Image
O mar virou sertão: imagem do Mar de Aral em seus dias de maior seca (Foto: Aral Sea Foundation)

Em suas atuais definições enciclopédicas, o verbete sobre o Mar de Aral, na Ásia Central, costuma começar assim: “era um grande lago entre o Uzbequistão e o Cazaquistão…”.

O uso do verbo ser no passado, “era”, em se tratando do que um dia foi o quarto maior lago do mundo, um verdadeiro mar – atrás apenas do Mar Cáspio, também na Ásia Central, e os gigantescos lagos Michigan-Huron e Superior, na América do Norte – parece ser propositalmente absurdo.

A atrocidade ecológica do regime comunista

Como absurdo é o fato do Mar de Aral ter perdido quase toda a sua área, graças a uma monumental atrocidade ambiental cometida pelo governo soviético nos anos 1960, quando, sem tomar conhecimento dos efeitos que causaria na natureza e na vida de dezenas de milhares de pessoas, ordenou desviar água do Amu Darya e do Syr Daria, os dois rios que o abasteciam, para irrigar campos de algodão e arroz.

Com isso, pasmem: estima-se que da superfície original de aproximadamente 60 mil quilômetros (três vezes o tamanho de países como Israel ou a Eslovênia) tenha restado, de acordo com as estimativas mais pessimistas, 25% ou até mesmo 10% em meados da década passada. Quanto ao volume do lago, pelo menos 75% de sua água também desapareceu.

Em resumo, fez-se nesta remota região, livre do domínio ditatorial comunista só em 1991, a profecia de Antônio Conselheiro (1830-1897): “o mar vai virar sertão”. Tais quais sinistras e melancólicas testemunhas, sobraram no que antes era o fundo do gigantesco lago, não por acaso chamado de mar, carcaças de casas e barcos pesqueiros, como se fossem peças de um museu natural fantasma.

Image
O Mar de Aral em foto de 2002 feita por satélite: podem-se observar as marcas da extensão do mar original, de 60 mil km2, que chegou a ser reduzido a 10% do que era (Foto: NASA)

Abaixo, trailer de Aral, the Lost Sea, curta-metragem de 2010 da diretora catalã Isabel Cotxet sobre o drama de Aral, com narração do ator inglês Ben Kingsley:

De pescadores a pastores de camelos

Como se não bastasse, os sais e outros detritos químicos tóxicos expelidos pelos escombros nas águas minguantes ao longo de décadas afetaram gravemente a saúde de dezenas de milhares de moradores das duas cidades e 19 vilas próximas tanto ou mais do que a falta de água. Os índices de mortalidade infantil e câncer dispararam.

Os ex-pescadores remanescentes – que, no auge da atividade, chegaram a formar um coletivo de 60 mil pessoas que comercializava 40 mil toneladas de peixe ao ano – passaram a viver, vejam só, da criação de camelos, vendendo leite e lã do animal.

Image
Camelos descansam sob barco abandonado (Foto: Nick Hannes – New Scientist)

Dados esperançosos

Agora vem a parte boa da história.

Em 2001, Nursultan Nazarbayev, o eterno presidente do Cazaquistão – já está há vinte anos no poder e assim deve continuar por pelo menos mais cinco – lançou, com ajuda financeira do Banco Mundial, um programa mais sério de resgate ao Mar de Aral do Norte (a porção do lago, menor e menos poluída que a sul, na jurisdição de seu país) em que foram investidos 260 milhões. Duas tentativas, uma em 1992, outra em 1998, haviam fracassado por ausência de recursos e emprego de técnicas inapropriadas.

Na tentativa que vem dando certo, um terço do dinheiro foi gasto no Kok Aral Dam, um canal-represa de 13 quilômetros de extensão separando as partes norte e sul do lago e que permite a chegada até o norte de águas do Syr Darya. A obra começou em 2003, foi concluída em 2005 e seus atuais resultados empolgam até os mais céticos, pegando de surpresa os habitantes da área, que já nem contavam mais com a volta da água e de um clima mais balanceado (a secura tornava os invernos insuportáveis).

Image
Esperança renovada: pescador do Mar do Aral do Norte posa em agosto de 2005 (Foto: Nick Micklin – National Geographic)

Entre 2003 e 2008, segundo autoridades cazaques, houve aumento de 30% da superfície do Mar de Aral do Norte, passando de 2.550 a 3.300 quilômetros quadrados. A profundidade também saltou de 30 a 42 metros (atingir os 53 metros dos anos 1960 é considerado impossível). Da única espécie de peixes sobrevivente encontrada nos períodos mais críticos, agora há pelo menos outras 14, o que motivou um tímido, mas significativo, retorno de aproximadamente 100 pescadores ao local. Pássaros e outros animais voltaram a frequentar o ecossistema menos inóspito.

Ainda falta muito trabalho e a parte mais complicada: o Mar do Sul

Com o projeto de resgate do Mar Aral do Norte dando certo, resta agora tentar salvar o do sul, praticamente seco. O mini-documentário produzido pelo grupo de estudos turco Toprak-Su-Enerji (assista abaixo) registra a epopeia do “irmão rico” do norte e indaga sobre o que poderia ser feito em favor do maior e mais danificado membro da família.

O principal empecilho é, como explicita o especial, “hidro-político”, envolvendo, segundo um dos especialistas consultados, um acúmulo de forças não apenas entre o Cazaquistão e o Uzbequistão, mas de outros três países da Ásia Central ex-integrantes da União Soviética que, de uma ou outra forma, deveriam estar envolvidos : Quirguistão, Turcomenistão e Tadjiquistão.

Enfim, ainda há muito trabalho pela frente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 6 =

Nenhum comentário

João José em 30 de setembro de 2014

Últimas informações dão conta do desaparecimento total do Mar. Ou seja, O mar de Aral deixou de existir por completo!!!

Neuzi Bragança em 25 de agosto de 2013

A MORTE DO ARAL SEA, eu havia desenvolvido um metodo de vida perfeito. "coisas que eu nao dou conta de resolver, eu nao me preocupo" mas, nao tem como nao ver a agonia do ARAL! acho que a saida é alguem como o a ONU através do sr Ban Ki Mun liderar uma campanha mundial de arrecadaçao para constriR um duto de uns 450 km e assim levar agua do mar cáspio ao aral. assim qualquer pessoa no mundo poderia ajudar. eu estou pronto a ajudar!

Vera Scheidemann em 28 de abril de 2013

Nem sabia da existência desse mar. Que pecado ! Tomara que consigam mesmo recuperá-lo ! Um abraço ! Vera

Antonio Vital de Brito Lyra em 15 de setembro de 2012

Não há duvida que o mar de Aral foi e está sendo grande catástrofe provocada pelo homem. Porém catástrofe maior é "o mar de Aral brasileiro". Vejamos: 1 - Nossos governantes empossaram elemento que comprovadamente fazia parte do MENSALÃO, num cargo de alta confiança. A saber, Genuino. 2 - O Supremo liberta da prisão elemento sentenciado por uma juiza. O fulano saiu do brasil para nunca mais ser punido. 3 - O autor do escândalo ( roubo ) do Ministério do turismo, saiu do Brasil para os Estados unidos, no dia anterior à decretação de sua prisão. Entrevistado por emissôra brasileira, disse: EU TENHO VERGONHA DE DIZER QUE SOU BRASILEIRO. Nada lhe aconteceu ! O que dirão os honestos. 4 - qual o polìtico ou autoridade que procurou moralizar CHEQUES? O loby dos banqueiros deve ser bem influente. Porém a máquina para passar cartões, que dá prejuizo aos comerciantes em favor dos altos lucros dos banqueiros, essa é moralizada. 5 - Juros extremamente elevados, que comprometem a todos que necessitam de empréstimos. 6 - Combustíveis mais caros e piores do mundo. 7 - Impostos : Precisa fazer comentátios? E ainda falam em imposto sobre cheques. 8 - Segurança! 9 - Saúde! 10 - Juizes percebendo mais de R$600.000,00 mensais (segundo reportagem), porém o desgraçado "Fator Previdenciário" o governo procura não extigui-lo. 11 - Muito mais pode ser mencionado, mais muito mesmo! Porém vale ressaltar que não são só os nordestinos que elegem com burrice os políticos predadores, como afirma o Prof. Paulo. Me perdoe caro Professor, mas se você vota, com certeza já elegeu muito mais que predadores; a não ser que sejas adivinhão.

Oiram em 17 de janeiro de 2012

Esse é um dos poucos desastres e atrocidades feitas pelo Comunismo que veio a tona, estes dias estava vendo um documentário sobre os órfãos do Tibete, perseguidos pelos chineses, que encontram refúgio na Índia, aliás único país que não fechou os olhos para o extermínio dos Tibetanos pelos comunistas chineses, é de chorar. Que Deus abençoe a Índia pela proteção que ela dá principalmente as crianças tibetanas.

jader pereira em 12 de dezembro de 2011

Muito grato por atender,dentro do possível,ao meu reiterado pedido.Pena que seja inviável atendê-lo plenamente.Embora minha ideia pareça não ter entusiasmado demais leitores,acredito que também não vá incomodá-los.De qualquer forma fica aqui registrado meus mais sinceros agradecimentos por ver atendida a minha singela sugestão.Abraços. Quem agradece sou eu, prezado Jader. O "calendário" com o qual o leitor pode buscar os posts de cada dia já foi um grande avanço! Um abração

jader pereira em 10 de dezembro de 2011

Não me canso de parabenizá-lo pela diversidade e pertinência dos temas que o sr traz ao seu blog,assim como o farto material que os acompanha(links,fotos,vídeos)para maior esclarecimento de nós, fiéis leitores.Só falta o arquivo para facilitar a pesquisa .Tá pensando na sugestão com carinho,meu prezado? Sim, meu caro Jader, sua sugestão foi a responsável por haver, desde há alguns dias, um calendário na home page do blog em que se pode pesquisar os assuntos por data. Um arquivo, com índice, me parece impossível, Jader: em um ano e pouco, já postei mais de 3.000 textos! Como poderia ser esse arquivo que você sugere? Estou aberto a sugestões. Abraços

Carlos Sa em 01 de dezembro de 2011

Não se pode comparar a tragédia ecológica do Mar de Aral, de onde foi retirado mais que 220% da vazão de seus rios para pura infiltração (agricultura de algodão) com a transposição do rio São Francisco que irá desviar irrisórios 1,4% de sua vazão para outros cursos naturais e que irá beneficiar milhões de pessoas. Seria muito bom para o velho chico se os ambientalistas fossem mais técnico e menos político e agarrassem a causa para recuperar áreas desmatadas ao redor de suas margem que provocam seu assoreamento que é o maior responsável pela diminuição de sua vazão.

Cilon em 29 de novembro de 2011

Isso poderia servir de exemplo no caso do rio São Francisco. O homem vê menos de um palmo do seu nariz e isso quando ele tem uma longa visão do futuro.

Brasilino Ignorantio da Silva em 29 de novembro de 2011

E esses comunistas desgraçados ainda comiam criançinhas!!!

xo pretralha em 29 de novembro de 2011

Chamem os eco-socialistas. Chamem a Marina Ninfa da Floresta Silva e A Leticia Linda Sabatela. Hahahahah

personagem da semana - primeiro plano em 29 de novembro de 2011

Sobre a questão do mal que o comunismo fez ao mundo. É lógico que o capitalismo tem as suas falhas. Tem gente que fica 20 anos morando na Itália e Inglaterra, sem trabalhar, as custas do dinehhiro do papai e quando volta ainda arruma um bom emprego também graças as conexões do pai. Mas mesmo com falhas como essa, o capitalismo é melhor do que o comunismo.

José-Antonio Bello-López em 29 de novembro de 2011

Muito obrigado por darme acceso a un reportagem excelente

Fernando em 28 de novembro de 2011

Vi um documentário na TV Escola sobre isso, uma coisa horrível.

Marcília Gazio de Souza em 28 de novembro de 2011

Herança do comunismo.Infeliz é quem acha que é o sistema político ideal.

Bombou na Web em 28 de novembro de 2011

Ao ler o nome Aral não pude deixar de me lembrar do jogo de War. Aral, Omsk, Dudinka, Borneo... Ainda bem que a guerra ( War ) fria acabou e o jogo voltou a ser apenas um jogo

Lzardo em 28 de novembro de 2011

O comunismo está morto, já vai tarde, o estrago que causou levará muito tempo para ser corrigido. Mas isto somente se o atual sistema capitalista que depende e gera CRESCIMENTO CONSTANTE, tanto de consumo como de POPULAÇÃO. O atual sistema não funciona e será o nosso fim, a menos que mudemos para uma economia baseada em estabilização de consumo e de consumidores. Não existe meio termo, reduzir o consumo sem reduzir os consumidores é o mesmo que nada.

felipe em 28 de novembro de 2011

O que foi feito para o quase desaparecimento do Mar de Aral, esta começando a ser mfeito no brasil, com a diminuição das áreas de proteção dos rio no brasil, e proteção dos morros, Pense nas futuras gerações,deputados e senadores. protejam realmente a natureza.

Helena em 28 de novembro de 2011

O comunismo SÓ destrói, nada de bom sabe construir.

Think tank em 28 de novembro de 2011

Todo sistema politico produz side effect, mas o sistema que supera qualquer outro em atrocidades e aberração, incluindo as falsas lorotas que estes propalam, parece me que é o comunismo. Estes não só são campeões em fabricar cadáveres humanos mas, cadáveres de lagos, cadáveres de todo eco sistema.

JT em 28 de novembro de 2011

Vi um documentário sobre o Mar de Aral na TV Escola (sim, ela passa ótimos programas de vez em quando, por volta das dez horas da noite. Outros documentários bacanas são da série "How The Art Made The World"). Os comunistas conseguiram desviar a água que alimentava o Mar de Aral para irrigar os campos de algodão, só que tal sistema tinha mais vazamentos do que o site inteiro do Wikileaks. Ou seja, a água "roubada" do Mar de Aral sequer chegava ao seu destino. Isso os atores bacanas da Rede Globo não vêem...

Juliano em 28 de novembro de 2011

Grande Ricardo, uma pequena correção. Conselheiro morreu em 1897, e não 1997. Não foi um Matusalém, rs. Abraços. É verdade, caro Juliano. Já corrigi. Obrigado por estar tão atento. Abraço

Leonardo em 28 de novembro de 2011

Interessante a materia mas seria apropriado corrigir a data de falecimento do Antônio Conselheiro, do jeito que esta ele provavelmente estaria no guinness book como o homem mais velho do mundo. He he he, com certeza. Já corrigi. Abraço e obrigado

Jobigander Kantagali em 28 de novembro de 2011

spero un poco que tem que ver comunismo e nacionalismo sulista como isso, olha os miles de rios capitalista que desaparecue nada que ..uma materia estupida ideologicamente falando e Antonia Conselhero 1830 a 1997 de onde tirarom isso??? por menos reacionarismo em um revista e publico reacionario que nao tem o que criticar por favor!!!!!! Jobigander, o erro já corrigido. Agora é a sua vez de reescrever o seu comentário para que eu e os leitores possamos entender pelo menos 10% do que você quis dizer. Abraço

PauloReis em 27 de novembro de 2011

Quando eu digo que o COMUNISMO é uma Ideologia de morte e destruição, eu falo de uma realidade nua e cruel.

Prof. Paulo em 27 de novembro de 2011

AINDA HÁ UNS PORCARIAS QUE SE QUEIXAM DO NORDESTE MAS NÃO ELEGEM POLÍTICOS QUE PRESTEM ! VEJAM O ESFORÇO DO KASAQUISTÃO E UZBEQUISTÃO PARA RECUPERAR O MAR DE ARAL QUE E EXPLORAÇÃO PREDATÓRIA DA EX-UNIÃO SOVIÉTICA QUASE DESTRUIU. NO BRASIL OS PREDADORES SÃO OS POLÍTICOS QUE OS NORDESTINOS ELEGEM COM SUA BURRICE !

JEAN CARLOS COSTA SOARES em 27 de novembro de 2011

Este século é o Ambientalista, precisamos nos mobilizar para que todos os atos nossos do cotidiano tenha um impacto benéfico para a natureza e, para isso, a educação serve o propósito para tal.

Marco Aurélio Antunes em 27 de novembro de 2011

É um dos muitos desastres ambientais que ocorreram em países comunistas. Curiosamente, ainda há pessoas que consideram que os problemas ambientais são causados pelo capitalismo... Sobre o Mar de Aral, recomendo este trecho do documentário Meet the Stans, apresentado por Simon Reeve: http://www.youtube.com/watch?v=sSEdGusF3qA .

joao avelar em 27 de novembro de 2011

A estupidez humana sempre será a mãe das tragédias. Mas ao mesmo tempo a versatilidade e criatividade humanas enfrenta o caos e recria quase tudo. A história é a escola mais eficiente para governantes estudarem a necessária política para o momento.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI