Image
O moderníssimo F-35B, supersônico que pousa suave em praticamente qualquer superfície (Foto: Lockheed Martin)

Impressionante essa arma de guerra. O avião de combate F-35B acaba de ser testado e aprovado na capacidade extraordinária de ser o primeiro supersônico a pousar verticalmente num porta-aviões ou até em navios de guerra menores, com a suavidade de um helicóptero.

ATUALIZAÇÃO: como chovem comentários de leitores mencionando a primazia do britânico Harrier em pousos e decolagens verticais, lembro que o F-35B é um jato supersônico. O Harrier, não. O F-35B é capaz de voar a uma velocidade 1,6 vezes superior à do som.

No vídeo que você vai ver abaixo, o novíssimo F-35B executa pousos e decolagens no relativamente pouco espaçoso convés do navio de assalto anfíbio USS Wasp, ao largo da costa do Estado de Virgínia, nos Estados Unidos.

Image
Este é o navio de assalto “USS Wasp”: obseve como é pequena a área do convés onde o jato supersônico é capaz de aterrissar (Foto: U. S. Navy)

O conjunto de grandes aletas que o jato possui permite também que ele decole em pistas reduzidíssimas, tornando-o um aparelho extremamente versátil.

A Marinha americana realizou, com três aparelhos-testes, 72 decolagens em pista curta e 72 aterrisagens verticais, à helicóptero, no USS Wasp, num período de três semanas. No total, o avião, fabricado pela Lockheed Martin, foi submetido este ano a 837 testes.

Veja o vídeo:

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × um =

33 Comentários

Humberto Ramos Costa em 31 de dezembro de 2011

Para o Brasil o Rafale vai ficar quase do preço do F-35. O que não é 'culpa' dos franceses já que qualquer país vai querer vender com preço mais alto. surpresa é alguém se dispor a pagar. Na verdade o F-22 e o F-35 são projetados justamente para não cairem em Dogfight.

claudiney em 31 de dezembro de 2011

É isso, maravilha da tecnologia americana, e os petralhas querendo comprar caças franceses, ultrapassados, e gastar nosso suado dinheiro, 2012 Deus nos livre dessa gente corrupta e tenteinciosa. Abs.

Emílio Cavini em 30 de dezembro de 2011

Ele não decola na vertical como um helicóptero?

em 26 de dezembro de 2011

Quantos navios de soja o Brasil precisa para vender para comprar uma máquina dessas2

Ivo Cesar Martorano em 23 de dezembro de 2011

Interessante, mas no mesmo bloco esta uma comparação com o Sukhoi S-35 o mesmo mostra-se superior e muuuuuito mais barato.

Nilton Sparagna em 22 de dezembro de 2011

Como o bicho paira bonito! ! !

Cristiano em 22 de dezembro de 2011

Interessente esse fato sobre a dificuldade dele numa dog fight, no entanto, com essa capacidade de planar, ele só precisa girar no ar e acertar o alvo como os Harrier faziam, hehehe... esses aviões são atiradores de "trincheiras" aéreas.

Cristiano em 22 de dezembro de 2011

O mais seguro avião do mundo!

SergioD em 22 de dezembro de 2011

Ricardo, sou apenas um entusiasta curioso. Para quem quiser saber mais do assunto, procurem o Blog Poder Aéreo. O pessoal do Blog organizou um grupo no FACEBOOK, chamado Forças de Defesa, onde os comentários e discussões são muito interessantes. Aprendo muita coisa por lá com especialista civis, pilotos da FAB e civis, e curiosos interessados como eu. Grande Abraço

pf em 22 de dezembro de 2011

Esse avião (f-35b que decola verticamentel, dedicado à marinha americana, já que o f-35 é feito em mais 2 configurações, para a aeronáutica e para os fuzileiros) veio justamente para substituir o inglês Harrier (também usado pelos EUA), que está em combate a mais de 20 anos. O harrier não é "invisível", é facilmente derrubado por artefatos com sistema de busca por calor, não ultrapassa a velocidade do som e etc. Como avião de caça, os EUA (sua força aérea) possuem o F-22 raptor, esse sim, o combatente mais moderno que existe (garante a hegemonia aérea de qualquer país) ao custo de mais de 120 milhões de dólares cada um. Discovery Channel e uma pesquisa no google ajuda pessoal. Bacana o texto, pois mostra como o engenho humano é capaz de se superar constantemente.

Ricardo em 22 de dezembro de 2011

E para os petistas imbecis usamericanus estão quebrados,né Lula?O país dos petralhas não possui tecnologia para tal.E se possuirem um dia,talvez daqui a uns 500 anos,um avião desses deve sair a bagatela de : $1.000.000.000.000.000.000,05,já com os descontos,claro.O caixa dois do pt agradecerá,quando essa data chegar.

SergioD em 21 de dezembro de 2011

Ricardo, outra coisa importante. Especialistas em aviação militar garantem que o F-35 não conseguiria "engajar" num combate singular caças da geração anterior, como o Rafale, EuroFighter Typhoon, Gripen J-39 e Sukhoi SU-35. Quer dizer, se um F-35 não utilizar as suas características de furtividade e ataque além do alcance virtual, o chamado BVR, e cair num DogFight, ele tem grandes chances de dançar. Fora isso, os custos do programa de desenvolvimento extrapolaram todos os orçamentos. A encomenda americana, que deveria ser de uns 2800 caças a serem distribuídos por Força Aérea, Marinha e Marines, foi reduzida para uns 1400 brinquedos. Isso também afetou as encomendas dos países que participaram do desenvolvimento. A sorte é que o Japão, esta semana, encomendou 42 exemplares da versão sem pouso vertical. Embora existam todos esse problemas, caramba, é um belo avião, não? Grande abraço Barbaridade, como você entende do assunto, caro SergioD. O post que pretendi fazer era só um recado curto, portanto evitei colocar recursos adicionais do avião, como ser em boa parte "stealth", imune a radares. Talvez ele não possa se engajar em combates com os aviões que você mencionou, mas, em compensação, pode ser transportado por navios pequenos, como o USS Wasp, o que é uma grande vantagem tática. E concordo com você: é um belo avião. Abraço

Marcos Conservador em 21 de dezembro de 2011

O Yak 41 não foi aprovado nos testes e a União Soviética (Russia, depois) abortou o projeto. O F-35, apesar de ainda não operar, já tem 23 unidades fabricadas.

SergioD em 21 de dezembro de 2011

Ricardo, o leitor Fernando está correto. A velocidade máxima do F-35 é Mach 1.6. Os únicos caças a se aproximar de Mach 3 foram omMig 25 e o Mig 31. Antes da guerra do Yom Kipur, caças Mig 25, pilotados por russos, saindo de bases egípcias, voaram impunemene sobre a penísula do Sinai para espionar e preparar o ataque relizado no início de outubro de 1973. Os Phantons isralenses comeram poeira. Literalmente. Vale conferir essa história no excelente livro "Em Alto e Bom Som" do General Isrelense Iftack Spector, que foi comandante de um esquadão de Phantons naquela época. Grande Abraço

Antônio Pereira em 21 de dezembro de 2011

O F-35 é uma jóia tecnológica e é o primeiro supersônico a ter capacidade de levantar verticalmente (na versão marítima), mas não chega nem perto de voar a três vezes a velocidade do som. Esse feito só conseguia o SR-71 Blackbird.

Luiz Sérgio em 21 de dezembro de 2011

Tecnologia é tudo. É o resultado de muito trabalho, investimento, determinação.

Tuco em 21 de dezembro de 2011

. José Eduardo Ribeiro - 21/12/2011 às 17:46 O Google nos ensina que a Júlio Verne é atribuída uma frase próxima a essa! .

Tuco em 21 de dezembro de 2011

. mario foster vidal - 21/12/2011 às 16:25 O senhor tem razão! Tremendo equipamento! No entanto, só conseguirá sair de lá (do Hilton) desmontado! .

José Eduardo Ribeiro em 21 de dezembro de 2011

"Tudo que um homem consegue imaginar outro homem consegue realizar". Quem é o autor da frase?

Tuco em 21 de dezembro de 2011

. Não há como negar-lhe o título de belíssima máquina! Incrível! No entanto, no quesito versatilidade - e não esqueço da super velocidade -, não há como tentar comparar-se ao Sea Harrier... Este, sim, pode ser, grosso modo, comparado a um helicóptero! Pousa e decola verticalmente. Já o F-35B peca em esclarecer para o que veio... O equipamento pousa verticalmente, porém precisa de pista (ainda que curta...) para decolar. Lamentável. Em tese, tanto um, como o outro, poderiam pousar, digamos, num estádio. O Sea Harrier em minutos poderia ir embora, já o F-35B só sairia de lá... desmontado! Versatilidade. .

mario foster vidal em 21 de dezembro de 2011

depois desse F 35, alguns maniqueistas insistem em falar do BRASIL potencia mundial. Vamos cair na realidade. precisamos, primeiro, construir um carro 100% brasileiro.Depois, um celular, 100 % brasileiro, e, assim,em diante.

Fernando em 21 de dezembro de 2011

Prezado Ricardo, Nao seria 1.6 vezes a velocidade do som (Mach 1.6)? Um abraco! P.S.: Das esculturas p/ o F-35, beleza! P.S.: Os custos deste projeto (F-35) tb estao subindo proximo ao ritmo da velocidade do som... As informações que pesquisei indicam ser Mach 3.0. Abração

mario foster vidal em 21 de dezembro de 2011

este F-35,por si so, bombardeia sp e pousa no heliporto do hilton para um cafe da manha.

Gilvani Lima em 21 de dezembro de 2011

Amigo Setti, deve ser frustante ter que ficar respondendo os amigos que não conseguem entender direito o texto, o texto foi tão claro quando enfatiza a questão desse Jato ser super sônico. Abraços

Mateus Kirsanoff em 21 de dezembro de 2011

msm assim ele não é o primeiro VTOL supersonico. o YAk 41 fez isso a um bom tempo ja

Rafael em 21 de dezembro de 2011

O primeiro supersônico com capacidade de VTOL foi o Mirage III V, que nunca saiu da fase de protótipo. A novidade no F-35B, sem falar na incrível diferença tecnológica, é a capacidade de fazer o VTOL (que gasta muito combustível) e superar a velocidade do som no mesmo voo. Apesar de estar em um estágio de desenvolvimento bem mais avançado que seu "avô" francês, o F-35B, caro e "complicado" mesmo para os padrões dos EUA, ainda deve demorar a entrar em operação.

Reynaldo-BH em 21 de dezembro de 2011

E nós por cá, como não gostamos "dusamericanus", vamos de Refale francês desprezando a indústria aeronáutica dos USA. O mesmo Rafale que não será mais produzido após a entrega do lote de 200 (únicos) para a ... FA francesa! Todos os outros pretensos compradores desistiram. O que não parece ser o caso do Brasil.

Marcos Conservador em 21 de dezembro de 2011

É bom saber que essas armas estão nas mãos certas, dos EUA. Falta, agora, usá-las contra quem as merece, como o gordinho Kim Jong-un.

Murilo Siqueira em 21 de dezembro de 2011

Equívoco: O primeiro Harrier AV8-B foi o primeiro a pousar e decolar verticalmente... Equívoco seu, talvez por não ter lido o post direito: este é o primeiro supersônico a fazer isso. O Harrier é subsônico. Mas, em consideração a sua observação, vou incluir a lembrança no poster. Abraço

Marta Otto em 21 de dezembro de 2011

Prezado Setti, Infelizmente, o Brasil tem ainda sua imagem bastante afetada pela falta de punição aos torturadores e aos assassinos que agiram durante o período da ditadura. Veja, abaixo, a matéria da BBC sobre a reportagem do NYT desta quarta-feira. Fique à vontade para avaliar a postagem deste meu comentário. Talvez seria interessante você mesmo postar este assunto. "Brasil fica atrás de seus vizinhos na punição a torturadores, diz NYT Atualizado em 21 de dezembro, 2011 - 10:07 (Brasília) 12:07 GMT Dilma sancionou Comissão da Verdade e Lei de Acesso a Informações Públicas Os "fantasmas" do regime militar brasileiro mostram que, se o Brasil é um líder regional em termos econômicos, ele fica atrás de seus vizinhos quando se trata de punir autoridades responsáveis por torturas e assassinatos, afirma uma reportagem publicada nesta quarta-feira no jornal The New York Times. De acordo com o texto, desde que a presidente Dilma Rousseff sancionou a criação da Comissão da Verdade (que investigará crimes cometidos durante a ditadura) e a Lei de Acesso a Informações Públicas (que limita o sigilo de documentos oficiais), os céticos se perguntam se o país está preparado para "lidar com os crimes do passado". "O Brasil começou a encarar a possibilidade de que, no âmbito dos direitos humanos - diferentemente de assuntos econômicos e diplomáticos regionais -, o manto da liderança pode não vir tão facilmente, no fim das contas", diz a reportagem. "Fantasmas do período militar, de 1964 a 1985, começaram a se mexer, revelando como o Brasil, embora uma potência emergente da América Latina e a quarta maior democracia do mundo, ainda fica atrás de seus vizinhos no que diz respeito a processar autoridades por crimes que incluem assassinatos, desaparecimentos e tortura." O texto afirma que a Comissão da Verdade, que começa a trabalhar em janeiro, foi criticada tanto por militares - citando o caso de um oficial reformado que foi à Justiça contra a medida - quanto das famílias das vítimas, que consideram o projeto "simbólico", já que os responsáveis por abusos continuam protegidos pela Lei da Anistia de 1979. Penas pesadas A reportagem do NYT diz que, enquanto países como Argentina, Uruguai e Chile aplicaram penas pesadas a militares que cometeram crimes, e até revogaram leis de anistia, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a Lei da Anistia de 1979 ainda é válida, embora ela seja considerada irregular pelo Tribunal Interamericano de Direitos Humanos da OEA. "Até aqueles intimamente familiarizados com as tentativas de lançar luz sobre o período militar do Brasil ficam frequentemente perdidos sem entender por que tal resistência é tolerada", afirma o texto, que lembra o fato da presidente Dilma Rousseff raramente fazer referências ao fato de ter sido presa e torturada enquanto era militante de esquerda, nos anos 1970. Segundo a reportagem, uma "postura contra o escrutínio" ainda vigora entre os militares brasileiros, citando o fato de que a primeira iniciativa para criar a Comissão da Verdade, em 2009, levou os comandantes das Forças Armadas a ensaiar uma renúncia coletiva, junto do então ministro da Defesa, Nelson Jobim. "Dada tal oposição, alguns aqui (no Brasil) temem que a Comissão da Verdade, que terá somente dois anos para completar seu trabalho de investigar e relatar os abusos dos militares, possa acabar sendo vítima do tempo, já que aqueles responsáveis por crimes estão diminuindo em número", diz o texto. Disponível em http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/12/111221_nyt_comissao_verdade_rp.shtml

augusto melo em 21 de dezembro de 2011

Caro Setti, Uma dúvida, a respeito dessa notícia do jato. O primeiro avião militar a pousar verticalmente, salvo engano, fui um modelo inglês, chamado Sea Harris, que inclusive foi utilizado na guerra das Malvinas. Enfim, o registro é apenas para a sua verificação. Forte abraço. O Harrier britânico -- e não "Harris" --, caro Augusto, não é supersônico. Deixei bem claro no post que se tratava do primeiro supersônico a fazer pouso vertical. Abraço

Pedro Maverick em 21 de dezembro de 2011

Opa! Já foi desenvolvido uma aeronave capaz de aterrissar verticalmente, desenvolvida no Reino Unido pela Hawker-Siddeley, chamada Harrier, uma aeronave VTOL (Vertical Take Off and Landing), nos idos de 1960-1970, em um até hoje. Ninguém lê o post direito, né, Pedro? O Harrier não é supersônico... Abraço

sidney em 21 de dezembro de 2011

Setti F A N T A S T I C A - T E C N O L O G I A !!!! Obrigado sempre Baita abraco

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI