Image
Ronaldo com o ex-ponta Gento, um dos grandes de todos os tempos, o presidente do Real, Florentino Pérez, e o ex-atacante Butragueño, hoje diretor do clube: lembrado como um dos maiores (Foto: Real Madrid C. F.)

Ronaldo Fenômeno andou nos últimos dias pela Espanha, onde atendeu a diversos compromissos e mostrou que, afastado dos gramados, continua com o prestígio intacto no país da seleção campeã do mundo.

A começar pelo evento que o levou a Madri: o lançamento, pela Fundação do Real Madrid, do lançamento do livro Corazones Blancos (por causa da cor do uniforme, o time é chamado de “los blancos”), que traz o perfil do que o próprio clube chamou de “quatro legendas do madridismo”: o grande ponta-esquerda Gento, um dos melhores de todos os tempos, seu contemporâneo Amancio, ponteiro-direito (na época em que essas posições existiam como tais), ambos integrantes do lendário Real dos anos 60 de que faziam parte Di Stefano e Puskas, e em que o brasileiro Didi também jogou, o atacante Butragueño, goleador da seleção da Espanha e do infernal Real dos anos 90, que entre outros ganhou cinco títulos espanhóis consecutivos, e… ele próprio, Ronaldo.

No palco de honra do Estádio Santiago Bernabéu, o presidente do clube, Florentino Pérez, colocou Ronaldo nas nuvens:

— Obrigado por aquele maravilhoso futebol que vocês nos deixaram e que nunca esqueceremos. Gento, Amancio, Butragueño e Ronaldo alimentaram a legenda do clube. Eram os melhores do mundo, como Ronaldo, da Espanha, como Amancio e Gento, e das divisões inferiores do clube, como Butragueño. São o reflexo vivo do modelo Bernabéu e a confirmação de aquele título histórico de reportagem que li um dia no [respeitado jornal esportivo francês] L’Équipe: “O Real Madrid é eterno”.

Colocado pelo próprio presidente do Real acima de ídolos como os outros três homenageados, Ronaldo teria outras satisfações. Numa mesa-redonda na TV, a jornalista Cristina Cubero, espécie de oráculo do Barcelona e adoradora do craque Messi, disse com franqueza:

— Pessoalmente, no campo, foi o maior jogador que vi atuar na minha vida. Melhor do que esses todos que estão aí.

O ex-meio-campo do Real Álvaro Benito, retirado muito jovem do futebol por uma lesão grave no joelho, hoje líder de uma banda de rock, afirmou que Cristiano Ronaldo, maior ídolo e artilheiro do clube há quatro anos, está longe de ser o que Ronaldo foi.

E o ex-meio-campo Guti, com a experiência de 14 anos no clube, que deixou em 2010, e de ter atuado com Ronaldo durante seu período (2002-2006), além de cobrir o ex-craque de elogios contou uma história reveladora e, para mim, inédita:

— Ronaldo me contou que, devido a suas duas cirurgias no joelho, não podia mais disparar em ziguezague, desconcertando os defensores adversários, que era sua principal característica. Então, ele procurava correr com a bola em linha reta. Mesmo assim, com rendimento de 50%, era o melhor jogador do mundo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 2 =

18 Comentários

marcelo cunha - rib preto/sp em 01 de outubro de 2013

Gênio.

carlos nascimento em 29 de setembro de 2013

Ricardo, Fico à imaginar, os paradoxos, Arena de R$ 1 BILHÃO, orçamento mensal de vários milhões, tomar de 4 x 0 da Lusa,com o seu modesto orçamento: segue a pergunta que não quer calar......imaginemos o Barcelona ou Real Madrid, levar uma sapecada dessas, o que aconteceria no dia seguinte.....

carlos nascimento em 29 de setembro de 2013

(off-topic) Ricardo, O que está acontecendo com o seu time.....???? Eu tenho avisado, virou o fio. Lusa 4 x 0 Corinthians. Algumas dicas das causas: - fadiga de material. - elenco dividido. - salários distorcidos, ex. Pato $$$$$$$$$$, o elenco não gostou..... abração.

Bruno em 27 de setembro de 2013

Vou deixar um video que deixa Messi, Cristiano, Pelé, Ronaldo, Maradona, e todos os outros ... de boca aberta ! . http://www.dailymotion.com/video/x155w9x_soccer-football-trick-shots-on-basketball-court-liam-coyte_fun?start=197 Caro Bruno, meu computador por alguma razão está bloqueando o acesso ao dailymotion. Mas vou liberar para os amigos do blog curtirem. Abração!

Alexandre Badu em 26 de setembro de 2013

Todos juntos não da meio Pelé!

julio em 26 de setembro de 2013

Não faz muito tempo andava o homem por aí a voar em nave fantásticas, deixou marcas indeléveis como pirâmides, esfinges e se esqueceu de sua própria história depois dos ciclos que afinal tudo é cíclico na natureza. Mas de ontem com as marcas que Pelé deixou? Ora quantos Ronaldos precisa para um Pelé? Euzebio jogou mais que Ronaldo, e Romário tanto quanto. Mas a Pelé atleta ninguém se compara.

molina em 26 de setembro de 2013

defensores que jogavam contra ronaldo eram como condenados indo para a forca!

molina em 26 de setembro de 2013

ronaldo, nada igual! humilhante!

davi de lima em 25 de setembro de 2013

Romario e Zidane foram mais jogadores que Ronaldo.afinal ganharam copas praticamente sozinhos.acima deles so Maradona(que tambem ganhou copa sozinho).e a velha guarda do futebol( Pele,Di Stefano,Guarrincha,Didi,Rivellino,....)

Leonardo Saade em 25 de setembro de 2013

Ronaldo foi um dos melhores jogadores que eu vi jogar, realmente era um fenômeno. Na minha opinião, bem melhor que Messi.

Maurilio em 25 de setembro de 2013

Só uma ressalva: Amaro não era ponta-direita; era volante, jogou no América do Rio, na Juventus de Turim, no Coríntians. O ponta-direita que jogou no Real foi Canário; que também jogou no América, junto com Amaro, com Alarcón, com Leônidas(o da selva), com Pompéia, com Romeiro e outros. Muito obrigado pelo seu toque, prezado Maurílio. Ele me chamou a atenção para o engano que cometi e que já corrigi. Não se trata do brasileiro Amaro, volante do América e do Corinthians de quem eu, como corintiano, me lembro bem. Trata-se do ponta-direita espanhol Amancio Amaro, que na verdade sempre foi conhecido na Espanha como Amâncio, e não como Amaro. Amancio nunca jogou no Brasil e não aparece na foto que ilustra o post. E, de fato, o Canário, do América, foi ponta (por pouco tempo) do Real Madrid. O famoso ataque Canário, Del Sol, Di Stefano, Puskas e Gento. Mamma mia... Um abração

Heleno Leite em 25 de setembro de 2013

Romário foi melhor...menos profissional.

Xavier em 25 de setembro de 2013

Sem dúvida, Ronaldo foi melhor do que todos os que jogam hoje, melhor que Messi, melhor que Cristiano, melhor todos esses de hoje. Eu não falo que foi o melhor de todos os tempos porque não vi Pelé por exemplo. Mas Messi não chega perto do que foi Ronaldo, o Fenômeno fazia chover. A molecada de hoje não viu Ronaldo jogando, então entendo que não reconheçam o fenômeno que ele foi. É preciso separar o jogador do homem. Como homem Ronaldo vem deixando a desejar com seu envolvimento com FIFA e Copa, mas como jogador, não tenho dúvidas, muito melhor que Messi, MUITO melhor.

Vagner Silva em 25 de setembro de 2013

De todos que vi , CR7,Messi,Neimar,etc...tem que correr muito pra chegar no Fenômeno,Zidane e Zico,nesta ordem !

vitor em 25 de setembro de 2013

Messi é o melhor de todos. Meu pai fala, meu avo (que jogou com toda a velha guarda) fala e eu nunca vi melhor que ele.

FERNANDO H G ROSSITER em 25 de setembro de 2013

Ronaldo Fenomeno, realmente, foi um dos melhores jogadores, e mais completo que já ví. Na verdade, até o momento, não tem craque ao FENÔMENO !!!

J.B.CRUZ em 25 de setembro de 2013

Canário-Del Sol- Di Stéfano-Puskas e Gento...Lembra deste quinteto avançado?? Setti, o Gento ainda está fortão!! Hein!! Futebol nostalgia..

Luiz em 25 de setembro de 2013

Pela foto Ronaldo é sem dúvida, o MAIOR... Faltou um paletó...

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI