra 'b' originalmente, trocando estas por 'v'. Assim, existe mesmo uma anedota (lusitana) para ilustrar essa diferenca: Um cidadao lisboeta pergunta ao nortenho por que eles trocam o V pelo B, ao que recebe como resposta: "Isso nao e' berdade, so' os vurros falam assim".

Leonardo Porto-Rio em 11 de novembro de 2013

Belíssimo vídeo. Vou permitir-me divergir do Moacir e do Reinaldo-BH em alguns pontos: 1- Quanto ao Moacir, com relação ao nome "percebas" nunca escutei, acho que deve-se a uma questão de pronúncia, já ouvi "perceves" em algumas ocasiões, quanto ao restante nada a colocar, principalmente, sobre as cidades citadas. Nada como parar na Póvoa do Varzim ou Viana do Castelo à beira-mar no verão e pedir percebes, ameijoas e uma Sagres estupidamente... 2 - Quanto ao Reinaldo-BH, cujos textos neste blog, não conseguiria acusar uma linha que frontalizasse com o meu pensamento, ouso dizer que ele é um lulo-petista dos mariscos(rs), Cascais está a anos-luz, apesar da linda Boca do Inferno, daquilo que procuramos nessa iguaria. Como costumo ir a Galícia várias vezes durante o ano, seja Vigo(porto pesqueiro) e Compostela, além de viver no norte de Portugal, e ser frequentador habitual de marisqueiras, sem falsa modéstia, posso dizer que conheço um pouquinho da iguaria citada, e apesar de não ser a minha preferida dos mares, indicaria sem a menor margem de hesitação que a melhor mariscada, incluindo os difíceis percebes, que pude degustar, ou em bom português, comer, foram no restaurante Timón Playa, em Vigo, que fica a 150kms do meu portão de garagem. Por outro lado, em Portugal, posso dizer que, sem dúvida, "come-se" melhor no norte do que no sul(Lisboa), aquele que, porventura, passar pelo Porto, terá um número fabuloso e irretocável de bons restaurantes de mariscos a preços bem razoáveis, principalmente, se comparados ao Brasil Maravilha do presente e do futuro(pretérito de FHC não é permitido)anunciado por Lula e Cia. Aliás, Lula não entra nos meus pratos, sejam gastronômicos ou políticos. http://www.restaurantetimonplaya.com/ Como leitor, resta a este caricoa residente em Portugal há doze anos, agradecer, ao(s) caro(s) Setti(s) pelo precioso vídeo.

Antonio Marmo em 11 de novembro de 2013

Ainda tenho que aprende a ter paciência para esperar esses vídeos abrir...vão aos soluços rsrsr! SSão fantásticos mas demoram pra abrir... Moro em Ubatuba Setti. Nossos marisqueiros daqui também se arriscam nas costeiras mas não a esse ponto. Muitos são mergulhadores e apanham o mexilhão nas pedras, se cortam ...mas não custa tudo isso. R$ 10,00 0 kilo.

Reynaldo-BH em 11 de novembro de 2013

MOACIR!!!! Os percebes! Os melhores estão no Restaurante Mar do Inferno, em Cascais! Ao lado da Boca do Inferno. Um restaurante de pescados (todos do dia!) com uma adega de vinhos (descoberta depois de 30 anos soterrada!) que vale a visita e o susto. Pede-se o vinho! Se estiver avinagrado não se paga. Se ok, prepare o bolso. PERCEBES! Dá pra sentir o gosto na boca! http://www.mardoinferno.com/

DK em 11 de novembro de 2013

Emociona como o Atlantico é dramático, indomável. Que bonito, obrigado!

Abreu em 10 de novembro de 2013

. "Que valor tem saber sobre isto"? Pouco importa. Tornei-me mais e mais bem informado. Isto é o que vale -- e vale muito. . Obrigado! Sou quem agradece, prezado Abreu. Abraço

Gabriel em 10 de novembro de 2013

Vídeo muito bom, uma amostra da realidade do povo galego, muito trabalhador. Parabéns!

Moacir 1 em 10 de novembro de 2013

Setti, Belo vídeo este escolhido a dedo pelo Daniel. Em Portugal os percebes são chamados de "percebas". Se bem que beeem mais subnutridos que los hermanos galícios ,eles podem ser encontrados,no litoral do Minho ,nas praias rochosas de Caminha a Viana do Castelo,como por exemplo,Afife,Arda,Cabedelo e Rodanho A última vez que comi percebas foi na alternativa Praia de Santo André,ao norte de Póvoa do Varzim. Tiradas ainda vivas das rochas por um "percebeiro" chamado Jean Pierre ( te juro! ) e cozidas na própria água do mar por no máximo 4 minutos,elas são uma delícia.Huuuummm... E se tomadas com uma cerveja bem gelada à beira mar,são a cara do verão minhoto! Saudades de Portugal! Recomendo entusiasmado,o vídeo e o quitute! Abc

sergio em 10 de novembro de 2013

Mais um vídeo interessante de se ver....parabéns, da prazer em ver seu blog. Muito obrigado por seu comentário gentil, caro Sergio. Um grande abraço

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI