Zózimo: Filinto sem culpa

A entrevista que irá ao ar nesta semana com o líder comunista Luís Carlos Prestes no Jô Soares Onze e Meia, do Sistema Brasileiro de Televisão, faz história.

Pela primeira vez desde que sua mulher Olga Benário foi entregue pela ditadura do Estado Novo à Alemanha nazista para morrer num campo de concentração, há mais de quatro décadas, Prestes isentou de culpa aquele que desde então era apontado como o principal responsável pelo ato: o então chefe de Polícia Filinto Müller, que mais tarde seria senador, presidente do Senado e presidente da extinta Arena.

— Ele era apenas um mero funcionário público — disse Prestes a um Jô Soares emocionado. — O verdadeiro culpado foi Getúlio Vargas.

Mesmo assim, o “Cavaleiro da Esperança” justifica o apoio que conferiu a Getúlio depois de ser libertado da prisão pelo então ditador, que declarara guerra à Alemanha:

— Mais importante que os dramas pessoais era a necessidade de se opor e derrotar o nazismo.

 

(Nota publicada no Jornal do Brasil.)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 20 =