Image
Josimar corre para o abraço após marca o primeiro de seus dois inesperados golaços na Copa de 1986, no México: improvável lugar na história (Foto: Placar)

As próximas semanas não serão nada fáceis para Alan Kardec, Diego Cavalieri, Filipe Luís, Lucas, Lucas Leiva, Miranda e Rafinha. Componentes da chamada “lista de espera” de sete jogadores que a FIFA impõe às confederações nacionais desde o torneio de 2010, eles devem estar de malas prontas para repor qualquer baixa de última hora no grupo de 23 “oficialmente” convocados para a Copa do Mundo do Brasil.

Como se não bastasse a desilusão de não terem sido chamados por Luiz Felipe Scolari na lista 99% definitiva da semana passada, eles viverão sentimentos ambíguos. Por um lado, ainda lhes resta a esperança de realizar o sonho de disputar o mundial; por outro, só ganharão a vaga sonhada há anos – e que lhes escapou por um triz – caso algum colega se contunda.

Ou caso ocorra algum episódio mirabolante, como o envolvendo o lateral-direito Leandro, do Flamengo, às vésperas da Copa de 1986 (ele abriu mão de seu posto em solidariedade a Renato Gaúcho, que havia sido cortado sozinho, por causa de noitada envolvendo os dois).

Aflições e constrangimentos à parte, porém, o retrospecto ensina que sim, Alan Kardec, Diego Cavalieri, Filipe Luís, Lucas, Lucas Leiva, Miranda e Rafinha ainda têm possibilidade de fazer história.

Uma trajetória de cortes

Entre os últimos 11 mundiais, em apenas dois, o de 1990 e o de 2010, a Seleção não precisou lidar com cortes indesejados durante a preparação.

Roberto Dinamite, por exemplo, foi o “estepe” em duas ocasiões, 1978 (no lugar de Nunes) e 1982 (substituindo Careca); Mozer, o zagueirão das gengivas protuberantes, pelo contrário, teve que voltar para casa previamente a duas Copas, 1986 (cedendo vaga a Mauro Galvão), e 1994 (concedendo a honra a Márcio Santos). Entretanto, o episódio mais doloroso para o torcedor foi, sem dúvida, o do corte de Romário por contusão em 1998.

Mas dos 13 sortudos retardatários que se livraram, já na prorrogação, de assistir o maior certame esportivo do planeta pela televisão, pode-se dizer que três se destacaram de alguma forma quando a bola finalmente rolou. Vamos a eles (crédito vídeos: YouTube):

Nelinho (Copa da Argentina, 1978)

Zé Maria, o eterno Super Zé da Fiel, lateral-direito do Corinthians que era sinônimo de extraordinário vigor físico, acabou lesionando o joelho pouco antes do campeonato e abriu espaço para Nelinho.

Famoso pelo canhão de pé direito, o jogador do Cruzeiro seria titular e marcaria aquele que foi provavelmente o gol mais belo da competição vencida pelo time da casa, na vitória sobre a Itália na disputa de terceiro e quarto lugar. Reparem na curva que a bola faz antes de entrar.

Josimar (Copa do México, 1986)

Apenas a torcida do Botafogo sabia quem era Josimar quando seu nome foi lembrado por Telê Santana para abafar o “Episódio Leandro”. Este semianonimato, porém, durou pouco.

Na terceira partida do Brasil pela primeira fase, vitória por 3 a 0 contra Irlanda do Norte, o lateral-direito, que virou titular, arriscou um petardo de longe da área e acertou o ângulo direito do goleiro rival de forma espetacular (atenção para a narração do saudoso Luciano do Valle, então em seu auge).

Não se dando por satisfeito, Josimar repetiu a dose no embate seguinte, goleada de 4 a 0 contra a Polônia valendo pelas oitavas-de-final. Ou melhor, foi além, enfileirando zagueiros e estufando os barbantes em enorme estilo novamente (outra vez, o áudio traz a vibração de Luciano).

Márcio Santos (Copa dos Estados Unidos, 1994)

Chamado para o posto do azarado reincidente Mozer, Márcio Santos seria titular durante todo o torneio ganhado pelo Brasil. No segundo jogo, até marcou o segundo dos terceiros gols nos 3 a 0 contra Camarões (tempo 1’18” do vídeo).

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + 13 =

13 Comentários

carlos nascimento em 16 de maio de 2014

Ricardo, Se dúvida o evento foi maravilhoso, digno da grandeza do TIMÃO. Separando as coisas, apenas registrando - História - a forma como conseguiram os recursos para viabilizar à Arena um dia terá de ser esclarecida, transparecida, os balanços terão de ser publicados, aí....... Imagine se todos os Clubes brasileiros de expressão, buscassem o mesmo direito, o que será que aconteceria, fala aí RS ? No Brasil maravilha tudo é possível, até mesmo justificar o injustificável.

carlos nascimento em 15 de maio de 2014

Ricardo, Vejo que nosso amigo Marco está esquecendo do "Reizinho" do parque, o grande Roberto Rivelino, o homem da patada atômica, sensação da Copa de 70,que infelizmente jogando pelo Corinthians NUNCA, eu disse NUNCA, conseguiu ser Campeão Paulista, coisas do destino, que coisa não é mesmo ? A final contra o Palmeiras em 1974, acabou pagando o pato pela derrota, a torcida pediu sua cabeça, será que RS também fez parte daquele coro ? Em 1975, bastou se transferir para o Tricolor, calma - ha.ha.ha.ha.ha.ha. - falo do Tricolor Carioca - Fluminense - formando a famosa "Máquina Tricolor", um timaço, conquistando o Bi-campeonato Carioca, além de 2 vice brasileiro, a pergunta que não quer calar, quem tinha "mandinga" enterrada, Rivelino ou o Corinthians ? Outra curiosidade para os amigos Ricardo e Marco, vcs sabiam que o Grande RIVELINO vestiu a camisa do SÃO PAULO ? não sabiam....anotem, em 22/09/1981 ele em pleno Morumbi, vestiu o manto Tricolor num jogo contra a Seleção da Arábia Saudita, não gostariam de saber o que o RICARDO SETTI achou disso, Ha.Ha. Ha.ha.... abraçõs. Acho normnal. O Pelé uma vez vestiu a camisa do Vasco. Bonito mesmo foi ver mais de CEM ex-craques do Corinthians participando da inauguração informal da Arena do clube, em diferentes peladas improvisadas. Até o Dunga, grande meia do Coringão antes de ir para o exterior, lá estava. Até o Leão! Que,como você há de se recordar, foi campeão quando jogou pelo tradicional adversário do Palmeiras. E mais Marcelinho Carioca, Rivellino, Dinei, Palhinha... Craques e bons jogadores de várias gerações, alguns gordos, outros gordíssimos, outros carecas ou de cabelos totalmente brancos -- como Ricardinho, para minha surpresa. Foi muito emocionante, mostrando que os vínculos com o Corinthians permanecem na alma dos jogadores que passaram pelo clube. Abraço

Marco em 15 de maio de 2014

Don Setti, Toninho e Leandro, tremendo laterais, pelo menos nos clubes. Mozer outro craque. E para provocar o nosso Carlos Nascimento, tb craque. Cafu, ganhou tudo na seleção. E excelente Capitão, mas o Zé jogava muito mais. Assim, para ti tb provocar, Rivelino , ganhou a Copa de 70 e não ganhou nada no Coringão. Na minha opinião dos q vi jogar no Coringão, o melhor, o MAGRÃO, NÃO AMARRA nem as chuteiras. Abs.

freed em 15 de maio de 2014

A primeira lista é um horror, imagina, a lista de espera. Na primeira lista já começa encrencado, pois; o goleiro titular do Felipão estava pegando reserva, além de não estar em boa fase. Como no Brasil tudo é esquisito gostaria de lembrar alguns nomes de jogadores da seleção. Veja se pode:- BERNARD / FRED / HULK/ JEFFERSON / MAICON / MAXWELL. Estrangeiro que ver esta lista, vai pensar que é a seleção da Inglaterra. Isto é o Brasil! Tomara que de Alemanha (gente séria).

Toninho Malvadeza em 15 de maio de 2014

Assim que o Brasil for eliminado da Copa,espero que os jornalistas procurem os governantes pra saber das melhorias do entorno dos estádio e da finalidade dos mega-estádios caríssimos,que ficarão para as moscas... FORA,PT !

geroldo zanon em 15 de maio de 2014

Os PETISTAS que estão no poder tem tanto medo desta copa que o ministro da injustiça já esta convocando a POLICIA CIVIL mais a POLICIA MILITAR a PF o EXERCITO só falta pedir para o OBAMA mandar a força AÉRIA americana

Anonimo em 15 de maio de 2014

No jogo mais importante da Copa de 74, aquele em que o Brasil foi eliminado pela Holanda de Cruijff, por 2x0, NELINHO não jogou! O titular, escalado pelo retranqueiro Zagalo, foi o limitado ZÉ MARIA . Em 78, no jogo mais importante, contra a Argentina, 0X0 (que permitiu aos Hermanos "calcularem" quantos gols teriam que fazer no Peru para classificarem), NELINHO não jogou! O retranqueiro Coutinho escalou o limitado Toninho como titular. O sensacional gol do Nelinho, contra a Itália, foi na disputa do 3º lugar.

carlos nascimento em 14 de maio de 2014

Ricardo, É verdade, gosto não se discute, devemos respeitar as variantes, no futebol, unanimidade só há uma, ele....o Rei PELÉ, apesar dos espanhóis e dos Hermanos. Com todo respeito ao Super Zé Maria, mas, comparando níveis técnicos, vc há de convir que Nelinho, Leandro, só para ficar nesses dois, estavam alguns degraus acima, ouso dizer, José Maria jogava onde....no Corinthians, onde a força da torcida, do clube, pesavam na pressão para sua convocação, Super Zé além de um ser humano maravilhoso, tinha uma força física espantosa, garra acima da média, só faltava morrer em campo com a camisa do seu Timão. Acho que ele fica no mesmo nível do Cafu, voluntariedade, garra e, alto nível de profissionalismo. Fizeram parte daquela geração da força física. Nelinho era diferenciado, talvez o melhor batedor de faltas que eu assisti em várias oportunidades, eu ficava encantado com o toque mágico de bola, ele foi o precursor do chamado "toque de trivela", vc sabe o que é isso, é o toque dos gênios, o gol que ele fez contra à Itália, retrata muito bem isso tudo, a curva que a bola faz no meio do caminho, matando qualquer chance de Dino Zoff. Abraços.

Lord keynes do sec xxi em 14 de maio de 2014

Desses o q vez mais falta foi o romario em 1998, seguido pelo careca em1982

Marcos em 14 de maio de 2014

Nelinho, craque admirável, o melhor lateral direito da história do futebol brasileiro. ... depois do Super-Zé, hahahaha... Tou brincando. Acho que antes dos dois vêm o fabuloso Djalma Santos, por exemplo, para não falar do Carlos Alberto Torres em seu auge. Mas, é claro, cada brasileiro tem o direito sagrado de escalar sua seleção, torcer para seu time e indicar seus jogadores favoritos.

carlos nascimento em 14 de maio de 2014

Ricardo, A História sempre reserva boas surpresas na questão dos Mundiais, oxalá o "Sobrenatural de Almeida",personagem famoso, se manifeste, apareça e convoque alguém por merecimento, tipo.....MIRANDA. Há uma injustiça flagrante, deixar GANSO de fora dessa lista, já me posicionei por aqui, a Seleção não tem nenhum jogador com a capacidade de antevisão do PH, Scolari ainda vai se arrepender dessa falha, GANSO com apenas uma perna,é capaz de decidir um jogo, tamanha sua luminosidade, fazer o quê, os caras só entendem de correria. Comparemos ao basquete, jogo duro, poucos segundos para o final, quem é que pede a bola, é o arremessador de 3 pontos, ele é que decidirá o jogo, da mesma forma que, para furar retrancas é preciso o gênio que coloque a bola naquela fração de segundos no espaço futuro, colocando o atacante para finalizar, depois não chorem, não digam que não avisei. NELINHO - um craque, conheci o futebol dele em seu incio de carreira, jogava no Bonsucesso (RJ), atuava como meia, se transferiu para o Remo (Pa), lá foi deslocado para a lateral direita, tornando-se a maior revelação do futebol brasileiro. Nelinho hoje, jogaria em qualquer Clube da Europa, com toda certeza seria Bola de Ouro. JOSIMAR - um relâmpago que se foi, os fluidos da fama parece que foram prejudiciais ao rapaz, RS onde será que ele anda atualmente ? MÁRCIO SANTOS - apenas um bom jogador, padrão Parreira, e só.

person araujo em 14 de maio de 2014

Caro Setti, creio que em 86 o estupendo Luciano do Valle já estava na Band. O Galvão e o igualmente estupendo Osmar Santos, este, também no auge, dividiram a narração dos principais jogos pela Globo naquele ano. Abraço! Vou rechecar isso. Na Copa anterior, a de 1982, o Luciano estava na Globo com certeza. Concordo totalmente sobre o "estupendo" Osmar Santos, atingido injustamente por uma tragédia que lhe tolheu a carreira brilhante. Já o Galvão, não consigo assistir 30 segundos de nada com ele, infelizmente. Obrigado pelo reparo.

Antoninho em 14 de maio de 2014

Nossa, Nelinho, foi quem nao deixou nenhuma dúvida, apesar do excelente super Zé. Josimar muito bom jogador mas totalmente irresponsável. Marcio Santos sim, era um "cara"de sorte, pq nunca jogou nada.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI