Zózimo: Jogo de interesses

A operação para fazer do governador paulista Orestes Quércia o candidato do PMDB a presidente da República passava por uma iniciativa que não deu certo e que, agora, torna a hipótese muito mais difícil.

Tratava-se de tentativa de diminuir a data-limite de desincompatibilização dos governadores de estado, que hoje devem deixar o cargo seis meses antes da eleição para poder concorrer — no caso, o próximo dia 15 de maio.

A proposta para encurtar o prazo, teoricamente, interessaria a todos os governadores. Ela chegou a ser discutida pelo próprio Quércia numa reunião com o governador gaúcho Pedro Simon, e por iniciativa de outros aliados do governador paulista o respectivo projeto deveria, como manobra de despiste, ser apresentado no Congresso por um membro de prestígio de outro partido, o PFL.

Tratava-se do deputado e ex-ministro da Fazenda Francisco Dornelles, que não aceitou a incumbência.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 9 =